[Resenha] A Bússola de Ouro – Philip Pullman

0
Vitrine com a capa do livro: A Bússola de Ouro – Philip Pullman
Recorte da capa do livro. Um fundo azul, com uma ilustração em outros tons de azul de uma bússola estilizada. No cento, o título do livro, em branco.

A Bússola de Ouro é o primeiro volume da trilogia “Fronteiras do Universo”, escrita por Phillip Pulman. A história acontece em um mundo paralelo, muito semelhante ao nosso, mas com algumas peculiaridades. Para começar, todos os humanos têm um daemon, uma espécie de manifestação corpórea da alma. Os daemons das crianças podem mudar de forma, mas após a puberdade, eles adquirem uma forma definitiva, que pode ser de qualquer animal. Além disso, existem as Universidades, as quais têm um grande prestígio, e o Magisterium, um órgão ligado à religião e ao controle ideológico no mundo.

A menina

Lyra é uma menina de 11 anos que vive nesse universo. Órfã, ela foi criada na Universidade Jordan, em Oxford, onde foi deixada por seu tio, Lorde Asriel. Seus principais passatempos são explorar os telhados dos castelos e envolver-se em disputas com as crianças das proximidades ou os filhos dos gípcios, nômades que aparecem na região em algumas temporadas. Seu daemon é chamado de Pantalaimon, ou Pan, e ainda não tomou sua forma final.

A garota sonha em acompanhar seu tio em uma expedição para o Norte, local em que Asriel passa a maior parte do tempo, imerso em suas pesquisas. Por isso, decide ajudá-lo em uma ocasião, espionando durante uma palestra dele. Nesse momento, ela descobre a existência do Pó, uma substância misteriosa que se acumula no mundo.

“Não era do temperamento de Lyra ficar parada remoendo os problemas; ela era uma criança impulsiva e prática, e além disso não tinha muita imaginação. […] Para ser uma mentirosa experiente não é preciso ter grande imaginação. Muitos mentirosos não têm imaginação, é isso que faz com que suas mentiras sejam convincentes”.

A jornada

Paralelamente, algumas crianças nas redondezas desaparecem e correm boatos de que os sequestros seriam feitos pelos Goblers, uma organização que faria crueldades inomináveis com as crianças. Lyra se perturba com esse boato, principalmente quando seu melhor amigo, Roger, desaparece também.

É então que aparece uma mulher poderosa e inteligente, chamada Marisa Coulter, que promete ajudá-la a encontrar Roger e ir para o Norte. Com isso, Lyra se aproxima dela, deixa a universidade e recebe um misterioso artefato do reitor, que orienta segredo. É assim que ela parte para uma jornada de descobertas sobre o mundo, o Pó e sobre si mesma.

Personagens complexos

Um dos melhores aspectos da leitura de A bússola de ouro é que o livro apresenta personagens marcantes e complexos em suas características e desejos. É muito difícil dizer que algum dos personagens é totalmente mau ou bom, porque ao longo da história objetivos e sentimentos deles tornam suas ações coerentes, mesmo as mais perversas.

Além disso, é maravilhosa a forma como Pullman construiu as crianças da narrativa: elas pensam e agem como crianças, marcadas pela inocência de não conhecer determinados mecanismos dos adultos e ao mesmo tempo resilientes o bastante para sobreviverem a situações difíceis que enfrentam.

Um universo rico

Outro fator positivo da leitura é que a narrativa se passa em um mundo paralelo muito bem construído. Não tão diferente do nosso, o mundo de Lyra conta com os daemons, feiticeiras e ursos de armadura que falam e lutam ferozmente. O funcionamento das instituições é muito semelhante ao do nosso universo, apesar de nomenclaturas serem diferentes.

E ainda melhor do que o universo rico é a forma como ele é apresentado ao leitor: não há longos trechos de descrições e contextualizações, as informações aparecem de forma muito orgânica no texto, em falas dos personagens ou pensamentos de Lyra, o que torna a leitura muito fluída.

Ação contínua, leitura ágil e reflexiva

A narração fluída, unida ao fluxo de ação constante que constrói a história, torna a leitura muito agradável e rápida. E, apesar de o livro ter menos de 400 páginas, apresenta muitos acontecimentos, sem saturar o leitor ou deixá-lo perdido. Com capítulos bem delimitados e uma história que progride rápido, é possível concluir o livro com rapidez e, ao mesmo tempo, curtir e se sentir imerso nele.

Além disso, ao longo do livro, que inicialmente parece uma simples história de magia e fantasia, reflexões muito interessantes sobre a sociedade são estimuladas pela história. Questões como diversidade e preconceito em relação a diferentes povos, a censura e as ações controversas guiadas pela fé são abordadas nas entrelinhas do texto com maestria.

Adaptações

A Bússola de Ouro foi adaptado para filme em 2007, com elenco de renome (Daniel Craig e Nicole Kidman, por exemplo). Mas, mesmo sendo uma adaptação bem feita, não ganhou sequência.

Em 2019, de uma união dos canais HBO e BBC, foi lançada a série His dark materials, que pretende adaptar a trilogia completa. A primeira temporada, que corresponde basicamente aos fatos do primeiro livro, já foi lançada e a segunda temporada já foi confirmada e deve ir ao ar no final de 2020. A qualidade da série é inegável e a adaptação é bastante fiel (o autor, inclusive, participa da produção).

Concluindo…

Em tempos nos quais nos deparamos com muitas obras de fantasia “mais do mesmo”, Fonteiras do universo é uma série que apresenta alguma diversidade, sendo instigante e refrescante. A leitura vale muito a pena pela criatividade, a boa construção da história e dos personagens e por suas entrelinhas que podem estimular reflexões interessantes. Tanto para os leitores mais assíduos de fantasia quanto para quem procura um livro gostoso de ler e bem amarrado, essa é uma boa pedida.

Nota

Cinco selos cabulosos. A maior nota do site.
Cinco selos cabulosos. A maior nota do site.

 

 

 

 

Garanta a sua cópia de A Bússola de Ouro e boa leitura!

Ficha técnica

Não esqueça de adicionar ao seu Skoob!

Título: A bússola de ouro
Autor: Philip Pullman
ISBN: 9788556510426
Ano: 2017
Páginas: 344
Idioma: português
Editora: Suma de Letras
Sinopse: Lyra Belacqua e seu daemon, Pantalaimon, vivem felizes e soltos entre os catedráticos da Faculdade Jordan, em Oxford. Até que rumores invadem a cidade – são boatos sobre os Papões, sequestradores de crianças que estão espalhando o medo pelo país. Quando seu melhor amigo, Roger, desaparece, Lyra entra em uma perigosa jornada para reencontrá-lo.

O que ela não desconfia é que muitas outras forças influenciam seu destino e que sua aventura a levará às terras congeladas do Norte, onde feiticeiras e ursos de armadura se preparam para uma guerra. Embora tenha a ajuda do aletiômetro – um poderoso instrumento que responde a qualquer pergunta -, nada a prepara para os mistérios e a crueldade que encontra durante a viagem. E, mesmo que ainda não saiba, Lyra tem uma profecia a cumprir, e as consequências afetarão muitos mundos além do dela.