O Pistoleiro – A Torre Negra Vol. I | Stephen King

5

“O homem de preto fugia pelo deserto, e o pistoleiro ia atrás”

Com essa frase, Stephen King começou a saga de sua vida: A Torre Negra, obra que demorou mais de 40 anos para ser concluída e aproximadamente 2500 páginas para contar como Rolland, o último Pistoleiro, viveu a aventura de sua vida para alcançar a Torre Negra, a origem de tudo no universo do autor.

O primeiro volume chamado “O Pistoleiro” foi publicado em 1982 e escrito pelo autor quando ele tinha apenas 19 anos, em meados da década de 1960. Iniciando a sua jornada pelo mundo das letras, o próprio autor deixa claro que esse livro é fruto da mente e habilidade de escrita de um King adolescente, fascinado e influenciado pela saga “O Senhor dos Anéis” de J. R. R. Tolkien e filmes de western que faziam sucesso na época.

Apesar da visão quase pessimista do autor e de muitos de seus fãs, a saga “A Torre Negra” começa muito bem. É um livro prazeroso de se ler, com apresentação de personagens importantes e histórias que nos deixam sem fôlego em alguns momentos. Se isso é apenas o começo, mal posso esperar pelo que realmente “A Torre Negra” com seu Pistoleiro me reservam!

O Pistoleiro e seu deserto

Somos jogados ao deserto junto com o Pistoleiro em sua caça implacável pelo Homem de Preto e no decorrer do livro ficamos sedentos por conhecer mais sobre Rolland, sua história e os acontecimentos mais marcantes de sua vida.

Logo no início da obra, ele encontra o colono Brown e seu corvo falante (e bastante assustador) Zoltan. Em busca de uma refeição quente e uma cama confortável para descansar seu corpo, Rolland conta sobre sua breve, porém inesquecível estadia na cidade de Tull, última vez que teve contato com o poder do feiticeiro Homem de Preto, figura que pode ter respostas que importam ao Pistoleiro, como nenhuma outra pode importar.

Poucos dias depois, voltando à sua caçada, ferido e quebrado, sua vida é salva por uma figura inesperada: um adolescente chamado Jake Chambers, um humano da Terra. Ao perceber a sua ligação com o garoto, Rolland começa a se questionar sobre seu poder de decisão, enquanto revive memórias esquecidas. Essa aliança é fascinante e motivo de nos mostrar um dos maiores poderes de Rolland, se não o maior, o de decisão e determinação para se alcançar o que ele quer.

Estaríamos nós, leitores de King, preparados para acompanhar o Pistoleiro em sua saga e aceitar as suas escolhas, acreditando no que ele nos mostra ou nos narra? Ao terminar o livro, a resposta para essa pergunta pode ser um feitiço do Homem de Preto, um deslumbramento da Torre Negra ou apenas uma miragem no grande deserto de Rolland. Acredito que nunca saberemos.

Análise Crítica

Há tempos eu tinha vontade de ler “A Torre Negra” e foi graças ao trailer do filme que tomei a decisão de dar uma chance à obra. Diferente das demais obras que li de Stephen King, o livro mistura fantasia e ficção científica, trazendo ao final uma saga épica.

Muitos leitores me alertaram sobre o livro ser lento. Preparada, peguei o livro em mãos e o devorei em dois dias. Embora existam momentos que podemos considerar arrastados, as cenas mais inesquecíveis são tão absurdamente bem montadas que valem cada letra escrita sob o papel. Partindo para a continuação, espero me surpreender ainda mais.

Nada inédito, King usou de inúmeras referências à saga “O Senhor dos Anéis”. Algumas cenas e alguns personagens parecem ter saído mesmo das páginas do mestre Tolkien, mas não por isso deixa de ser fascinante os acontecimentos em torno. A inspiração, realmente, é inegável, porém é fascinante conhecer essa nova mitologia que o autor traz em sua obra.

Por fim, vale como experiência singular caçar easter eggs de outras obras de King no livro. Já no primeiro volume flertei com um trecho que me remeteu à “It”, por exemplo. A partir de agora estarei mais atenta a buscar novos brindes pelo caminho de Rolland e seu Ka-ket.

Nota

Ficou interessado(a)? Então compre o livro nos links abaixo:

Amazon (livro físico)  
Amazon (ebook)
Submarino

Não esqueça de adicionar o livro no Skoob

Nome:
 O Pistoleiro (A Torre Negra #01)
Autor: Stephen King
Edição: 1ª
Editora: Objetiva
Ano: 2004
Páginas: 221
Sinopse: “Este livro é o primeiro dos sete volumes de série A Torre Negra, obra mais ambiciosa do escritor Stephen King. “O Pistoleiro” apresenta ao leitor o fascinante personagem de Roland Deschain, último descendente do clã de Gilead, e derradeiro representante de uma linhagem de implacáveis pistoleiros desaparecida desde que o Mundo Médio onde viviam “seguiu adiante”. Para evitar a completa destruição desse mundo já vazio e moribundo, Roland precisa alcançar a Torre Negra, eixo do qual depende todo o tempo e todo o espaço, e verdadeira obsessão para Roland, seu Cálice Sagrado, sua única razão de viver. O pistoleiro acredita que um misterioso personagem, a quem se refere como o homem de preto, conhece e pode revelar segredos capazes de ajudá- lo em sua busca pela Torre Negra, e por isso o persegue sem descanso. Pelo caminho, encontra pessoas que pertencem a seu ka-tet – ou seja, cujo destino está irremediavelmente ligado ao seu. Entre eles estão Alice, uma mulher que Roland encontra na desolada cidade de Tull, e Jake Chambers, um menino que foi transportado para o mundo de Roland depois de morrer em circunstâncias trágicas na Nova York de 1977. Mas o pistoleiro não conseguirá chegar sozinho ao fim da jornada que lhe foi predestinada. Na verdade, sua aventura se estenderá para outros mundos muito além do Mundo Médio, levando-o a realidades que ele jamais sonhara existir. Inteiramente revista pelo autor, esta primeira edição brasileira de “O Pistoleiro” traz também prefácio e introdução inéditos de King.”

  • mateuspl

    AÊ SAI DOMENICA!! Fiquei muito feliz ao abrir o Leitor Cabuloso hoje e me deparar com uma resenha sua(que já me deu ótimas indicações) sobre essa coisa magnífica que é A Torre Negra. Já esbocei um sorriso numa segunda-feira, quem diria.
    Comecei a leitura da saga em Agosto do ano passado e estou na metade do volume 5(recomendo ler O Vento Pela Fechadura e A Hora do Vampiro entre o quarto e o quinto volume da série). Que série incrível! Meu objetivo é terminar a saga antes do filme estrear aqui no Brasil. “O Pistoleiro” foi um livro um tanto confuso para mim no começo, mas achei surpreendente que mesmo no meio da sensação de “o que diabos está acontecendo nesse mundo?” é uma leitura envolvente e recheada de momentos épicos. E aquela fatídica frase do Jake Chambers….ai ai. Espero que tu se apaixone por essa saga assim como eu me apaixonei. Longos dias e belas noites(e boas leituras). E bem vinda ao TET.

    • Oi, Mateus!
      Que alegria receber esse comentário logo de manhã em plena segundona!
      O mundo do Rolland é bem confuso mesmo, né? Ter um pouco de ajuda de amigos que leram antes e avisaram “a torre e o mundo do Pistoleiro não são na Terra” com certeza me ajudou nisso.

      Adorei suas dicas de obras do King pra ler no meio dos livros da saga. Obrigada!

      Já comecei a leitura do segundo volume e vamos ver pra onde vamos agora!!!! Doida pra conhecer o Kat-tet do Rolland. <3

      Abraços e obrigada por comentar e compartilhar!

  • Mp Dragon

    Matéria sensacional, muito bem escrita pela Domenica, de fato, sempre fiquei curioso com a saga da Torre Negra, mais de fato nunca li, procurei outros livros nesse meio tempo, agora por essa matéria acabou atissando minha curiosidade sobre o tema, vou procurar ler.

    • Espero que goste do livro!!!!
      Obrigada por seu comentário!

  • Flávio Luiz Bé

    Olá Pessoal! A história é fantástica, mas ainda tem o livro “Insônia”, que serve como um prólogo para a Torre Negra, visto que a presença do Rei Rubro e os acontecimentos ocorridos precedem aos da Torre Negra.
    Há ainda um prelúdio de “O Pistoleiro” no conto “As Irmãzinhas de Eluria” (“Senhor dos Anéis” homenageado??? hehehe). Só complementando, como o @mateuspl escreveu, “O Vento Pela Fechadura” e “A Hora do Vampiro” (ou “Salem” atualmente) são leituras quase obrigatórias para melhor entendimento dos fatos.
    Como curiosidade, o personagem principal de “Insônia” tem seu destino no livro “Saco de Ossos”…
    Esse é o King, sempre unindo as histórias e os personagens, como se toda a sua obra fosse apenas uma “Saga Gigantesca do King”!!!
    Abraços!