[Resenha] Verdades do além-túmulo – Caitlin Doughty

0
[Resenha] Verdades do além-túmulo – Caitlin Doughty
Capa do livro. No fundo, na parte superior, um céu com nuvens em preto e branco desenhado com traços em semi-circulos. Na parte de baixo, silhueta de um incêndio em vermelho e no centro a silhueta em vermelho de um caixão em pé. Sobre o caixão um gato, e no chão mais dois gatos, os três em silhueta preta e vermelha. Em primeiro plano o nome da autora e o título do livro.

Caitlin Doughty é uma agente funerária estadunidense, além de escritora e youtuber. A autora é bastante conhecida por seu trabalho pela conscientização da morte e pelo fim dos tabus que envolvem o tema, além da reforma das práticas funerárias em seu país. Tudo isso é feito com muita leveza e bom humor. Seus dois livros anteriores são Confissões do crematório e Para toda a eternidade, cuja resenha está disponível aqui. Em Verdades do Além-Túmulo Caitlin responde perguntas sobre a morte. O detalhe é que todas as perguntas presentes no livro foram feitas por crianças.

Quando eu morrer, meu gato vai comer meus olhos?

Como gateira assumida, a primeira pergunta do livro já me interessou. A resposta? Bem, vou deixar vocês na curiosidade.

Podemos fazer um funeral viking para a vovó?

A vovó queria um funeral viking? Se sim, sua vó parece bem maneira, pena que não a conheci.

Caitlin responde as perguntas de forma objetiva mas não perde a oportunidade de fazer piada e o bom humor que vemos nos seus vídeos está presente em todo o livro. Até quando responde perguntas bem nojentas como “Você pode descrever o cheiro de um cadáver?”. Confesso que quase pulei a resposta para esta pergunta, mas a curiosidade falou mais alto.

Segundo a autora, não foi fácil escolher as perguntas para este livro devido a grande quantidade das mesmas que ela juntou ao longo dos anos, principalmente durante as palestras que apresentou em diversos países. Ela acabou escolhendo perguntas feitas por crianças por serem mais diretas e mais instigantes.

No livro descobrimos se nossos cabelos e unhas vão crescer dentro do caixão, se nosso sangue pode ser doado após a morte, se podemos ser preservados em âmbar como o mosquito do filme Jurassic Park, entre outros questionamentos. Algumas perguntas envolvem o uso de ossos de parentes como objetos de decoração ou acessórios.

Algumas respostas envolvem leis que, é claro, não se aplicam a nossa realidade mas que servem para demonstrar como muitas questões relacionadas ao tratamento dados aos mortos ainda estão em aberto e precisam ser discutidas.

Curiosidade mórbida?

O último capítulo do livro traz uma entrevista com uma psiquiatra, especialista em crianças e adolescentes, que explica que é normal a curiosidade sobre a morte e também fala de formas de se tratar deste assunto com as crianças.

Embora o tema seja macabro, Caitlin responde as perguntas de forma tão bem humorada que achei a leitura bastante leve e agradável. A própria autora cita que não podemos fazer a morte ficar divertida, mas podemos fazer o aprendizado sobre ela ser divertido. Um livro muito recomendado para os curiosos de todas as idades.

Nota

Cinco selos cabulosos. A maior nota do site.
Cinco selos cabulosos. A maior nota do site.

 Garanta a sua cópia de “Verdades do Além-Túmulo”!

Ficha Técnica

Título: Verdades do Além-Túmulo
Autora: Caitlin Doughty
Tradutora: Regiane Winarski
Editora: Darkside
Ano: 2020
Páginas: 224
ISBN: 978-6555980233
Sinopse: Uma agente funerária não só pondera sobre a morte: ela também recebe incontáveis perguntas sobre o que nos espera no além. Ao longo de sua peculiar trajetória profissional, Caitlin Doughty ouviu centenas de dúvidas curiosas, engraçadas e bizarras. As melhores foram selecionadas em Verdades do Além-Túmulo, seu novo e esperado terceiro livro.

Inspirada pela curiosidade das crianças e dos adolescentes sobre a morte, a autora reuniu 34 perguntas e as respondeu com seu estilo único: técnico, informativo e absolutamente bem-humorado. O resultado é um livro divertido e instigante, que dá continuidade ao empenho da autora em desconstruir o tabu da morte e dissipar o silêncio que costuma permear o assunto, para que possamos ter uma relação mais saudável com nossas perdas, lutos e a memória dos nossos entes queridos.