CabulosoCast #183 – A Coisa

11

Olá Cabulosos e Cabulosas do meu Brasil e Booklovers de todo mundo! Neste capítulo, eu (Lucien o Bibliotecário), Priscilla Rúbia, Domenica Mendes, Lucas Ferraz, Paulo Teixeira e Rodrigo Fernandes falaremos sobre um clássico da literatura de terror contemporânea: A Coisa do mestre Stephen King. Apaguem as luzes, vão para debaixo de suas cobertas, ponham os fones de ouvido e vamos ao programa desta semana! Um bom episódio para vocês!

Atenção!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir o CabulosoCast!

Quer baixar o episódio em arquivo rar?

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Citados durante o programa

Recomendamos

Mídias Sociais

Assine nosso Feed

Nossa Página no iTunes

Nossa Página do You Tuner

  • Vitor Sandrini de Assis

    Putaquepariu! Que felicidade acordar e dar de cara com este cast no meu feed!! Meu livro favorito do meu autor favorito e meu top2 no geral!!! Começando a ouvir agora e quando terminar volto pra comentar!!!

    • Vitor Sandrini de Assis

      Olá, Cabulosos. Vamos às devidas apresentações de fato porque me empolguei no comentário anterior. Sou Vitor Assis, podcaster e psicólogo, residente em Cariacica-ES e lendo Toda Luz que Não Podemos Ver, de Anthony Doerr, e Maze Runner: Prova de Fogo, de James Dashner.

      Em primeiro lugar, só pra avisar que adorei o episódio sobre meu livro favorito do King. Temia muito o que surgiria do cast pois tenho muito carinho pelo livro e temia por críticas, principalmente do Lucas, que pisoteia sem dó aquilo que ele não gosta. Mas o episódio foi bem legar e digno do meu afeto pelo livro.

      Bom, li A Coisa há 14 anos e é ainda hoje um dos meus livros da vida. Isso porque me identifiquei demais com os personagens. Quando criança eu vivia isolado em casa por medos que minha mãe tinha, então costumava brincar sozinho. Não sofri exatamente bullying, mas também não era dos mais populares por ser gordinho quando criança e na adolescência usar óculos e ter o rosto cheio de espinhas. Ao ler o livro, me senti parte integrante do clube dos perdedores. Adorei o nome logo de cara. Sentia que era um deles, de certa forma rejeitado, mas especial para as pessoas certas. Esse fator emocional foi determinante para minha relação com o livro e ele ser um dos preferidos até hoje.

      A minha única crítica ao livro desde que o li foi exatamente a cena criticada por todos no cast. Achei gratuita, sem o menor sentido e de extremo mau gosto. Na verdade, me senti perdendo um pouco da inocência da vida ali. Não que eu fosse novinho na época e o próprio livro mostra grandes horrores na forma da violência do Pennywise/Parcimonioso, mas aquela não era a relação das crianças. Era uma relação construída por um elo de amizade, de confiança e de amor. Se ele quisesse explorar a descoberta da sexualidade deles, que fizesse de outra forma e não uma fila indiana a pedido da Bev. Assim como a Domenica, não aceito qualquer explicação para a cena. Porém isso ainda não desmerece o livro para mim.

      Agora, como o King consegue construir bem um suspense, não? Você fica o livro todo esperando a grande batalha de pedras! E não decepciona.

      Sobre os finais do King, por mais que ele diga que sabe os finais e tal, pra ser sincero acho isso puro migué dele. Minha visão é de que ele é muito bom em criar situações difíceis e criar personagens com muita profundidade para vivenciá-las, porém não faz ideia de como terminar a história. E sabe de uma coisa? Acho que ele liga o foda-se e faz qualquer coisa no final porque o que importa é a trama e os personagens tentando sobreviver aos horrores que ele cria. E aprendi a aceitar isso para viver bem. É como o citado final de A Dança da Morte: o livro é foda demais e que se dane o final. A jornada é válida. O deus ex-machina que ele cria não me incomoda porque aprendi a esperar isso dele. Em Sob a Redoma, outro livro dele que adoro, eu estava tão envolvido com a trama que não me importei com a resolução: até esperava algo tosco assim. Mas os personagens e o enredo são demais. E pra ser sincero, assim como temos que aprender a lidar com as coisas da vida que nos desagradam para sobrevivermos, larguei de mão os finais do King pelo prazer da jornada.

      Por fim, recomendo a leitura do livro (a indiquei pra minha esposa, que está há quase 3 anos tentando terminar). Comecei a ler o autor por Cemitério Maldito, mas depois de já ter visto o filme (VHS duplo de 5h45 no total) de A Dança da Morte, quando virei fã da obra do autor. Depois de um filme tão longo era amar ou largar! Sugiro que comecem a leitura por Carrie, A Estranha, livro interessante demais e curto, pra se ambientarem com o jeito da escrita do autor.

      No mais, agradeço à equipe cabulosa por me fazerem reviver os bons momentos da leitura desse livro e em especial à Priscilla por recomendá-lo (desde que ela falou que gostava desse livro estava aguardando um cast sobre ele). Grande abraço a todos, que venham mais cast sobre o autor e Vida Longa ao King!

  • Carlos Valcárcel Flores

    Olá Cabulosos
    -A Coisa (It) foi o primeiro livro de King que li, e fiquei viciado! Estava de ferias, e em três dias já tinha lido a metade do livro, até achar uma problema de paginas faltantes na minha edição. Levei esse tijolo de livro até a livraria para que troquem por uma nova versão…e terminei em uma semana eu acho.
    -No episódio se menciona que o livro tem muitas partes desnecessárias. Eu acho o contrario. O livro cria toda uma mitologia sobre Derry. Muitas dessas historias ajudam a entender a cidade e sua relação com a “coisa”. Dizem que o diabo mora nos detalhes, e este livro tem muitos.
    Alguns pontos sobre a obra (contêm spoilers):
    -A maioria das crianças deixam Derry e terminam sendo muito bem sucedidas. Pelo que eu entendi, foi Pennywise quem deu esse “presente” para que elas nunca mais voltassem. Ao contrario, Mike, que ficou em Derry, não é bem sucedido.
    -Existe uma magia que defendia ao clube dos perdedores por serem crianças. Se não me engano (já são quase 10 anos que li o livro), o Pennywise comenta isso para o grupo quando eles já eram adultos. Então, se eles não conseguiram vencer à “coisa” com essa magia a seu favor, seria muito difícil quando adultos. E uma missão suicida, essa sensação me acompanhou por todo o livro.
    -Existe uma descrição de um tiroteio no velho oeste, assim como o ritual das crianças onde elas descobrem a origem da “coisa”. Essas são umas das partes mais legais do livro, para mim.
    -Eu não lembro sobre uma terceira entidade cósmica. Ainda que achei muito estranho a “morte” da tartaruga, a não ser que seja uma alegoria. Representando a morte da magia nas crianças.
    – E sobre a tartaruga, eu não achei que seja um elemento para não levar o livro a sério. Segundo a mitologia indiana, o mundo é carregado nas costas de quatro elefantes e estes na sua vez jazem no casco de uma tartaruga. Existe um mito similar nas tribos norte americanas.

    Caros, o episódio foi muito legal. Já tinha esquecido alguns detalhes desse livro, e ate me deu vontade de ler de novo. Só existiu um problema, os spoilers sobre The Stand e Under the Dome. Um desses já li, mas como bom fã do King, esperava ler o outro.

    Abraço
    Carlos

    • Carlos, em primeiro lugar é uma felicidade encontrar outros das do autor.
      Com relação a entidade q mencionaram, eu tb não lembrei de primeira. Eles se referiram, basicamente, a essa frase. “E ele ouviu claramente a Voz do Outro; a xxxxx podia estar morta, mas o que a tinha criado não estava.”
      Com relação a spoilers, nos referimos a obras antigas, em alguns casos muito antigas mesmo, e mencionamos o elemento, nas não como ele interage com a história. O objetivo não é estragar a experiência de ninguém, mas mostrar como ele leva o Deus Ex Machina até um nível todo novo e absurdo. Além desses q vc mencionou, ainda Mencionamos o fim de mais dois livros clássicos, mas maneira ainda mais sutil.
      Agora é “pressionar” o chefe para um q não seja sobre obra, mas sobre o autor e suas características.

  • Paulo Felisbino

    Olá Cabulosos! Nunca li nem assisti o filme, achava que se tratava de um palhaço assassino demoníaco, e só. Fui surpreendido positivamente, vou correr atrás! Uma curiosidade, qual a trilha sonora desse episódio?

  • Vanessa Straioto

    parabéns, adorei esse podcast.
    amo king e gosto muito desse livro…
    e tenho medo de palhaços, em grande parte por causa da Coisa.
    ja li quase tudo do king, e ele geralmente caga nos finais…kkkk
    otimo podcast mesmo, deu ate vontade de ler novamente, mas so durante o dia…

    • Precisa ler de novo não, pega um novo dele. Só esse ano acho q ele lançou uns 3 =D
      Que bom que você gostou da discussão Vanessa. Agora é torcer por mais material do doidinho de 80 anos…

  • Gian da Silva Calixto

    Mentira que vcs fizeram um cabulosocast sobre esse livro! Caraca, eu
    terminei a alguns dias e não achei 1 podcast sobre essa budega lol. Vou baixei ele aqui e depois volto pra comentar.

    vlw

  • Fala aí pessoal, beleza?
    Também já li A Coisa e até aproveitei para escrever uma resenha sobre ele. Esse foi o segundo livro do King que eu li. O primeiro foi A Espera de um Milagre. Também já li Sobre a Escrita e atualmente estou lendo a série A Torre Negra, chegando na metade do 5º livro. Realmente It é um livro enorme que assusta pelo tamanho, mas a leitura é fácil se for feita com calma. Acho que terminei em três meses. Apesar de haver muitas histórias dentro do livro que os próprios protagonistas não tomam conhecimento, acho que isso ajuda na hora de dimensionar a Coisa para os leitores. Já a cena do sexo foi mesmo desnecessária e entrou por puro capricho do autor.
    Estou curioso para ver a nova adaptação que estreia ano que vem. Espero que pelo menos honre a essência do livro.
    Enfim, foi muito divertido ouvir vocês comentando sobre este livro que gosto tanto. Abraços a todos!

  • Foi mal gente, eu parei de ouvir depois que o Lucien falou dos spoilers. Eu nunca assisti, nem li nem nada. De Stephen King, só li Sobre a Escrita, e vi os filmes Saco de Ossos, Carry (o remake) e O Iluminado. E talvez algum que eu não me lembre.

  • Gian da Silva Calixto

    Episódio muito legal esse do cabulosocast. Esse livro é muito foda, exceto a famigerada cena no final dos tuneis la quando eles são crianças ainda. Eu tinha lido a Torre negra antes e já sabia que os outros livros estavam meio que interligados a mitologia da mesma, e ainda assim fiquei surpreso com algumas referências fortissimas a elementos da saga(minha cara Maturin) nesse livro. Na minha opinião, o final dessa história foi muito bacana, contrariando o que geral diz, o Stephen King escreve finais zuados. Foi bem legal até(hy-oh Silver, vamooos!) Agora queria saber a opinião de vocês: é possivel que o King tenha dado uma brecha pra, quem sabe um dia, uma continuação dessa história? ( Alerta de Spoiler ) Já que numa das últimas cenas, quando dois do clube dos otários foram enfrentar a coisa, um deles ficou esmagando uns ovos lá, que aparentemente eram crias da criatura( Fim do spoiler )

    Quem sabe né?

    Vlw