Guanabara Real – A Alcova da Morte | Enéias Tavares, Nikelen Witter e A. Z. Cordenonsi

2

Biblioteca Cabulosa, 31 de março de 2017 – Edição Extra

EXTRA! EXTRA! COQUETEL DE INAUGURAÇÃO ACABA EM SANGUE NO CORCOVADO!

Os convidados da festa buscavam uma noite tranquila, mas o crime não dá trégua na “Cidade Maravilhosa”

Rio de Janeiro. No último dia 15 de julho de 1892, todos voltavam seus olhos para o alto do Rio de Janeiro: era chegada a tão esperada festa de inauguração do monumento do Barão do Desterro. A noite planejada para ser inesquecível cumpriu seu papel, mas por motivos alheios aos dos seus organizadores; além do júbilo e euforia, o mistério e violência presentes naquela noite ficarão gravadas na mente e coração dos cariocas e pessoas que estimam o Barão pelos próximos dias.

Enquanto todos os olhos se voltavam ao céu e a alta elite brasileira brindava sob o Corcovado, acontecimentos sinistros e sanguinolentos movimentavam a mente da polícia sob seus pés, nas camadas inferiores de terra. O LC Diário traz em primeira mão a notícia de algo terrível: ocorrera um assassinato nas terras do Barão e fora descoberta a Alcova da Morte!!!

“O corpo estava mutilado pelo que parecia serem dardos envenenados! Terei pesadelos por dias com aquela imagem grotesca”, relatou uma testemunha cuja identidade não podemos revelar. Segundo relatos dos presentes, o crime foi cometido dentro de uma área isolada, inacessível aos convidados. Como resultado, a morte não poderia ser outra a não ser de um trabalhador do Barão.

Segundo nosso amigo Dr.  Annibal L. Ecter, também presente no local, tal crime apenas pôde ser concebido por uma mente com conhecimentos admiráveis de engenharia e a existência de tal casulo para abrigar o fim da vida da vítima trazia pontos doces de mistério ao caso. Ainda  acrescenta que “tal acontecimento não seria possível nem mesmo nos sonhos mais escuros das mentes doentias!”.

O que intrigou (e alarmou) a polícia é que a morte foi causada por engenhoca que disparou os dardos assim que a vítima desinformada adentrou o recinto. E deixou a pergunta: a armadilha era para o trabalhador ou o pobre morreu por engano? Se a máquina mortal não era destinada a ele, então quem era seu alvo?

Como se já não houvesse mistério o suficiente entorno da morte, a trama se complicou ainda mais quando presenciamos desabafos melindrosos pelos cantos da serventia que trouxeram algo de mais terrível à tona: as paredes da Alcova da Morte estavam repletas de símbolos ocultistas escritos à sangue!!!

Felizmente, os associados da agência Guanabara Real aceitaram se envolver no caso. Essa que vos relata, sentiu-se confiante ao saber do interesse desta prestigiada agência no caso e agora espera uma solução de todos os envolvidos. Acredita-se que a coragem de Maria Tereza Floresta, a inteligência do senhor Firmino Boaventura e conexões espiritualizadas do senhor Remy Rudá são fundamentais para dar continuidade no desenrolar dos fatos.

A pedido dos investigadores, a reportagem deste jornal não pode divulgar mais dados sobre este caso. Para acompanhar toda a investigação, leia o informativo “Guanabara Real – A Alcova da Morte” lançado pela editora Avec e escrito por Enéias Tavares, Nikelen Witter e A. Z. Cordenonsi.

Por hora, apenas aconselhamos que se evite adentrar recintos sem a devida atenção e convite.

Análise Crítica

Tal obra é de valor inestimável para a nossa literatura, apresentando os melhores elementos de um romance policial e universo steampunk.

Na edição impressa, as páginas amareladas apresentam as letras em boas fontes, parágrafos bem colocados e editados. O processo criativo é de louvável admiração, proporcionando aos leitores e leitoras a oportunidade de tentar traçar a identificação dos autores por trás dos personagens. Tal qualidade se estende às obras digitais, cabendo ao leitor definir a melhor forma de adentrar esse universo e se surpreender com tais relatos assustadores e engenhosos.

Ao final da leitura, a esperança de que haja continuidade nos toca. De outra forma, o que será de nós, nesse Rio de Janeiro que nunca existiu?

Nota: 

Autoria

Enéias Tavares é escritor, tradutor e professor na UFSM. Autor do universo “Brasiliana Steampunk”, é responsável pela escrita de “A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison“, primeiro volume da série, vencedor do concurso Fantasy! em 2014 (Editora Casa da Palavra/LeYa) e finalista do Prêmio Argos em 2015. Para “Guanabara Real”, Enéias traz a mitologia de seus personagens favoritos aliados à sua mente apaixonante, além de dar um jeitinho de trazer seu escudeiro Adamastor para a trama (além de suas felinas, é claro!).

Nikelen Witter é escritora, historiadora, professora e pesquisadora. Desde 2011 publica contos em antologias diversas. “Territórios Invisíveis”, lançado em 2012 é seu primeiro romance e foi publicado pelo Selo Fantas, da Editora Estronho. O livro é finalista do Prêmio Argos — concedido pelo Clube de Leitores de Ficção Científica — de 2013. Nikelen é a mente por trás da narrativa e fatos centrais de “Guanabara Real – A Alcova da Morte”, além de criadora da personagem feminina mais surpreendente que você terá o prazer de conhecer nessas páginas.

A.Z. Cordenonsi é escritor, roteirista e professor na Universidade Federal de Santa Maria (RS). Em seu escopo de trabalhos já publicou vários contos de ficção científica, fantasia e terror. Em 2014, foi finalista do prêmio Argos e atualmente se dedica ao projeto Le Chevalier, que, segundo a Editora Avec, mistura personalidades reais e da literatura para recriar a França do final do século XIX em um universo retrofuturista recheado de intrigas, espionagem e muita aventura. Por falar em Avec, o primeiro romance de Cordenonsi, “Le Chevalier e a Exposição Universal”, além da HQ “Le Chevalier: Arquivos Secretos” (trabalho em parceria com Fred Rubim) também constam no catálogo. Em Guanabara Real, Cordenonsi dá vida a um personagem intelectualmente viciante e que chama a atenção por seu raciocínio lógico, além de força moral por ser um sobrevivente a uma das piores coisas que humanos fazem ao longo do tempo: o racismo.

A Editora Avec possui um foco na literatura Fantástica (Terror, Fantasia e Ficção Cientifica) e quadrinhos e iniciou suas atividades em 2014. Incentivando literatura brasileira, a editora traz novas obras ao mercado, apostando alto em nossos jovens autores. Seu novo lançamento “Guanaraba Real” é o primeiro volume de uma possível nova série.

Booktrailer

Ficou interessado(a)? Então compre o livro nos links abaixo:

Amazon (livro físico)

Não esqueça de adicionar o livro no Skoob

Nome:
Guanabara Real: A Alcova da Morte
Autores: Eneias Tavares, A.Z. Cordenonsi, Nikelen Witter
Edição: 1ª
Editora: AVEC
Ano: 2017
Páginas: 240
Sinopse: Brasil, 1892. Durante a noite de inauguração da estátua do Corcovado, um horrendo crime toma de assalto a alta sociedade carioca. Para resolver o mistério, a investigadora particular Maria Tereza Floresta, o engenheiro positivista Firmino Boaventura e o dândi místico Remy Rudá terão de se embrenhar numa perigosa trama de poder e corrupção. O que parece mais um caso, aos poucos se revela um plano que põe em risco o futuro de todo país e para impedi-lo, a agência de detetives Guanabara Real terá de usar toda a sua perícia para solucionar os enigmas tecnológicos e os mistérios arcanos da sangrenta Alcova da Morte!
Uma trama de investigação policial. Um enredo de ficção científica. Um crime de horror sobrenatural. Três autores, Três heróis, em um Rio de Janeiro que nunca existiu!

 

 

 

  • Fabiana Murray

    Domenica, eu amei sua resenha. Quando eu crescer, quero fazer uma assim viu? Pena que estou lisinha, porque era compra na certa. Estou encantada com a história do livro.

    • Oi, Fabi!
      Obrigada por ter lido <3
      Fico feliz que tenha se interessado pelo livro. Quando tiver oportunidade, compre! É uma delícia! Li super rápido (só dois dias).
      Abraços,
      Do