[Coluna] Cantando em prosa e verso

5

Fala Galera,

a coluna de hoje já está na minha cabeça tem algum tempo, e hoje vamos ler sobre músicas sem música.  Para quem está um pouco confuso, explico…

Trago hoje algumas músicas que não foram originalmente compostas, mas escritas em prosa para atender um propósito no livro.  A letra é, de certa forma, fácil para o autor, mas a parte musical acaba adiada até o momento em que ela se torna necessária (nesse caso, os filmes).

A primeira música que trago é “The Hanging Tree” do livro Mockingjay (“Esperança”) da trilogia Jogos Vorazes. Essa música é especialmente importante por ter um papel relevante na trama sendo ao mesmo tempo uma lembrança da infância da protagonista e um chamado a batalha para a revolução que se avizinha.  Com a letra escrita pela autora, o primeiro tratamento foi dado pelo pessoal da banda de indie folk Lumineers.  Em um primeiro momento, a atriz Jennifer Lawrence iria dublar a canção que seria cantada por uma intérprete, mas no fim das contas a versão que vale é a composta por James Newton Howard e cantada pela atriz.

“Are you, are you
Coming to the tree
Where they strung up a man
They say have murdered three.
Strange things did happen here
No stranger would it be
If we met at midnight
In the hanging tree.”

E o Harry Potter?

Na sequência queria trazer, também, deixando para trás essa linha mais dramática, os Weird Sisters de J.K.Rowling. No quarto livro da série Harry Potter, diferentes escolas se enfrentam pelo Cálice de Fogo e como parte das festividades um grande baile de gala é realizado.  Esqueçam tudo que sabem sobre bailes de gala, pois aqui encontraremos monstros, poções e muito rock ‘n’ roll se manifestando.  A banda reunida contava com músicos do Radiohead e Pulp entre outras e  fazendo a performance de Do the Hippogriff, Magic Works e This is the Night durante o “Yule Ball”.  Apesar de irrelevantes para a trama o show é muito divertido trazendo uma das melhores cenas do filme (para quem é apaixonado por música como eu).

 

E da mesma maneira, uma infinidade de músicas foram escritas, sem serem verdadeiramente compostas.  Quais suas favoritas?  Vocês podem contar nos comentários aí embaixo.

E com isso fecho a coluna da semana tentando não sair do tom. Como eu mencionei antes, surpresas se avizinham e podem chegar a qualquer momento.  Conto com a torcida de todos…

Abraços,

Rodrigo Fernandes

  • Karoline Lino

    Pra quem é fã das Crônicas de Gelo e Fogo (eu sou meio doente na saga), tem uma quantidade considerável de “músicas sem música” nos livros, mais especificamente no “A Tormenta de Espadas”, sendo que boa parte delas foi adaptada depois para a série… Algumas são bem importantes na história e/ou desenvolvimento dos personagens, mas acho que a principal e mais marcante é mesmo “Rains of Castamere”, que já teve, inclusive, mais de uma versão gravada e incluída na série.

    “And who are you, the proud lord said
    That I must bow so low?
    Only a cat of a different coat
    That’s all the truth I know

    In a coat of gold or a coat of red
    A lion still has claws
    And mine are long and sharp, my lord
    As long and sharp as yours

    And so he spoke, and so he spoke
    That lord of Castamere
    But now the rains weep o’er his hall
    With no one there to hear

    Yes now the rains weep o’er his hall
    And not a soul to hear”

    Uma das coisas mais interessantes é que no momento mais importante no qual essa música aparece, tanto no livro quanto na série, não há letra… A tensão é iniciada apenas com a melodia, tocada pelos músicos na galeria de um salão.

    Acho que outras canções importantes nesse livro são “The Bear And The Maiden Fair”, que tem uma história da adaptação bem interessante, e uma outra que não me lembro que tenha nome e que, infelizmente, não foi adaptada para a série, mas que tem uma frase bem lembrada: “Porque mãos de ouro são sempre frias, mas há calor em mãos de mulher”.

    Além disso, a própria saga é chamada A Song of Ice and Fire, pois GRRM (aquele velho troll) já disse algumas vezes que tem uma ligação bem forte com a música…

    Eu sou apaixonada por música e quando vejo a relação com livros acho muito bacana. São minhas duas paixões!

    • Bom saber Karoline. Essa é uma coleção que tenho acompanhado pela série antes e só depois deo pegar os liros pq quando comprei os liros já estaa na 3ª temporada e aí desanimou. Mas as músicas q estavam lá então são ótimos exemplos pq a qualidade da trilha da série é excelente.

      • Karoline Lino

        Concordo que a trilha é excelente…
        A próposito, também comecei a ler após a 3ª temporada (na verdade, a história de como comecei a gostar ASOIAF é bem louca, já que eu detestava fantasia…rs). Se o que te desanimou foi o fato de já saber o que ia acontecer, acho válido dar uma segunda chance para os livros… São praticamente histórias distintas agora.
        Só não dá pra criar expectativas com a sequência da saga porque o Martin é o cara mais lerdo que os deuses já puseram no mundo, mas enfim, ele é bom.

  • Excelente Rodrigo!
    Unindo-se duas paixões, o resultado realmente pode surpreender e viciar, não é mesmo?

    Complemento lembrando das canções presentes nos livros de Tolkien, em especial a canção dos anões de “O Hobbit” que ficou espetacular no primeiro filme da trilogia. =)

    • É verdade, quando eu comecei as pesquisas você até mencionou, mas não tinha lido o livro e acabei esquecendo. De toda forma, outro bom exemplo, certamente