CabulosoCast #178 – Gabriela Cravo e Canela

5

Olá Cabulosos e Cabulosas do meu Brasil e Booklovers de todo mundo! Neste capítulo, eu (Lucien o Bibliotecário) convidei Ana Luísa Vassoler, Maíra Porto Ribeiro e Rodrigo Basso para explorarmos a obra de Jorge Amado: Gabriela Cravo e Canela. Além da biografia do seu autor, vocês também saberão quais as igualdades e diferenças entre o livro e suas respectivas adaptações. Um bom episódio para vocês!

Atenção!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir o CabulosoCast!

Quer baixar o episódio em arquivo rar?

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Citados durante o episódio

Recomendamos

Padrinhos Cabulosos

Alexandre Bernartt Baggio | Carla Fernanda | Carlos Valcárcel | Marshal Rodrigues | Mirela Lins | Rafael Norris | Ricardo Brunoro | Sidney AndradeSonara Henriques | Thiago Simão

Mídias Sociais

Assine nosso Feed

Nossa Página no iTunes

Nossa Página do You Tuner

  • Nilda Alcarinquë

    Olás

    Só pra constar: a moça aí da capa até que é bonita, mas a eterna Gabriela é a Sônia Braga

    Agora vou baixar o episódio pra ouvir de manhã

    abraços

    • Lucien o Bibliotecário

      Minha ídala,

      concordo plenamente com você, contudo não encontrei boas imagens da Sônia Braga para trabalhar como eu queria, daí a Juliana Paes.

      Obrigado por ouvir, por ser madrinha e por nos apoiar sempre.

      Abraços.

  • Presidente Exumador

    Laroyê Exu!

  • JJota

    O livro é maravilhoso, com doses perfeitas de romance, drama e humor.

    Mas as adaptações são horrorosas. Nacib, infelizmente, nunca teve um grande intérprete.

  • Luiz Villela

    Parabéns pelo Podcast.
    Jorge Amado é um gênio! Um homem à frente de seu tempo.
    Não percebi comentários sobre o filme “Gabriela” (1983 – Estrelado por Sônia Braga e Marcello Matroianni). Realmente, é um file muito fraco.
    As observações foram muito boas e as comparações com a atualidade foram válidas.
    Apenas um porém: Concordo que todos devem ter sua opinião mas os exageros são um erro. As observações sobre a política, a revista Veja e a Rede Globo (incluindo citação a Roberto marinho) foram excessivas e acabaram por tornar-se cansativa. Saindo do tema e enveredando para a militância. Alguns momentos, parecia que o tema principal, o livro, era dispensável frente á necessidade de crítica.
    Espero que outros livros de Jorge Amado sejam tema de outros podcasts. Ex.: Jubiabá e, o muito citado Capitães da Areia.
    Um abraço e continuem essa forma bem-humorada e agradável de falar sobre literatura.