Pseudônimo Mr. Queen (book tour) – Loraine Pivatto

7

Quem não se lembra do temível 21 de dezembro de 2012, dia em que o mundo iria acabar?

Independentemente da crença pessoal, sobrevivemos e o mundo não mudou em nada, apenas mais um dia após o outro.

Já na segunda obra de Loraine Pivatto, “Pseudônimo Mr. Queen” não foi bem assim.

A Profecia Maia e uma ideia legal

No livro “Pseudônimo Mr. Queen”, Loraine Pivatto utiliza essa passagem de fim de mundo para começar o enredo de sua obra. Nessa obra de ficção, os personagens se vêem sobreviventes da Profecia Maia, porém em um mundo com novas regras.

As regras são simples: nesse novo mundo não existirão diferenças sociais, doenças e mortes prematuras. Os sobreviventes continuam suas vidas com a idade que tinham quando o mundo mudou, vivendo até seus 70 anos. Quando alcançam essa idade, uma nova vida começa aos 20 anos e ela durará até que a pessoa complete 100 anos de vida, nem um segundo a mais. Ao todo, são 150 anos de vida.

O mundo parece perfeito e todos poderão ser felizes. Será?

A reflexão

“Pseudônimo Mr. Queen” é um livro que oferece diversas possibilidades de reflexões em seu enredo. Para começar, os sobreviventes se veem obrigados a viver por mais 150 anos sem a possibilidade de morrer. Embora isso pareça interessante, não podemos esquecer que a maior parte das pessoas que eles conheciam já não estão mais ali. Além disso, o mundo é novo, mas as mentes são velhas, a própria adaptação para as novas regras levará tempo e exigirá um esforço por parte de quem ficou.

Eles estão livres das desgraças do mundo e da vida, mas em troca não podem morrer e não podem mais agir como agiam no mundo com o qual estamos acostumados, onde existe relação de troca com dinheiro, status social, conforto diferenciado e tudo o mais que se quiser. Igualdade ao extremo é a palavra de ordem aqui e tudo o que é extremo acaba mais atrapalhando do que ajudando.

Dentro dessas regras, vemos personagens que seguem suas vidas e logo se percebem diferentes: existe sim uma forma de morrer, apenas uma. Eles sabem qual é e estão dispostos a esconder esse segredo de todos, para o bem geral.

São esses personagens que vivem onde foi a cidade de São Paulo que acompanhamos durante todos os 150 anos e seus descendentes, em uma história que segue e onde os acontecimentos acabam se cruzando.

Análise Crítica

“Pseudônimo Mr. Queen” merece um destaque especial às reflexões que são oferecidas pela escritora. Os personagens também são cativantes e facilmente acabamos nos interessando por eles.

As frases não são muito longas, porém pela estrutura de escrita é preciso prestar atenção pois é possível se perder nas cenas onde os personagens começam a pensar no passado, diante de uma tomada de decisão importante para eles. O desfecho da primeira parte da história de Victória Brandão e Vicente, por exemplo, me deixou confusa e precisei voltar para reler depois de algumas páginas.

Dentro da obra existe mistério, ficção científica e romance. Existem clichês e existem pontas que se cruzam. Existe também inovação, mas ela não está presente na parte dramática do núcleo central da obra. Nesse aspecto, acabamos facilmente imaginando o que pode acontecer, o que pode causar algum desconforto no leitor. A parte que mais me desagradou foi a revelação sobre a origem do personagem Paulinho, cheio de violência que julgo desnecessária dentro do universo da literatura.

Em “Pseudônimo Mr. Queen” temos vilões e temos mocinhos e mocinhas. Infelizmente, os vilões acabam tendo um final que exige uma interpretação muito pessoal para saber se aprovamos ou não. Isso pode parecer inovador, contudo da forma como o personagem é construído, achei que faltou um pouco mais de decisão sobre o seu destino final.

Loraine acertou em cheio ao criar as características dos personagens. Temos pessoas diferentes, em idades diferentes, com mentalidades diferentes. Conforme vamos acompanhando seu crescimento e amadurecimento, com alguns nos afeiçoamos mais e com outros menos. Mas o ponto acertado da escritora é mostrar como a humanidade é feita por gente, não apenas por regras. Assim, mesmo dentro de uma sociedade absurdamente igualitária, sempre existirão diferenças, devido à individualidade.

Outro ponto que gostei é que acompanhamos todos os primeiros 150 anos dentro da obra. Como é um espaço de tempo muito grande, se acompanhássemos apenas uma personagem o livro ficaria maçante e insuportável. Assim, acompanhamos três gerações e é interessante ver como elas se cruzam.

Por fim, o Mr. Queen é uma surpresa à parte e a revelação de sua identidade, realmente é algo que surpreende. Não há como prever, pois não existem sinais na obra que levem o leitor a juntar peças. Essas peças, não são indicadas.

Nota

02-e-meio-selos-cabulosos

 

Como funciona o Book Tour

Se você se interessou pela leitura de “Pseudônimo Mr. Queen” você precisa entrar em contato com a escritora Loraine Pivatto e solicitar a inscrição no book tour de divulgação. Segundo ela, não existe previsão para o livro ser lançado por alguma editora ainda. Mas, não desanime: a Loraine é super educada e acessível, muito gentil e simpática e é muito fácil fazer contato com ela através do Skoob, na página do livro.

Se você se interessou, aproveite a oportunidade! É muito bom ver novos escritores nacionais e conhecer obras com personagens brasileiros e enredo localizados perto da gente.

Aproveito a oportunidade de agradecer à Loraine por ter me inscrito no book tour. Desejo muito sucesso em sua carreira literária. (Abraços, querida!)

Não esqueça de adicionar o livro no Skoob
PSEUDONIMO_MR_QUEENNome:
Pseudônimo Mr. Queen
Autor: Loraine Pivatto
Edição: —
Editora:
Edição do autor para divulgação (book tour)
ISBN: 9788590956013
Ano: 2015
Páginas: 404
Sinopse: Pseudônimo Mr. Queen

O ano é 2012,
Dia 21 de dezembro,
E a temida profecia maia acaba de se cumprir.

Cidades devastadas,
Ruas vazias,
A população mundial bruscamente reduzida,
E a história dos sobreviventes começa a ser contada.

Os escolhidos iniciam um novo mundo, baseado nas novas regras passadas através dos sonhos.

Agora serão 2 vidas:
A primeira até os 70 anos,
A segunda, a partir dos 20 e até os 100.
150 anos no total.
Nenhum segundo a mais.

A nova sociedade começa a surgir:
Sem desigualdade,
Sem dinheiro,
Sem doenças,
Sem possibilidade de mortes prematuras,
Exceto por uma maneira.

Uma única maneira de morrer, mas que não pode ser revelada.
Um segredo que precisa ser guardado.
Para salvar a sociedade de si mesma.

  • Parece ser interessante. Merece aí uma capa melhorzinha. Galera que faz arte, ajudem a miguinha que é foda, com uma arte tão foda quanto.

    • Oi, Magdiel!

      A arte da capa é bem simples, né?
      O MQ é o símbolo utilizado como avatar pelo Mr. Queen, um dos personagens da história. Embora seja legal vê-lo, também acho que uma outra arte pode chamar mais a atenção e o público. Quem sabe a Loraine acaba mudando quando procurar uma editora para lançar seu livro, não é?
      Vamos esperar!

      A ideia do livro é sim legal! O mais interessante é que eu nunca pensei o que aconteceria se o mundo tivesse acabado lá… na minha cabeça ele só teria acabado. Achei muito legal ela explorar esse acontecimento!

      Obrigada por ter lido a resenha!

      Abraços

      • Na minha cabeça ele só teria acabado também. haushuas
        E saber o que teria acontecido me deixou bastante curioso pra ler.
        E disponha^~^
        Sua resenha tá bem legal. Parabéns. E ouvi a primeira página do seu conto no 3 Páginas 😉
        É bem interessante. Deu vontade de ler o restante.

        • 😀

          Obrigada! Fico feliz que tenha gostado da resenha.

          Sobre o Conto no 3 Páginas, não sou eu. Foi outra pessoa que escreveu, inclusive na própria postagem tem o restante do conto dela.