[Resenha] Mr. Mercedes do Stephen King

5

Quem escuta os Cabuloso Casts já deve ter percebido que não sou muito fã de livros policiais. E qual a minha surpresa quando Stephen King decide escrever um livro policial. E aí? Será que King se deu bem também nesse gênero?

Bill Hodges é um policial aposentado. Ele trabalhou muitos anos e resolveu uma boa quantidade de casos, se aposentou com honra. Porém, agora que está em casa sem nada para fazer só fica sentado assistindo televisão com a arma do pai ao lado. Muitas vezes ele olha pra ela durante muito tempo, outras vezes ele a pega e fica olhando para o buraco do cano. Uma vez ele até chegou a colocá-la na boca para ver qual era a sensação. Ele acha que irá usá-la em breve. Porém, ao receber o correio em uma manhã ele se depara com uma carta diferente das contas e folhetos de promoções. A carta tem uma carinha sorridente no envelope e ela logo traz à tona memórias de um caso, um dos poucos casos que Hodges não conseguiu solucionar: o do Assassino do Mercedes.

Mr. Mercedes ficou conhecido por esse nome após roubar um Mercedes e com ele atropelar uma multidão em uma feira de empregos. Ele deixou diversos feridos e matou outros, dentre eles um bebê. Saiu ileso de tudo e nunca encontraram nenhuma pista sobre ele. A carta traz detalhes que só o assassino poderia ter. Hodges pensa em entregar a carta para a polícia, mas não consegue. Ela deu uma injeção de ânimo na sua vida, que estava prestes a terminar. Ele agora irá fazer de tudo para que o Mr. Mercedes saiba que ele não perdeu o jeito, apesar de aposentado.

Bom, adiantando para você, Stephen King se deu bem escrevendo um livro policial. Ele é fácil e gostoso de ler, com aquela narração que os fãs estão acostumados. Ele usa alguns clichês no gênero, mas eles só são notáveis se você os está procurando porque a história te envolve de tal forma que é difícil largar a leitura. Não temos o sobrenatural, como vemos na maioria de seus livros, mas as partes sangrentas e nojentas estão presentes (e como!)

Mr. Mercedes faz parte de uma trilogia, mas mesmo depois de ler esse primeiro volume, não tenho a mínima ideia de como será o segundo. O livro acaba com uma espécie de fechamento, mas que pode ter vazão para continuações. A Suma de Letras já anunciou que “Achados e Perdidos” será lançado em junho desse ano, então teremos em breve a continuação em mãos. Espero que seja tão bom quanto o primeiro!

NOTA:

05-selos-cabulosos

Ficou interessado(a)? Então compre o livro nos links abaixo:

Submarino
Amazon
Amazon (ebook)

MR_MERCEDES_1454350725379602SK1454350725BAutor: Stephen King
Origem:
Estrangeira
Título original: Mr. Mercedes
Edição:
Editora:
 Suma de Letras
Ano: 2016
Páginas: 400
Sinopse: Nas frigidas madrugadas, em uma angustiante cidade do Centro-Oeste, centenas de pessoas desempregadas estão na fila para uma vaga numa feira de empregos. Sem qualquer aviso um motorista solitário irrompe no meio da multidão em um Mercedes roubado, atropelando os inocentes, dando ré e voltando a atropelá-los. Oito pessoas são mortas, quinze feridos.

Em outra parte da cidade, meses mais tarde, um policial aposentado chamado Bill Hodges é ainda assombrado por um crime sem solução. Quando ele recebe uma carta enlouquecida de alguém que se auto-identifica como privilegiado e ameaça um ataque ainda mais diabólico, Hodges acorda de sua deprimente e vaga aposentadoria, empenhado em evitar outra tragédia.

Brady Hartfield vive com sua mãe alcoólatra na casa onde ele nasceu. Ele adorou a sensação de morte sob as rodas da Mercedes, e ele quer aquela corrida de novo. Apenas Bill Hodges, com um par de aliados altamente improváveis, pode prender o assassino antes que ele ataque novamente. E eles não têm tempo a perder, porque na próxima missão de Brady, se for bem sucedido, vai matar ou mutilar milhares.

Mr. Mercedes é uma guerra entre o bem e o mau, do mestre do suspense, cuja visão sobre a mente deste obcecado assassino insano é arrepiante e inesquecível.

Skoob

  • Camila Vieira

    Mr Mercedes é mesmo um livro bem difícil de largar! King escreve bem sobre qualquer tema =)

    Já li o segundo volume e achei o primeiro melhor. Não é uma continuação direta, sendo na verdade um outro caso do Detetive Hodges, mas existem interligações com o primeiro livro.
    O terceiro volume (End of Watch) será realmente uma continuação direta, pelo que li na sinopse.

    • Oi Camila, realmente King tem “as manhas”.

      Fiquei curiosa de como seria essa continuação, visto como acaba o Mr. Mercedes e tb o fato de Hogdes ser aposentado… vou conferir em breve.

      Obrigada pelo comentário!

  • Wilson Brancaglioni

    Olá Priscilla Rúbia tudo bem?

    Mr. Mercedes foi uma grata surpresa, afinal, King experimentou um gênero que gosto muito. Sou fã de CSI, Criminal Minds e vários outros. Foi uma leitura que me prendeu do início ao final. O mestre King consegue colocar elementos em seus livros que prende o leitor de forma que a necessidade de pular para a próxima página é parada obrigatória. Gostei do personagem Bill Hodges típico policial aposentado americano que fica questionando a vida. Há um vazio nele que foi preenchido com ele na ativa em busca do assassino. O assassino também foi bem trabalhado principalmente psicologicamente. Ele é atormentado e você tem uma ideia sobre os motivos, aliás, ele foi melhor apresentado. As respostas estão mais claras, enfim, estou ansioso para o próximo livro, afinal, será uma trilogia. Grande abraço.

    Wilson Brancaglioni
    http://www.estantedowilson.com.br

    • Wilson, tb gostei do livro e do desenvolvimento dos personagens. O King é muito bom narrando até o dia a dia comum hahaha O vilão é super nojento de um jeito que só o King sabe fazer. Estou curiosa pra saber como vai ser esse segundo volume.
      Obrigada pelo comentário!

  • Rafael Rodrigues

    Gostei do livro, não é o melhor do King, mas assim mesmo nos cativa com seus personagens bdm desenvolvidos. Não sei bem o que esperar dos próximos livros, pois não há exatamente um gancho no fim desse.
    Ultimamente o Stephen King tem recorrido à vilões humanos, mostrando uma nova fase do autor. Excelente resenha.

    Abraço.

    naciadelivros.blogspot.com.br