CabulosoCast #201 – Inteligência Artificial

19

Olá Cabulosos e Cabulosas! Neste capítulo, à pedidos do padrinho, Ezequias Campos, falaremos sobre como a literatura de ficção científica trabalha com o conceito de inteligências artificiais. Dividimos o programa em duas parte: na primeira, exploramos obras antigas; na segunda, comentamos obras mais atuais e como o conceito de IA traz novas problemáticas. Participaram deste episódio: eu (Lucien o Bibliotecário), Ezequias Campos, Igor Rodrigues do Drone Saltitante, Juliana Ponzilacqua do Mundo Freak e Ponto G e nosso pai da FC, Paulo Elache do Podespecular.

Atenção!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir o CabulosoCast!

Quer baixar o episódio em arquivo rar?

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Citados durante o programa

Compre

Mídias Sociais

Assine nosso Feed

Nossa Página no iTunes

Nossa Página do You Tuner

  • Willi Wonka

    Pessoas, o link do facebook do site tá duplicado e aparece assim.
    https://www.facebook.com/https://www.facebook.com/leitorcabuloso

  • Paulo Elache

    Parabéns pelo programa, Lucien, edição que mantém a graça de nosso papo durante a gravação 🙂
    Ouvindo o cast percebi que fiz várias indicações, mas me esqueci de passar os links pra você, Lucien.
    Por exemplo, o filme russo baseado no livro “O Fim da Eternidade”, de Isaac Asimov. “Konets vechnosti” (1987), como é conhecido em russo, pode ser encontrado no YouTube:
    Parte 01: https://www.youtube.com/watch?v=MrqwFgrluyY
    Parte 02: https://www.youtube.com/watch?v=lq6YiDYarR4
    Link sobre o filme no IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0298960/

    Em breve deixarei aqui todos os links dos livros e filmes que citei.

  • Juliana P.

    deixem-me eu mesma, mesmíssima, dar uma canelada em mim mesma?
    Watson montou SÓ O TRAILER de Morgan, e não o filme, como eu disse, ok? 🙂

    • Essa informação continua sendo assustadora, né?
      Watson escolheu uma visão bastante interessante do trailer.
      Obrigada por trazer isso à tona. Vou procurar o filme.

      • Juliana P.

        olha, eu sou suspeita pra falar, porque eu sou fã da protagonista como atriz! hehe
        não sei se esse filme se enquadraria nos melhores que já vi, mas pelo menos foi um thriller que saiu do lugar-comum e do jumpscare (comum, também). gosto da ideia de um terror vindo de algo que criamos e achamos tão perfeito.

    • Laine

      Jamais iria imaginar isso. Momento que ouvi e pensei se os Jetsons já estariam aqui. rs rs Aí dá um medinho estilo Black Mirror.
      A gente já se acostumou mas outra coisa estranha são os atendimentos do call center que perguntam pra gente dizer qual o problema, o computador processa, fala o que é ou diz que não entendeu… Dá agonia isso…
      Também a navegação da Internet que coloca a propaganda da loja que acessei e só OLHEI, nem coloquei no carrinho, me incomoda muito. Tipo, o computador está me assediandoooooooooooooooooo.
      Primeira vez que comento e falei muito.
      Foi ótimo Juliana. Estou pensando no programa que ouvi hoje até agora. Muito bom isso.
      o/

  • King Buddy Holly

    Parabéns ao leitor cabuloso por mais essa obra de caracterização de um gênero literário!

    E parabéns principalmente pela escolha dos podcasters – com a nata do conhecimento da ficção científica.

    Quanto ao assunto de IA na ficção científica; além dos citados Asimov e K. Dick outros que sempre merecem ser relembrados no gênero com a abordagem do tema de IA são Robert A. Heinlein e Brian Aldiss.

    E um pedido ao ilustríssimo Elache! Onde é possível encontrar todos do congelado podespecular?

    Abraços do amigo King!

  • Ultimamente to desgostando cada vez mais desses discursos filosóficos do Igor. Todo mundo contribui com o podcast construindo um dialogo envolta do assunto, ai o Igor não, o cara começa a filosofar, vai parar la em outra coisa, depois volta e conclui com o assunto. Lucien devia fazer o Igor se ater melhor a pergunta ou oque é direcionado a ele, porque chega a da sono e até esqueço o que foi perguntando pro cara.

  • Isabela O.

    E por acaso nós humanos também não somos assim? Somos inteligentes mas não temos autonomia pra fazer tudo o que realmente queremos fazer por conta de estigmas e amarras sociais e morais… com os robôs é a mesma coisa, eles são inteligentes, possuem uma ‘mente’ semelhante a mente humana, mas ainda assim não possuem autonomia o suficiente pra fazerem tudo o que querem.

    E sobre essa coisa de inteligencia artificial que podem substituir os humanos no futuro, ‘tomar’ nossos empregos, que irão se rebelar contra nós e etc… eu acho que devo ser MUITO otimista pois não imagino algo desse tipo acontecendo hahahahaha.
    E SE acontecer, será daqui a dois ou três séculos… ou seja, nem estarei mais aqui haha

    Neuromancer é um dos livros que li faz certo tempo, fui com a maior expectativa e não passei do primeiro volume. Acho que devo ter lido o livro ‘cedo’ demais, pois vivo lendo resenhas e ouvindo as pessoas falar sobre ele e acho que não absorvi 100% do livro. Talvez eu devesse dar uma segunda chance e ler novamente.

  • Gente, o episódio foi tãooooooo longo, que agora que cheguei ao final já não lembro o que eu queria comentar no início, kkkkk.

    De todo modo, foi um episódio muito legal! Para mim, ficou a indicação dos livros da Becky Chambers (difícil esquecer esse nome de personagem de Resident Evil, haha). Se existe uma sci-fi good vibe, eu vou é cair de cabeça.

    Abração!
    https://www.youtube.com/karensoarele

  • Episódio que cita Pery Rohdan já ganha 4 estrelas automaticamente. Ainda estou ouvindo mas vou anotando aqui as sugestões e textos que preciso reler

  • Laine

    Oi pessoal. Primeira vez que comento mesmo já tendo assistido incontáveis episódios do CC. Mais um belíssimo programa de um tema que estou começando na literatura. Li o Asimov (Eu Robô), amei e tenho outros livros do gênero aqui em casa.
    Após desfrutar com a conversa de vcs e perceber o que é ser um fã de ficção científica, tive uma percepção que, assim como alguns tipos de livros, existe um aprofundamento de algumas histórias. Ou seja, da mesma forma que um leitor iniciante pode não desfrutar imediatamente do Machado de Assis, por exemplo, algo semelhante pode acontecer com a ficção científica. É isso mesmo? O Neuromancer eu já descartei depois que falaram. rs rs rs
    Então, entre os autores que estou me organizando para ler, Philip K. Dick, Frank Herbert, Arthur C. Clarke seriam mais avançados, enquanto o Asimov e Ray Bradburry são mais fáceis de iniciar?
    Adorei as indicações de mulheres pq até então só conhecia a Ursula K. Le Guin. E estou doida pra ler os contos.
    Bjs a todos.
    Laine

  • Claudio Marques

    Só passando pr agradecer do fundo do meu coração por essa aula, OBRIGADO!!! aqui em casa
    fazemos encontros só pr ouvir esses mestres da FC, por favor “façam e refaçam mais cast sobre FC”!!!!
    Só um pedido de um fã… Façam um Cabaulosocast sobre a “trilogia sprawl” (*convidem
    Fábio Fernandes pr essa equipe maravilhosa, gostaria de ouvir Paulo Elache, Igor
    Rodrigues e Fernandes conversando sobre trilogia sprawl ), geralmente a galera só fica no
    Neuromancer, creio que nos outros livros ”Conut zero, Mona Lisa Overdrive” William
    Gibson consegue fechar bem, até explica melhor os fatos ocorridos em
    Neuromancer, acho que valeria muuuuuito a pena um cast sobre essa trilogia, que
    pr mim é uma das melhores coisas que já aconteceu no gênero da FC e na minha
    vida!!!!

    *Sugeri esses nomes por conta de sua historia pessoais com essa obra, mas sem desmerecer ninguém, pois todos que já passaram nos cast deixaram uma enorme contribuição.

  • Pingback: 5 podcasts valiosos sobre Inteligência Artificial | Zz Gonzalez()

  • Pingback: 5 podcasts valiosos sobre Inteligência Artificial - Mauro Segura()

  • SmokeE3 .

    Ótimo programa! Só não consegui entender pq o monstro de Frankenstein teria IA, já que o monstro em si é uma obra humana, mas ele veio ao mundo sem inteligência alguma, inclusive há toda aquela narrativa de como ele adquiriu inteligência. Mais pra frente, quando ele mata o irmão mais novo de Frank, ele não mata por causa de sua inteligência, ele mata por um acesso de raiva e ódio de seu criador, ele sabia que o menino não era “o” Frankenstein mas o ódio o levou á isso.
    Pra mim todo esse enredo era enfatiza que ele possui uma inteligência natural, e até mesmo humana.

    • Gladson Pendragon

      O monstro não tem inteligência natural, pois ele era uma criatura morta (mesmo sendo orgânica) que ganha vida por meio de um processo científico, portanto, artificial.

      • SmokeE3 .

        Nessa caso, vida artificial, inteligência natural?

        • Gladson Pendragon

          O conceito de inteligência difere de campo da ciência para outro. Um computador que “aprende” com experiências anteriores é considerado uma AI, mas certamente, até onde sabemos, ele não tem consciência. Um golfinho certamente tem uma inteligência acima do normal, mas será que tem consciência de si? O Monstro de Frankenstein adquire ao “nascer” uma inteligência orgânica, mas o livro não diz se as células que dão essa inteligência estão todas mortas ou apenas algumas delas. Nada sabemos sobre como estava o cérebro da criatura, mas é possível inferir que todas as células já estivessem mortas, visto que levam de 3 a 7 minutos para isso. Quanto à consciência de si, bem, isso fica para cada leitor….