[Resenha] Um Tom Mais Escuro de Magia

0
[Resenha] Um Tom Mais Escuro de Magia
Capa do livro. Um fundo branco, e na frente a silhueta preta de uma pessoa vestindo uma capa, com traços vermelhos, onde a pessoa pisa aparecem circulos com um mapa desenhado. Em primeiro plano, sobre a silhueta, o nome da autora, e o título do livro.

Um Tom Mais Escuro de Magia é o primeiro livro da série “Os Tons da Magia“, escrito pela americana Victoria Elizabeth Schwab. No universo criado pela autora, existem quatro mundos paralelos cada um com um nível diferente de magia. Também varia o modo como a magia é entendida e utilizada, enquanto alguns mundos tentam controlá-la, outros a usam de forma harmoniosa.

Em comum, esses mundos possuem uma cidade chamada Londres. Porém, as únicas pessoas que sabem da existência das outras Londres são seus governantes e os únicos que podem transitar entre elas são os chamados Viajantes.

As cores da magia

A chamada Londres Vermelha é o lar do Viajante Kell e nesse mundo a magia é reverenciada. O outro único Viajante existente, Holland, vem da Londres Branca onde a magia é para poucos e cujos governantes conquistaram o poder através da força e do assassinato. Na Londres Cinza, onde a magia praticamente foi esquecida, mora Delilah. Esta moça sem família sobrevive de pequenos furtos, deseja ser pirata e conhecer o mundo a bordo de um navio. Ao esbarrar com Kell ela percebe uma chance de viver as aventuras que sempre sonhou.

“Cinza para a cidade sem magia.
Vermelho para o império vigoroso.
Branco para o mundo faminto.”

Kell costuma traficar pequenos itens entre os mundos, objetos simples mas que interessam colecionadores e a ele mesmo. Um desses objetos acaba sendo um artefato perigoso para todos os mundos e sua entrada na Londres Vermelha inicia uma série de problemas que vão mudar para sempre as vidas de Kell e outros personagens.

O universo e os personagens

A autora apresenta o universo criado e suas regras de forma gradual e clara, sem sufocar o leitor com muita informação ao mesmo tempo. Cada capítulo contribui para o andamento do enredo, sem apresentar enrolação ou cenas desnecessárias. A trama é enxuta e prende a atenção do leitor do início ao fim.

Os personagens são carismáticos e possuem profundidade. Ao longo do livro vamos descobrindo um pouco mais sobre eles e entendendo suas motivações, o que explica atos e decisões que à princípio poderíamos achar que eram somente conveniências para a trama prosseguir.

As diferenças entre as Londres são bem descritas e deixam claras a importância da magia nesses mundos. Gostei principalmente da caracterização do rio Tâmisa e como ele muda entre as realidades e serve para identificar o nível de magia no local.

Enfim, a série Tons da Magia começou muito bem com um ótimo livro de fantasia onde a trama é intrigante e os personagens são bem construídos. O segundo volume já foi lançado no Brasil e se chama Um Encontro de Sombras.

Nota

Quatro selos cabulosos e meio. A nota mais alta são 5 selos cabulosos.
Quatro selos cabulosos e meio. A nota mais alta são 5 selos cabulosos.

 

 

 

 

Garanta a sua cópia de Um Tom Mais Escuro de Magia e boa leitura!

Ficha técnica

Não esqueça de adicionar ao seu Skoob.

Nome: Um Tom Mais Escuro de Magia
Autora: V. E. Schwab
Tradutora: Ana Carolina Delmas
Editora: Record
Ano: 2016
Páginas: 420
ISBN: 9788501106667
Sinopse: Kell é um dos últimos Viajantes — magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco — George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez… a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela.

Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto.

Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos.