CabulosoCast #141 – Sombra e Ossos

15

Olá Cabulosos do meu Brasil Varonil e Booklovers de todo mundo! Neste capítulo, Lucien o Bibliotecário e Eric Novello falam sobre Sombra e Ossos da Leigh Bardugo, primeiro livro da trilogia Grisha, publicado no Brasil pela editora Gutemberg e que foi uma sugestão do nosso patrão Renato Farias que colaborou com a campanha do CabulosoCast no Kickante. Logo, neste episódio, vocês saberão que é Leigh Bardugo e sobre sua incrível obra de fantasia.

Atenção!!!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir o CabulosoCast!

Quer baixar o episódio em arquivo rar?

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Comentado nos e-mail’s

Recomendamos

Citados durante o episódio

Mídias Sociais

Assine nosso Feed

Assine nosso feed http://feeds.feedburner.com/cabulosocast

Nossa Página no iTunes

https://itunes.apple.com/br/podcast/cabulosocast/id730234743?mt=2

Nossa Página do You Tuner

http://youtuner.co/index/results?s=cabulosocast&x=0&y=0

  • jedimdk

    Klaus
    Sobradinho (DF)

    Ouvindo na madrugada o Cabuloso Cast, e achando bem legal o episodio. Lucien expondo sua exacerbada admiração por seu ídolo e sendo um novellete afetado, mas ainda assim empolgante.
    Achei o que foi exposto do livro bem interessante, mas achei também um pouco copiado de Avatar (Aang e Korra, e nada de James Cameron). A questão das dobras de ar, fogo, água e terra, e a coisa com a escuridão e luz. Bom, espero que tenha sucesso e que o filme saia logo, assim poderei ver se a adaptação ficou tão interessante nas telas quanto nas páginas.
    Sem mais, obrigado por este episodio e vou continuar o meu trabalho por aqui. (como sempre to com estoque baixo e to trabalhando na madrugada)

    • Renato Dantas

      Olha, eu não sei se ela se inspirou em Avatar ou não, mas eu, por conhecer a série, sempre visualizava as cenas dos Conjuradores usando seus poderes como se fossem dominadores de Avatar.

      Porém:

      1) Os Grisha não precisam de movimentos específicos para usar seus poderes, alguns nem precisam fazer movimento algum,apenas olham o alvo e atacam.
      2) Não existe dominação de terra como em Avatar, o mais próximo disso são os Fabricadores Duraste, que conseguem manipular metal, rocha, vidro e outras substâncias para realizar façanhas de metalurgia e engenharia. Mas nenhum deles conseguem mover/arremessar rochas e metal, por exemplo.

      • Lucien o Bibliotecário

        Renato,

        Bem esclarecedores esses pontos. Quando mais alguém indicar a comparação eu vou lembrar de suas palavras.

        Abraços.

      • Lembrando que manipulação de fogo, água, terra e ar existe desde que o 1º nerd criou um mago elementalista na ficha de rpg.

    • Lucien o Bibliotecário

      Klaus,

      Depois que comentaram percebi a semelhança, mas não sei quem inspirou quem, contudo à medida que vai se lendo percebe-se que o universo da Bardugo é bem consistente e possui sua própria originalidade.

      Obrigado pelo comentário e por ouvir (na madrugada).

      Abraços.

  • Renato Dantas

    Salve Lucien,

    Sou mais que suspeito para falar desse episódio hehehe

    Não sei exatamente dizer o que me atraiu na Trilogia Grisha, ganhei o Sombra e Ossos como um presente de amigo secreto, adorei a leitura e fui atrás dos outros dois volumes.

    Sobre a travessia da Dobra: o país está literalmente dividido ao meio, sendo que a parte onde está a capital está cercada por reinos inimigos de todos os lados e sem saída para o mar. A travessia é a única maneira de ter acesso a diversos bens que só são obtidos pelo comércio com nações não hostis.

    Sobre o colar de chifres: no livro fala (eu acho, vou ter que conferir) que foram cerradas as pontas dos chifres para se fazer o colar.

    Eu já gostava bastante da trilogia e depois do insight do Eric sobre o discurso feminista da Bardugo, passei a gostar ainda mais.

    • Lucien o Bibliotecário

      Renato,

      Eu só tenho a agradecê-lo, meu amigo, por esta incrível oportunidade de conhecer e falar dessa obra.

      Sobre a Dobra, reouvindo o áudio-drama pude perceber que a situação do reino dos Grishas é difícil e há uma necessidade de atravessar a Dobra.

      Obrigado pela oportunidade, por colaborar com nosso Kickante e por ser nosso ouvinte.

      Abraços.

  • leonardo garcia

    Olá amigos

    Não tinha conhecimento dessa trilogia e depois do Cast (ótimo por sinal), fiquei com vontade de ler.

    Lucien, futuramente poderia fazer um cabulosocast com o autor brasileiro Rapahel Montes que lançou o excelente livro chamado o vilarejo e também não esquece do cabulosocast de DUNA!!!!!!!!!!!!!

    Abraços

    Leonardo Garcia
    Rio de janeiro –
    lendo – Dias Perfeitos

    • Lucien o Bibliotecário

      Leandro,

      Conheço o Raphael Montes, mas reconheço que nunca li nenhum dos seus livros. Quem sabe em um futuro próximo, hein?

      Duna continua apanhando de Torre Negra.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • WilsonBemloco

    Artur/Wilson, São Paulo.
    lendo: Excalibur (vol.3 das Crônicas de Artur)

    Primeiramente parabéns ao Lucien e ao Eric, por terem feito a mim uma pessoa com uma aversão gigantesca a livros “young adult”, a gostar e querer ler muito Sombra e Ossos, achei muito interessante a ideia de uma mitologia inspirada na Rússia, além de haver vários detalhes citados pelo próprio Eric sobre a escrita e desenvolvimento de personagem dentro do livro.

    E agora queria agradecer ao Sr. Renato Dantas, que recomendou um livro que mesmo sendo pro público juvenil tem um grande potencial para qualquer um, adoro receber recomendações e gostar do que ouço.

    Off Topic: Uma dúvida que caso alguém dentro do leitor cabuloso possa me responder. No cast anterior o Sr. Igor (polêmico, persuasivo, que não curte a batalha do apocalipse) Rodrigues, disse que o autor Mark Lawrence (Trilogia dos Espinhos) era muito radical no assunto referente a pirataria. Eu quero muito ler os livros dele futuramente mas depois do que o Igor disse sobre a visão agressiva e ignorante do autor me senti um pouco ofendido (antes que alguém fale, eu não pirateio livro de autor nenhum), mas digo ofendido no sentido do autor ridicularizar qualquer um que faça isso, que é uma atitude muito babaca e desumilde, então alguém poderia me explicar melhor essa situação?

    Obrigado pela atenção e carinho por todos da família cabulosa!

    • Valeu pelo feedback, Wilson! Engraçado que conheci a autora dias depois
      num evento, e foi bom ter gravado o podcast antes, porque virei um
      grande fã da pessoa Leigh Bardugo agora! 🙂

      • Lucien o Bibliotecário

        Eric,

        Não vi fotos de você de Volckra, não. Preciso dos registros.

        Abraços.

        • Haha. As asas ficaram apertadas nas costas, então fui de Darkling.

    • Lucien o Bibliotecário

      Arthur,

      Fico extremamente feliz que conseguimos motivá-lo a ler Sombra e Ossos, o danado do Eric também me motivou a ler os demais livros da saga, estou curioso.

      Sobre o autor de Prince of Thrones, eu não vejo porque não lê-lo, mesmo que ele seja contra a pirataria, que é um direito dele, sua obra é sua obra, não devemos misturar as coisas.

      Vou evocar o @disqus_qV04ACSHMp:disqus para ver se ele possui alguma fonte.

      Muito obrigado pelo comentário.

      Abraços.

      • WilsonBemloco

        Oi Lucien,

        Obrigado pela dica do livro e por ter chamado o Eric, que assim não tem como haver erro de me convencer a ler/comprar alguma coisa.

        Mas sobre o Mark Lawrence, eu sei que devemos respeitar a opinião do próximo e ele tem o direito dele, mas quando o próprio Igor disse que o cara chama alguém de “ladrão”, eu fiquei um pouco surpreso, eu sei que existem pessoas da área da escrita um pouco mais “ousadas” se podemos chamar assim, como o Alan Moore falando mal do cinema e filmes de heróis, o Stephen King criticando a Stephanie Meyer sobre Crepúsculo, mas ainda não perdi o interesse nos livros dele, só queria que alguém me explicasse melhor esse ocorrido, mas obrigado tanto a você Lucien pela atenção e o Eric pela resposta! 🙂