[Resenha] O que Alice Esqueceu – Liane Moriarty

0
Capa do livro. Um fundo de um céu azul e um dente-de-leão se soltando e espalhando pelo ar. No topo, em verde, o nome da autora, logo abaixo o texto: Autora do best-seller que deu origem à premiada série Big Little Lies, da HBO. No centro, o título "O que Alice esqueceu".

O livro “O que Alice Esqueceu” foi um dos poucos livros que consegui ler em março, enquanto eu tentava lidar com um desânimo de ler qualquer coisa causada pela correria da vida em lockdown. A escolha de leitura foi inspirada no Desafio #LeiaMulheres2021, já que livro foi escrito por Liane Moriarty, autora de “Big Little Lies” (Pequenas Grandes Mentiras), livro este que ficou famoso após a minissérie da HBO. Caso você não saiba, Liane é uma escritora da Oceania e tem vários outros livros publicados e já traduzidos aqui no Brasil.

Seguindo na linha de escrever boas histórias sobre mulheres reais que poderiam ser você ou alguém que você conhece, Liane apresenta agora uma história que, partindo de uma ideia simples, nos envolve e nos encanta. Através dele me conectei comigo e com sentimentos que eu não esperava e que só fez sentido porque estou há mais de um ano sendo uma mulher em isolamento social, longe de amigos, família e trabalhando em home office. Afinal, o que foi também que eu esqueci?

Em “O que Alice Esqueceu”, acompanhamos a história de Alice que após cair na academia e bater a cabeça se esquece de todos os acontecimentos de sua vida dos últimos dez anos. Prestes a completar quarenta anos, Alice tem certeza que tem vinte e nove e vive ainda em 1998, ano esse onde acabou de descobrir que está grávida e está vivendo sua vida e construindo sua família ao lado de seu marido que ama muito, Nick. Mas o ano é 2008.

Este foi o dia em que Alice Mary Love foi à academia e, num descuido, perdeu uma década de vida.

O que Alice Esqueceu e o mundo não

O fato é d’o que Alice esqueceu, mas o mundo não. Mais do que isso: tudo mudou. Seu casamento não é o mesmo, seu trabalho não é o mesmo, sua relação com amigos, sua mãe e sua irmã não são as mesmas e mais do que isso: quem é essa nova Alice afinal?

Ao se perceber dona de um corpo que nunca imaginou ter, com hábitos de alimentação, atitudes e ações completamente diferentes de quem é, quem é a Alice de 2008 e por que ela está ali? Em qual momento de sua vida ela deixou de ser quem era e passou a incorporar uma pessoa totalmente diferente. Essa pessoa é tão diferente? Como lidar com a vontade de ser quem você é, quando o mundo te diz que tudo mudou e que você de verdade não quer isso, basta você se lembrar?

Uma história com muitas camadas e muitos personagens

Embora a protagonista da história seja a Alice, o livro traz outras personagens com jornadas impactantes e que nos convidam a repensar muita coisa. Elisabeth, irmã mais velha de Alice, sempre tão próxima a ela se tornou uma mulher com carreira invejável mas com uma dor avassaladora. Sua mãe, viúva, se descobriu outra mulher a partir de alguns acontecimentos. Suas amigas não são mais tão próximas e outras pessoas que nunca imaginou conviver costumam frequentar sua casa. Frannie, uma senhorinha simpática e ousada, blogueira e amável, é uma grande e grata surpresa no livro.

Ao ler o livro e descobrir o que Alice esqueceu, me peguei pensando em todas aquelas personagens como pessoas reais. Pensei e me lembrei de pessoas que não vejo há anos, que antes eram parte fundamental da minha vida. Por fim, pensei em quem eu era em dez anos atrás. Eu nem me lembrava mais… mas hoje sou uma pessoa completamente diferente. Uma versão melhorada em muitas coisas, porém com ausências em outras. E afinal, a arte não é sobre isso? Sobre repensarmos e recriarmos a realidade, podendo nos conectar com nós mesmos?

Análise Crítica

O livro é bem fluído e leve, apesar de tratar também de temas pesados como luto, fim de relacionamentos, abortos, infertilidade, morte, acidentes e machismo. Os capítulos são bem separados e a história vai tomando profundidade conforme você vai lendo e conhecendo mais de quem é Alice é e quem Alice foi. Como um grande quebra-cabeça, as peças são apresentadas aos poucos para que possamos completar o mural. Delicioso de ler, acaba sendo um livro sobre auto amor. Me incomoda apenas o final. Embora eu entenda no macro que é um livro sobre a vida, as escolhas finais e desfecho da história de Alice como é apresentada me incomodou. Porém, isso é bom, porque me mostra que afinal cabe a Alice escolher o que ela quer e não a mim a definir isso a partir da minha percepção. Não é assim com a vida real também?

Nota

3 selos cabulosos e meio
3 selos cabulosos e meio

Garanta a sua cópia de “O que Alice Esqueceu”!

Ficha Técnica

Capa do livro na cor azul, com imagem de dente de leão com pétalas voando. Em cima tem o título do livro, logo da editora e nome da autora

Nome: O que Alice Esqueceu
Autor: Liane Moriarty
Tradução: Julia Romeu
Edição:
Editora: Intrínseca
Ano: 2018
Páginas: 416
ISBN: 9788551003466
Sinopse: Alice tinha certeza de que era feliz: aos 29 anos, casada com Nick, um marido lindo e amoroso, aguardando o nascimento do primeiro filho rodeada pela linda família formada por sua irmã, a mãe atenciosa e a avó. Mas tudo parece ir por água abaixo quando ela acorda no chão da academia… dez anos depois!
Enquanto tenta descobrir o que aconteceu nesse período, Alice percebe que se tornou alguém muito diferente: uma pessoa que não tem quase nada em comum com quem ela era na juventude e, pior, de quem ela não gosta nem um pouco.
Ao retratar a vida doméstica moderna provocando no leitor muitas risadas e surpresas, Liane Moriarty constrói uma narrativa ao mesmo tempo ágil e leve sobre recomeços, o que queremos lembrar e o que nos esforçamos para esquecer..