Os 12 Trabalhos do Escritor #11 – Eric Novello: Na Mesa do Editor

20

E aí escritores? Tudo bem? Espero que sim! Chegou a hora de falarmos sobre a visão do editor, nessa jornada Hercúlea denominada por mim, A. J. Oliveira, como Os 12 Trabalhos do Escritor. E para essa tarefa, Eric Novello nos contará um pouco sobre suas experiências com o mercado editorial.

Espero que gostem!

Atenção!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir Os 12 Trabalhos do Escritor!

Quer baixar o episódio em arquivo rar?

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Citados durante o episódio

Recomendamos

Mídias Sociais

  • Então escreva para os12trabalhos@leitorcabuloso.com.br

Assine nosso feed

  • Não entendo essa parada de newslatter, não sei o que é feed, me ajuda? D:

    • AJ Oliveira

      Claro que sim, Magdiel! =]

      A newsletter é uma área onde eu poderei me comunicar com você facilmente, assim como com os outros ouvintes.

      É só você clicar no Link e inserir seu e-mail, então eu poderei lhe enviar todas as atualizações que ocorrerem no 12 Trabalhos.

      Já o Feed é uma espécie de endereço. Caso você baixe um agregador de podcast (app para ouvir o programa) com a assinatura desse Feed você receberá os episódio no seu aparelho celular através de atualizações semanais.

      Te ajudei? Qualquer pergunta, estou ao dispor! 😉

      • Aaaaaaaaaaaahm, entendi sim. Feed eu realmente não vou precisar. Mas newslatter é legal. Muito obrigado por me responder, eu já perguntei a outras pessoas que não me responderam.
        O negócio é, cadê o link pra se inscrever?

        • AJ Oliveira

          Hahaha. Faço o possível pra sempre responder. (pode olhar nos teus comentários dos outros posts rs)

          O link para a inscrição está na parte do “RECOMENDAMOS” logo abaixo do episódio. Lá em cima 😉

          • Eu sei AJ! Muito obrigado novamente. E foi mal,não tinha visto, mas já me inscrevi. o/

          • AJ Oliveira

            Aeeeew!!!! o/

  • Batalha dos Nerds

    Já assinei e recomendo para todos que gostam do assunto: livros.

    • AJ Oliveira

      Opa! Muito obrigado!

      Só uma pergunta, quem é que gere a entidade “batalha dos Nerds”? Fiquei curioso xD

      • Batalha dos Nerds

        sou eu, Lélio Braga Calhau.

  • Foi incrível ouvir o Eric falar com propriedade do mercado Editorial. O cast foi informativo e fica claro, que enxergar o livro como um produto e analisar o mercado editorial e as editoras é o primeiro passo para o profissionalismo.

    Apesar das diversas formas para se alcançar a publicação, devo elogiar o ponto ressaltado pelo Erick: Nada e ninguém possui mais valor que o texto.

    Em meio as informações recebidas, fiquei com uma dúvida. Na verdade, seria um receio.
    O livro é um produto. Sendo um produto, ele terá concorrência. Partindo desta premissa, começo as pesquisar os sites de vendas on-line e encontro obras de Neil Gaiman, Patrick Rothfuss, George R. R. Martin, J. K. Rowling e etc. Sei que estou sendo muito romântico e até mesmo bobo, mas não consigo olhar para essas obras e enxergar simples produtos. Ao me tornar um escritor, irei concorrer contra elas e vou oferecer somente um produto? Também devo mencionar, que para publicar o meu livro, tenho que levar em consideração o número de páginas, público em potencial e sendo até mesmo exagero, se a história é palatável ao grande público. Logo penso que esses autores consagrados não tiveram essas “barreiras”.

    Como lidar com esse receio e esta situação?

    • AJ Oliveira

      Fico muito feliz que tenha gostado do episódio, Wesley!

      Cara, sua pergunta foi muito, mas muito boa! Posso guardar pra responder no último episódio? Ta aí algo que muito vale ser abordado!

      Fico no aguardo da tua resposta 😉

      Um forte abraço!

      • Gostei não só desse como de todos.
        Responda quando quiser e agradeço pela atenção.
        Abraços

        • AJ Oliveira

          Maravilha!

          Pois então ficamos combinados. no episódio 7B eu respondo sua pergunta. Inclusive, vou até ver se pesquiso algumas coisinhas pra dar uma resposta mais concisa. Mas olha só, no episódio com o Barreto citamos o caso da Stephenie Meyer, É mais ou menos nessa linha 😉

          • Não quero dar trabalho, AJ. Esperarei pelo episódio 7B e ouvirei novamente os casts com a participação do Barreto.

  • Alex Almeida da Silva

    A.J., antes de mais nada parabéns por outro excelente episódio. A edição e o conteúdo ficaram sensacionais. Assim como os outros episódios, o #011 contribuiu para o meu conhecimento e aperfeiçoamento.
    Esse episódio me lembrou um fato que aconteceu comigo e vou compartilhar.
    Em 2007 (mais ou menos) um colega publicou um livro pela editora que a cada século fica mais nova. Na época ele pagou um valor absurdo (dava para comprar um carro popular) recebeu caixas de livros, não teve a divulgação e distribuição prometidas, a revisão ortográfica foi inexistente e pelo que li também não aconteceu uma avaliação crítica da obra. Do jeito que ele entregou foi publicado. Anos depois ele percebeu o golpe que levou e passou a maldizer a editora.
    Fim do ano passado, vejo esse conhecido recolhendo contos para a publicação de uma antologia. Entrei em contato e descobri que ele pretendia juntar uns 25 autores, cada um daria 300 reais e cada um receberia 10 livros. Ele ainda me disse que se eu vendesse cada um por 40 reais teria 100 reais de lucro. Na hora vi o absurdo da proposta e confesso que levei para o lado pessoal, nunca mais falei ou procurei esse colega. Fiquei ainda mais indignado por ele ter sofrido um golpe e querer fazer o mesmo.
    Espero que os 12 trabalhos e o leitor cabuloso consigam abrir os olhos dos escritores e falir essas pessoas que se aproveitam de sonhos alheios.

    • AJ Oliveira

      Mas que sacanagem!

      Cara, é realmente uma pena que seu amigo tenha sido pego pelo lado negro da força. Mas assim, o pior é que na maioria das vezes eles fazem a parada sem ter noção do quanto é destrutivo. Há muita gente que passou a pensar que “toda editora paga” e isso é um puta problema, já que essas pessoas acabam como massa de manobra para golpistas de mão cheia.

      Qual o nome (ou figura de linguagem haha) pra definir essa “Editora” do seu amigo?

      • Alex Almeida da Silva

        A que cobrou (golpeou) ele foi aquela que a cada século fica mais nova. A “editora” pela qual ele estava organizando a antologia eu não lembro o nome. Na vdd nem lembro se era uma editora ou se ele mesmo iria organizar a antologia iria contratar um capista, um diagramador e mandar para alguma gráfica.

        • AJ Oliveira

          Saquei!

          Digo isso pq essas editorazinhas, como disse o eric, se multiplicam que vc nem vê. Entao raramente esse tipo de ideia n parte delas

  • Davi Paiva

    Olá, AJ e time dos 12 Trabalhos!
    Programa excelente. O Eric tem autoridade pela experiência e pés no chão quando fala do fator do potencial de vendas e das trilogias para novatos.
    Só um adendo: o mercado de antologias é realmente complicado. Editor só se importa com grana, organizador só quer ter nome na capa, raramente o pessoal é instruído no tema, na técnica ou na necessidade de uma reescrita. Mas há exceções. E eu procuro fazê-la.
    Espero que um dia leia o meu trabalho para ver como ele deu certo dentro de sua proposta: construção da necessidade de estudo de escrita e hábito da reescrita, gerando um livro do qual todos podem se orgulhar.

    Abraços.

    • AJ Oliveira

      Olá Davi, tudo bem?

      Fico feliz que tenha gostado do episódio.

      Eu concordo com você que hajam exceções no que tange o marcado de antologias. Lá fora temos, por exemplo, “Wild Cards” que é gerida simplesmente por G.R.R.Martin. Por aqui, temos o trabalho impecável do Rodrigo Van Kampen pela Trasgo e o pessoal lá do Homoliteratus com a PulpFiction.

      E por favor, ficaria muito feliz em ler o seu trabalho. Ainda mais se me mostrar que foi desenvolvido sem o famigerado VanityPress. Afinal, minha sisma não é com o produto final, mas sim se o autor teve que pagar, e se sim, quanto em direitos autorais ele vai levar por cópia vendida. Inclusive, já até divulguei alguns autores independentes no 12 Trabalhos. Acho super válido =]

      Fico no aguardo 😉