CabulosoCast #168 – O Estranho Mundo do New Weird

17

Olá Cabulosos do meu Brasil Varonil e booklovers de todo mundo! Neste capítulo eu (Lucien), convidei o Pai da Ficção Científica, Paulo Elache, Igor Rodrigues e Charles Dias para falar sobre este subgênero da ficção científica (?): o New Weird! Além de procurar explorar a origem e os limites desse “novo estranho” também indicamos obras para vocês se deleitarem e começarem a se aprofundar! Um bom episódio para vocês!

Edição Luís Beber

TRANSCRIÇÃO DO EPISÓDIO

Atenção!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir o CabulosoCast!

Quer baixar o episódio em arquivo rar?

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Citados durante o episódio

Recomendamos

Padrinhos Cabulosos

Anderson Henrique | Carla Fernanda | Carlos Valcárcel | Giselda Cruz | Mizael Alves | Mirela Lins | Marshal Rodrigues | Sonara Henriques | Rafael NorrisRicardo BrunoroThiago Simão

Mídias Sociais

Assine nosso Feed

Nossa Página no iTunes

Nossa Página do You Tuner

  • Renato Dantas

    Renato, 35 anos, Revisor de Texto, São Paulo-SP, lendo Os Senhores dos Dinossauros do Victor Milán

    Salve Cabulosos,

    Já li bastante sobre New Wierd, mas curiosamente nada de obras do gênero, tenho um grande fascínio pelo Chine Miéville, especialmente pela série de livros formada por Perdido Street Station, The Scar e Iron Council, mas tenho um grande receio de tentar ler no original e não dar conta do recado. Modéstia à parte, meu inglês é muito bom, mas não sei se é tão bom assim para conseguir dar conta do Miéville.

    Vou tentar dar uma conferida nas recomendações e procurar pela tradução do Perdido Street Station.

    • Igor Rodrigues

      Dá conta assim, se lê bem segura tranquilo. Só é mais complicado pra quem tá entre o iniciante-intermediário.

  • Todas as discussões pra mim só parecem pessoas classificando rótulos e garrafas e no fim o que importa é que cada escritor é único ,mesmo escrevendo sobre assuntos parecidos.

    • Paulo Elache

      E aí, tudo weird? 😉

      Mea culpa, Valdo. Mesmo com as recomendações do Lucien, não consegui sintetizar o conceito New Weird.
      Você tem razão, esqueça os rótulos e divirta-se em se espantar/estranhar com as tramas e autores que sugerimos no cast.

      Abraço,
      Paulo Elache, podcaster e engenheiro eletro-eletrônico (disponível para o mercado globalizado e weird)

  • AzBats

    Escutarei pela referência a H.P.Lovecraft e a primeira temporada de “True Detective” na vitrine/banner. Conseguiram chamar a atenção dos possíveis ouvintes. Boa tarde.

  • Magdiel -Recife -Lendo Um Reflexo na Escuridão, de PKD.

    Cara, eu nem conhecia esse termo, imaginava como fantasia sobrenatural, HP Minecaft e esses caras. Eu já li Clive Barker, então já li algo de new weird, eeeee o
    Lugar Nenhum e a Menina Submersa podem ser considerados new weird?

  • Bruno Lins

    Li A cidade e A cidade do China Mieville e estava na dúvida se era uma fantasia urbana ou ficção científica. Parece que não é nem uma coisa nem outra, ou é as duas ao mesmo tempo. Seria essa confusão o New Weird? :p

    • Paulo Elache

      Olá, Bruno, tudo bem?
      Talvez esse link, com um fluxograma sobre weird fiction, possa ajudá-lo:

      https://www.flickr.com/photos/vanderworld/7171305824/sizes/o/in/photostream/

      Abraço,
      Paulo Elache, podcaster e engenheiro eletro-eletrônico (disponível para o mercado globalizado e weird)

      • Sharon Caleffi

        Paulo, oi! O link que do post para o seu pdf não está funcionando =(

  • Carlos Valcárcel Flores

    Carlos, 34 anos, Físico, São Paulo, lendo O curioso incidente do ção a meia-noite, de Mark Haddon,

    Primeira vez que escuto o termo New Weird! Para mim, o Lovecraft era horror cósmico. Mas, enquanto escutava o episódio, uma título chegou a minha mente: Os Três, de Sarah Lotz. O livro foi publicado no 2014 se não me engano e causou um pouco de polêmica…ou você amava ou odiava. A trama envolve três crianças sobreviventes de quatro acidentes aéreos simultâneos em diferentes partes do mundo. A forma de contar a história é feita por textos de periódicos, entrevistas, confissões, chats, fóruns de internet. Ela é vendida como horror, depois aparece uma inteligência artificial..e só qualificaria a palavra “weird” para defini-la. Embora, antes deste episódio eu a chamava de “found-footage-book” (copyright!) devido a esse estilo de filmes que tentam por meio de diversas entrevistas contar uma historia e faze-la mais “real” ou crível.

    Agora, dentro do gênero do anime, eu acho que já vi mais misturas de horror, fantasia e sci-fi. Em “X-1999” ou “Tsubasa Reservoir Chronicles” por exemplo, convive perfeitamente o mágico, futurístico, o tradicional japonês junto com sci-fi e assim.

    Abraços!

    • Carlos, obrigado pelas indicações de mangás/animes, cara. Eu fiz uma pergunta sobre quadrinhos mas não tinha lido todos os comentários.

      Vou procurar as suas indicações.

      Abraços!

  • Janaina Muniz

    Lucien,

    Um conto que pode ser considerado New Weird do Jacques Barcia é “Uma Vida Possível Atrás das Barricadas” que está na coletânea Steampunk da Tarja.

    Como os comentários não vão mais ser rigorosamente lidos não preciso colocar meus dados né hahaha brincadeira
    Janaina Muniz, 30 anos. Fortaleza/CE. Lendo Grande Sertão: Veredas.

  • Sobre a leitura de e-mails: o podcast Miçangas faz via hangout no canal do youtube, talvez facilitasse pra você, Lucien.

  • Hamilton Kabuna, 36 anos, Magé, RJ. Professor, Quadrinista e membro do coletivo de quadrinhos Capa Comics. Lendo Ciber Cultura, de Pierre Levy.

    Saudações pessoal.

    Parabéns por mais um fantástico episódio e foi a primeira vez que ouvi sobre New Weird, mas fiquei feliz ao descobri que já tinha contato há muito tempo com o gênero. Quando citaram ‘Arquivo X’, quase infartei de alegria 😀

    Eu tenho duas perguntas:

    Eu sou muito fã do autor de HQs, Grant Morrison, e pela (quase) definição de New Weird, me veio na cabeça a série ‘Os Invisiveis’, criada por ele, e que está saindo atualmente no Brasil, em encadernados. Essa série poderia ser classificada como New Weird, vide que ele mistura uma porrada de coisas e, no fim, nada é explicado ou faz sentido? Vcs sabem se existem algum quadrinho New Weird?

    E a outra seria mais direcionada para o Igor Rodrigues: na fala de abertura, ele disse que o livro do Todorov está ultrapassado uns trinta anos. Cara, eu me senti mal pq indiquei esse livro para uma aluna UM dia antes de ouvir o episódio rs.

    Então, Igor (ou alguém) poderia indicar outro autor/autora mais recente sobre fantasia fantástica, para por nas minhas aulas e indicar para a minha aluna?

    Abraços!

  • Fabianonasc

    Cara, na moral, só vou começar como padrim do cabulosocast pois o Paaaaaai da ficção científica e seu sidekick me proporcionam muita diversão.
    E quero vê-los mais ativos heim Sr Lucien!
    Um abraço.

  • Mauro Ferreira Rebouças

    Mauro, 26 anos, Advogado e estudante de Letras, Fortaleza. Lendo Desepsero de Stephen King.
    Creio que A Torre Negra do Stephen King possa ser considerada New weird, mesmo ele não querendo.
    A maioria dos livros de teror dele possuem uma certa ordem, em meio ao teror, com regras, e etc.
    mas, da mesma forma como vcs comentaram no episódio que o New Weird é essa massa sem forma e misturada que existe entre os gêneroes, a Torre Negra é a massa amorfa que existe entre as outras obras do Stpehen King.
    O Lucien falou so do primeiro livro, mas falando algumas coisas a mais, sem spoilers, nosegundo livro por exemplo, o Roland chega em um lguar que tem umas portas, que ele usa para entrar em versoes do nosso mundo e conehcer os outros personagens que se tornam companheiros de sua jornada. Depois tambem ha varias conexoes com personagens de outros livros dele. Tudo o que acontece é muito pouco explicado.

  • Charles

    Estou lendo Estação Perdido e Torre Negra ao mesmo tempo. Estou no terceiro volume da saga Torre Negra(Terras Devastadas), e se nao for New Weird, ele flerta demais com esse genero. Dentro da descrição, a diferença é que há um vilão declarado, e aparentemente eles irão explicar, mesmo que por cima, o que aconteceu com o mundo. Como King tem interferencia direta do Lovecraft, acho que o clima do livro tem um ar weird sim.