de repente descobri: Dan Brown

5

Dan Brown nasceu em Exeter, Nova Hampshire nos Estados Unidos em 22 de junho de 1964. Filho de uma musicista profissional e de um professor de matemática renomado, ele e seus irmãos foram literalmente criados na escola onde seus pais lecionavam em um ambiente como o da grande maioria cristão.

Logo após o ensino médio Brown foi aceito na Amherst College, lugar onde conheceu o também famoso autor Harlan Coben, que era membro da mesma fraternidade que a sua. Já em seu primeiro ano decidiu ir estudar História da arte na universidade de Sevilha na Espanha e lá se interessou pelas famosas cartas de Leonardo da Vinci, objeto que se tornou muitos anos depois uma das grandes fontes de inspiração do seu mais famoso livro. Seu interesse por simbologia sempre foi algo natural, afinal a sua vida sempre foi rodeada por símbolos, códigos e cifras, seja através da matemática sempre muito presente por causa do pai ou da música da mãe, e também através dos livros de suspense que ele tanto gostava.

Entretanto o autor nem sempre quis seguir a carreira literária, uma de suas primeiras ambições era ser um cantor, pianista e compositor famoso. Então, logo após a faculdade mudou-se para Los Angeles para se dedicar a música, conseguindo até mesmo fundar a própria gravadora: a Dalliance records. Contudo, a carreira na música infelizmente fracassou, e ele decidiu voltar para sua cidade natal e dar aulas de inglês na escola em que havia estudado.

A sua passagem para a carreira literária aconteceu, segundo ele, graças ao livro Juízo Final, de Sidney Sheldon. DanCorr_CpFortalezaDigitalBolsoArqueiro14mm.pdf Brown, após lê-lo, teve certeza de que queria tornar-se um escritor de livros policiais e de suspense, e começou a escrever seu primeiro livro: Fortaleza digital. Nesse meio tempo ainda ajudou a esposa a escrever um livro de comédia intitulado: “187 Men to Avoid: A Guide for the Romantically Frustrated Woman”, assinado com o pseudônimo de Danielle Brown.

Fortaleza Digital foi publicado em 1998 e não alcançou grande sucesso, seguido por Anjos e demônios e Ponto de Impacto, ambos em 2000 e 2001. Assim como muitos autores, Dan Brown não fez muito sucesso com seus primeiros livros, já que cada um deles vendeu menos de 10 mil cópias. Porém tudo mudou com o lançamento de seu quarto livro intitulado: O código da Vinci, lançado em 2003 e considerado um best-seller em sua primeira semana de lançamento, ajudando a impulsionar a venda de todos os seus livros já anteriormente lançados.

Tamanho foi o sucesso do (na época mais recente) livro, que o autor já em 2004 aparecia entre as 100 pessoas mais influentes segundo a revista Times, e era considerado a 12º celebridade pela Forbes que mais havia lucrado aquele ano com uma estimativa de mais de 76,5 milhões de dólares. Seu sucesso viria a tornar-se ainda maior com o lançamento da adaptação de seu livro em 2006, tendo como estrela o premiado ator Tom Hanks como seu protagonista Robert Langdon.

the-da-vinci-code

O Código da Vinci foi acusado de distorcer os fatos histórico-religiosos a respeito da Bíblia e da história de Jesus Cristo e rendeu ao autor críticas efervescentes das igrejas, principalmente católica, além de um processo por plágio contra ele e sua editora movido pelos historiadores britânicos, Michael Baigent e Richard Leigh, que acusaram o escritor de ter copiado a estrutura central de O Santo Graal e a Linhagem Sagrada, livro publicado em 1982.

A discussão gerada em  torno dessas polêmicas foi o marketing gratuito que tanto o filme e o livro precisavam para se tornarem um marco na indústria cinematográfica e editorial, fazendo do livro de Dan Brown o décimo livro mais lido do mundo, com mais de 80 milhões de exemplares vendidos. Seu terceiro livro O Símbolo perdido, vendeu apenas no primeiro dia um milhão de cópias nos Estados Unidos, Reino Unido e Canáda. Segundo o autor ele pretende escrever no mínimo 12 histórias tendo Langdon como seu protagonista.

Livros publicados:

  • Fortaleza Digital – 1998. Publicado no Brasil pela editora Arqueiro.
  • Anjos e Demônios – 2000. Publicado no Brasil pela editora Arqueiro. Adaptado para cinema, em 2009.
  • Ponto de Impacto – 2001. Publicado no Brasil pela editora Arqueiro.
  • O Código Da Vinci – 2003. Publicado no Brasil pela editora Arqueiro.Adaptado para cinema, em 2006.
  • O Símbolo Perdido –  2009. Publicado no Brasil pela editora Arqueiro.
  •  Inferno – 2013. Publicado no Brasil pela editora Arqueiro. Adaptado para cinema, em 2016.
  • Au Amo Dan Brown. minha fonte de inspiração, mesmo eu sendo um cara religioso e altamente fervoroso em relação a minha fé na pessoa de Cristo. porém isso não foi o suficiente para que eu não o admira-se e o considera-se minha fonte de inspiração como escritor. pena que escolhi não seguir romances policiais e suspense, decidindo dedicar-me a ficção cientifica. mas Dan mostra que os elementos de ficção estão presentes em seus livro, mais do que nunca! assim que li o primeiro livro de Sidney sheldon vi imediatamente que Dan era fan do cara! até agora não achei escritor parecido em sua tecnicas de construção de tramas nos livro…porém os personagens deixam a desejar, incluindo o Robert! ele so acertou com o vilão de Simbolo perdido, um das figuras mais demoníacas que eu ja li em livro! agora pelo amor de Deus, ele já ta aloprando em querer mais 12 livros do langdon… fora que as tramas dos livros dele aos poucos não esta mais funcionando.

    • Aline Ferreira

      Concordo com você Ron Perez! Robert Langdon é um personagem que já se esgotou. Talvez um novo protagonista para suas histórias fosse uma mudança mais acertada e que traria um novo folêgo aos seus livros.

    • Wagner Armando

      12 histórias com Robert Langdom vai ser dureza mesmo! (Gosto pessoal hein). Até o Símbolo foi muito bom. Inferno já se esgota mesmo. É apenas mais do mesmo, sem nada de muitas novidades. Agora imagine mais 8? Sinceramente duvido que ele consiga inovar…

  • Muito bom Aline! Eu ainda não li nenhum livro do Dan Brown, mas agora tive vontade.

    • Aline Ferreira

      Obrigada, Magdiel Araújo. Leia sim, os livros do Dan Brown como um todo têm muitas informações e referências bacanas.