[Resenha] As Sombras de Outubro – Søren Sveistrup

0
[Resenha] As Sombras de Outubro – Søren Sveistrup
Capa do livro. Um fundo escuro manchado, com 12 desenhos rusticos humanóides, em vermelho, em três fileiras com quatro desenhos cada. Em primeiro plano, em branco, o nome do autor e abaixo o título do livro.

Søren Sveistrup é criador e roteirista da versão dinamarquesa, e original, da série criminal The Killing. Quem assistiu a série sabe que é impossível parar de assistir até chegar ao final. O mesmo acontece com As sombras de outubro, depois de começar você não vai parar de virar as páginas até chegar à solução do crime.

O caso

Uma mulher é encontrada morta e sem uma das mãos. Perto do corpo é encontrado um boneco feito de castanhas e palitos de fósforo. Depois da equipe forense examinar tudo, a única pista relevante mas ao mesmo tempo inexplicável é uma impressão digital no boneco. A digital pertence à filha da ministra Rosa Hartung que desapareceu um ano antes e foi dada como morta. Inclusive, o assassino confesso está preso.

Poucos dias depois, outra mulher é assassinada e dessa vez o assassino levou as duas mãos da vítima. Na cena do crime também é encontrado um boneco de castanhas com a digital de Kristine Hartung. Nesse ponto, fica claro que se trata de um serial killer e que ele vai matar novamente.

A investigação

A detetive Naia Thulin é a responsável pela investigação juntamente com seu novo e temporário parceiro Mark Hess. Thulin é extremamente competente e focada na investigação e, embora tenhamos apenas um vislumbre de sua vida pessoal, nos conectamos muito com a personagem. Hess é um enigma ainda maior pois não sabemos exatamente porque foi mandado para Copenhagem e nem os motivos de muitos não gostarem dele.

Durante a leitura me senti totalmente imersa na investigação. As pistas não são facilmente encontradas e é exigido trabalho paciente e muitas vezes braçal para encontrá-las. Também gostei muito do autor não exagerar no uso de pistas falsas e de conseguir dar motivações convincentes para o comportamento dos envolvidos.

Cenário sombrio

Acho lindas as paisagens de outono com suas folhas avermelhadas, amarelas e marrons mas Sveinstrup conseguiu tornar esse cenário sombrio ao situar sua história no outono. Escurece muito cedo e a cidade está sempre nublada e chuvosa, o que reflete bem o estado de espírito dos personagens dando o clima perfeito para a investigação. As cenas que se passam nas florestas, principalmente à noite, me deixaram com uma sensação de medo e sufocamento. O autor também usa muito bem locações como porões e lugares fechados para incutir temor pela vida dos personagens.

Um excelente noir nórdico

Sou grande fã de livros sobre investigação criminal e tenho gostado muito de autores que se encaixam no gênero literário conhecido como noir nórdico tais como Jo Nesbø e Camilla Lackberg.

Por sua vez, Søren Sveistrup escreveu um excelente livro nesse gênero pois a leitura flui facilmente e a investigação não perde o ritmo. Além de um caso criminal que prende nossa atenção, o autor também toca em temas como relações familiares, violência doméstica e o papel do estado na proteção de crianças.

O livro tem foco na investigação em si e acaba falando pouco sobre seus protagonistas. Porém, o pouco que foi revelado da vida deles me fez querer conhecê-los melhor. Espero que haja um novo livro onde eles trabalhem juntos em outro caso.

Enfim, se você gosta de investigações criminais bem desenvolvidas e com finais bem elaborados, As sombras de outubro é uma leitura imperdível.

Nota

Cinco selos cabulosos. A maior nota do site.
Cinco selos cabulosos. A maior nota do site.

 

 

 

 

Garanta a sua cópia de As Sombras de Outubro e boa leitura!

Ficha técnica

Não esqueça de adicionar ao seu Skoob

Nome: As Sombras de Outubro
Autor: Søren Sveistrup
Tradutora: Natalie Gerhardt
Editora: Suma
Ano: 2019
Páginas: 416
ISBN: 9788556510877
Sinopse: É outubro e a neve de outono começa a cair em Copenhagen, deixando os dias mais curtos e as noites mais sombrias… e pelas ruas geladas e escuras, um psicopata aterroriza a cidade. Sua assinatura é um pequeno boneco artesanal feito de castanhas e palitos de fósforo, que ele deixa sempre junto ao corpo mutilado de suas vítimas.

Ao examinar o boneco, o departamento forense faz uma descoberta chocante: a impressão digital da filha da ministra Rosa Hartung, desaparecida e dada como morta há um ano. Seria uma trágica coincidência, ou algo mais sinistro? Para impedir que o assassino continue tomando vidas inocentes, dois detetives precisam deixar suas diferenças de lado e juntar as peças do terrível quebra-cabeça deixado pelo Sr. Castanha. Porque há um serial killer à solta, e seus crimes estão só começando.