[Coluna] Se gostou de FMA, vai adorar Leviatã

[Coluna] Se gostou de FMA, vai adorar Leviatã
Montagem com as imagens de FMA e Leviatã. À esquerda ilustração com os personagens de FMA, no centro um raio amarelo dividindo a vitrine, à direita ilustração com os personagens de Leviatã. No topo à direita, uma faixa branca com o texto: Coluna - Se gostou de FMA, vai adorar Leviatã. Na base o logo do Leitor Cabuloso, e uma borda amarela em volta da vitrine

Alguém que sonha com o dia que dará o livro do Harry Potter para o filho, cria esse desejo de afeto só por causa das varinhas e das cores da Grifinória? É preciso ter algo a mais… os personagens, os temas e o momento em que se leu a obra. Com essa coluna não quero replicar os amores cheios de uma pureza contida nas histórias lidas na infância ou os complicados que estão presentes nas séries e na vida adulta. Quero mostrar semelhanças de alguns elementos profundos entre duas obras para que novas paixões surjam.

Uma longa procura

Fullmetal Alchemist. Se você já se envolveu com animes e mangás por um bom tempo, o nome Edward Elric e Alphonse Elric deve lhe provocar familiaridade. Terminei o anime (tenho quase a coleção completa do mangá) e fui correndo para a internet tentar encontrar algo que chegasse perto daquele emaranhado de personagens carismáticos; um dos sistemas de alquimia/magia mais bem elaborados que já vi e que foi magistralmente transformado em um elemento narrativo; universo cheio de identidade que provoca reflexão sobre a sua própria origem e ação bem feita. Abri umas trinta abas do navegador de internet no meu computador e poucos se arriscavam a indicar algo parecido com obra. Assistir o anime novamente se tornava, cada vez mais, uma opção sensata. Não desisti e a procura continuou até que vi uma indicação.

O anime Baccano tem alquimia como em Fullmetal, há um elixir que tem semelhanças com a pedra filosofal que Edward deseja encontrar​ para recuperar o braço e a perna dele, juntamente com o corpo do irmão (ambos perdidos ao se tentar realizar a alquimia proibida). As semelhanças param por aí. Os animes são totalmente diferentes. Tentar encontrar algo que me fizesse lembrar da paixão por Fullmetal, pela obra de Hiromu Arakawa, foi se desgastando conforme novas obras apareciam.

Por que nunca pensei em procurar ali?

Você já  ficou procurando algo por semanas? Procurou até cansar, esqueceu, passou um bom tempo e a bendita coisa está em um local sem nenhuma relação com o que foi perdido? Já encontrou a chave do seu carro em um estojo cheio de lápis de cor? Aconteceu isso comigo. Revivi as lembranças de Fullmetal em um livro, uma mídia bem diferente do mangá e do anime. As lembranças logo viraram um novo apego e  hoje digo sem nenhum receio:

Quem gostou de Fullmetal Alchemist vai gostar de Leviatã: A Missão Secreta!

Entusiasmo pela ciência

Nas duas obras há um amor genuíno pela ciência e de como ela pode transformar a sociedade. Em Fullmetal Alchemist o exército de Amestris encontrou na alquimia a chave para vencer uma guerra. A presença do exército é constante, ela é praticamente parte do cenário. Alquimistas são a elite do exército e precisam demonstrar progresso e evolução em seus estudos alquímicos. A obra não existiria sem esse elemento. E, o mais interessante, é que os irmãos Elric não encaram a alquimia como algo que só serve como uma arma. Eles se encantam, pesquisam e se aprofundam nessa ciência.

No livro Leviatã: A Missão Secreta (leia nossa resenha aqui), Sharp  vê como o Darwinismo assumiu os controles da sociedade nos pequenos e grandes​ detalhes. Se dois personagens sentaram para conversar e tomar o chá, algum elemento darwinista estará no local ou na própria conversa. Através do olhar da jovem protagonista o autor mostra com satisfação como um microssistema utiliza diversas criaturas para criar comunicação entre as pessoas, se locomover ou ter uma arma. Explicações sobre animais geneticamente modificados assumem a voz do narrador. E ao lembrar delas, me imagino em uma sala de aula onde o professor nunca perdeu o desejo de ensinar e estou sedento por aprender.

Atmosfera bélica e o peso da jornada

Em Leviatã o clima bélico está sempre presente: exércitos, notícias sobre conflito e duas nações que vão acabar guerreando. Isso é comum em muitas obras hoje em dia. A diferença é que a jornada de Alek (segundo protagonista) envolve algo grande. Caso ocorra uma falha, a guerra vai atingir outro patamar.

Na obra de Arakawa, os irmãos Elric querem encontrar a pedra filosofal para consertar uma escolha que fizeram. Uma pedra que possui o poder de mudar qualquer conflito armado e ela sempre tem sobre si o olhar do exército de Amestris, que busca poder para consolidar o seu domínio. Não tomar o devido cuidado resulta em perda definitiva para a busca dos Elric’s e fornecer poder para um exército que sempre gera desconfiança.

Mulheres fortes

Tanto a Winry Rockbell de FullMetal como a Deryn Sharp de Leviatã:A Missão Secreta têm sonhos e são determinadas. O que me chama a atenção nessas duas personagens é a forma como os autores trataram com seriedade o desejo delas. As personagens são carismáticas e possuem conflitos em relação a vida,  entretanto, transmitem obstinação em relação a profissão. Parece que elas escolheram como iriam viver a vida desde o dia do nascimento. Não há dúvida, não existe um arco ou uma explicação romantizada para a escolha da profissão. Em vez disso há determinação, vontade de se aperfeiçoar e amor pela função. Essa certeza cativa e faz o leitor torcer e comemorar cada decisão que as aproximam da realização profissional. As duas querem provar  que conseguem e amam aquilo que fazem.

As entrelinhas e a estética

Alek e Edward, os dois personagens que têm mais foco, transmitem nas mais profundas camadas de suas existências, a falta de uma figura paterna. Tive essa sensação e também falo de como gostei da forma que os autores sempre escolhem o criativo em vez da força nas batalhas; achei interessante a atenção dedicada aos pequenos que fazem grandes estruturas funcionarem e o gostar de trabalhar com ação.

Quem já acompanhou uma dessas obras pode se aventurar na outra sem nenhum problema. Não tem contato com nenhuma das duas? Escolha a que estiver mais fácil ao seu alcance. Fullmetal Alchemist está na Netflix e A Missão Secreta – Leviatã, e sua continuação, estão disponíveis no Kindle Unlimited. Já acompanhou os dois?

É isso. Em vez de replicar o amor, por que não renová-lo ou cultivar um novo?