Perdidos na Estante #004 – Os 13 Porquês

6

Salve, salve podosfera! Nesse episódio do Perdidos na Estante vamos embarcar no trem do hype e falar da série mais comentada das últimas semanas! Domenica Mendes e Priscilla Rúbia convidam o psicólogo Vitor Assis para comentar sobre a série original Netflix, 13 Reasons Why, baseada no livro Os 13 Porquês de Jay Asher. Por que a série fez tanto sucesso? Ela é importante? Ela é perigosa? Vem descobrir com a gente!

Antes de começarmos, se você viu a série e se identificou com que a Hannah sente, procure ajuda. O fim da Hannah não precisa e não deve ser o seu fim. Há uma cura para o que você está sentindo. Por favor, procure ajuda.

Site: cvv.org.br

Atenção!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY acima ou clique em BAIXAR.

Citados durante o programa

[Netflix] 13 Reasons Why
[Link] LocusPsiCast – Aquele Sobre Psicoterapia
[Atualização] Netflix coloca aviso no início de 13 Reasons Why
[Link] 13 Reasons Why faz pedidos de ajuda ao CVV dobrarem
[Link] Crítica da série pelo Pablo Villaça
[Link] Aviso sobre a série pelo psicoterapeuta Diego Souza
[Link] Como ajudar alguém que sofre de ideações suicidas?
[Podcast] Mamilos – Depressão
[Podcast] Mamilos – Suicídio 

Compre

[Amazon] Os 13 Porquês

Agradecimentos:

Ao Paulo Elache pela abertura desse episódio
A todos que compartilharam conosco suas experiências com bullying, nosso abraço e muito obrigado.
Arte de logo e layout de vitrine: Rebecca Agra

  • Adriana Rodrigues

    Primeiramente eu gostaria de agradecer por vcs terem incluído o meu depoimento. Me ouvir relatar tudo o que eu passei quando era criança, as perseguições por sempre desconfiarem que eu sou lésbica, me fizeram perceber que por exemplo mt coisa que eu passei ainda me afeta. Parabéns pelo cast, ficou mt sensível, o modo como vcs retrataram a série e o assunto bullying e suicídio foi mt cuidadoso. Que orgulho de vcs!

  • Carlos Valcárcel Flores

    Olá!
    Eu assisti o seriado e gostei muito -no inicio-, inclusive recomendei para varias pessoas. Depois de cada capítulo discutia muito com minha esposa sobre cada caso apresentado, se os “porquês” eram justificáveis ou exagerados, sobre os efeitos das mídias sociais no bullying. Para mim foi um seriado de mistério, e queria saber o que o Clay – que parece ser um cara bom- teria feito contra a Hannah. Contudo, na fita dele Hannah confessa que ele não merece estar lá. (Pouco se fala sobre o estado mental do Clay, ele já tinha sofrido bullying, e anteriormente já tinha sido medicado, sofria alucinações, então Hannah -sem saber- fez mal para ele). Não gostei dos avisos nós últimos capítulos, também certas incongruências na série, e não gostei do final aberto. Por outro lado acho legal que o seriado tenha aberto uma discussão sobre bullying e suicídio, e que muitas pessoas estejam procurando ajuda depois de assistir esse seriado.
    C.

  • Lilian Gouveia

    Parabéns pelo episodio.. gostei da maneira como foi abordado e me identifiquei muito com as sensações que vcs relataram ao assistir a série.. tbm em vários momentos quis abraçar a Hanna e dizer que iria ficar tudo bem…
    (SPOILER) desabafando… na cena qdo ela diz para os pais q está pensando em ir em uma festa e a mãe fala pra ela ir… dai ela argumenta q tem coisa da escola pra fazer e a mãe insisti pra ela ir na festa.. nesta parte eu na mesma hora gritei em meus pensamentos.. como estes pais acharam normal a filha contra argumentar dessa maneira.. mesmo q não fosse nada grave.. como eles não deram mais atenção pra ela naquele momento??? não estou querendo colocar a culpa nos pais.. e q este fato foi decisivo.. mas pelo q assisti se Clay está na fita o pais deveriam estar tbm.. ela mesmo diz q Clay está na fita pra contar a cadeia dos acontecimentos… só desabafo mesmo.. pq acho q os pais não estão por se a visão de Hanna.. uma adolescente q gosta dos pais..
    Eu descordo também de alguns q viram na série uma vingança.. acho q este é assunto de outra série… não existe a verdade absoluta.. foi a visão dela e o impacto q isso causou nela.. não acho justo q por isso relevar o q foi feito pelos 13… não é uma série sobre o bem e o mal.. o preto e branco.. mas sim todas as tonalidades de cinzas q a série poderia abordar sobre este assunto…
    Acho q a série é muito mais para os adultos.. até a Domenica mencionou.. entendemos os erros cometidos pelos adolescentes exatamente por serem adolescentes.. e eles são imediatistas.. mas deveriam haver adultos corrigindo e ensinando a viver em sociedade.. com respeito.. com senso coletivo… por isso achei excelente como a série termina com a ultima razão ser exatamente um adulto.. apesar q pra mim ele levou sozinho por todos os adultos… mas achei coerente visto q as fitas são relatos do ponto de vista dela.. e o conselheiro foi o adulto q ela mais efetivamente pediu ajuda… e nesta parte expõe a critica a sociedade.. agindo de maneira egoísta e hipócrita sob convicção do bem coletivo.. e pior repassando isso a nova geração..

  • Walisson Andre

    Ola,
    Apesar de não ter assistido o seriado eu gostaria de fazer uma recomendação sobre Sangatsu no Lion que é uma animação japonesa (anime) que passou entre outubro de 2016 e terminou em março de 2017 e conta a historia de Kiriyama Rei que tem 17 anos e é um jogador profissional de shogi, Kiriyama Rei perdeu a sua família em um acidente quando era criança. Mora sozinho por causa de problema com a sua familia adotiva, e não tem quase nenhum amigo.Ele sofre de quase os mesmo problemas da protagonista do 13 Reasons Why (tirando a parte do estupro) mas decidiu seguir em frente com a sua vida.

    • Walisson, o anime que estou vendo no momento é Sangatsu no Lion e realmente dá pra fazer esse link. Depois vou fazer uma resenha do mesmo!

  • Rita De Cássia

    Acabei de ouvi o cast, e devo admitir q chorei tudo de novo, algumas cenas, como a do garoto apertando a bunda dela ou quando o outro não aceita o não no encontro, a reação de não reação é algo mt comum(infelizmente), mts meninas ficam paralisadas diante disso e depois são julgadas por ter “permitido”. Sobre o Bullying, passei por diversas situações na época da escola, e tristemente uma de minhas professoras não só não estava preparada como tbm foi quem o fez, espalhando conversas sobre mim para toda a escola, somente quando me tornei mais confiante perante toda a gozação e aceitando oq eu era foi q consegui superar tudo isso, mas é impossível dizer q ainda não existem marcas irreparáveis. A série é mt importante sim, abordar o assunto é necessário para que o debate ocorra.