[Notícia] Editora de Game of Thrones não está contente com a série

10

E parece que não são apenas os fãs mais ferrenhos de As Crônicas de Gelo e Fogo que estão descontentes com a série as liberdades da série da HBO. Escritora e editora dos livros de George R. R. Martin para a HarperCollins, Jane Johnson usou o twitter para manifestar sua indignação em relação a série, focando sua crítica nas mudanças que David Benioff e D. B. Weiss, produtores de Game of Thrones para HBO, realizaram para a personagem Loras Tyrell (Finn Jones).

A 5ª Temporada de Game of Thrones está trapaceando agora. #Loras

Segundo Jane, a série foca demais na homossexualidade do personagem, enquanto nos livros twitter-johnson

Nunca gostei de eles o transformarem em uma caricatura gay na série de TV: a caracterização é muito mais sutil nos livros.

Em outro twitte, desabafa quanto ao Barristan (Ian McElhinney):

twitter-johnson2

O que? #GameofThrones Não estou gostando dessas enormes divergências. Leia os livros se você quiser conhecer a história da forma que o autor quis contá-la.

Vários fãs argumentaram em defesa do seriado que Martin também toma parte das decisões quanto as mudanças, contudo a realidade não é bem assim. O autor de As Crônicas de Gelo e Fogo é um consultor cabendo a decisão final aos produtores executivos.

Via AdoroCinema

  • Lucas Rafael Ferraz

    Ah, que preguiça dessa gente chata que não entende o que é adaptação.
    Ainda mais por ter reclamado de mudanças pequenas no roteiro, nada realmente importante.
    Bléh.

    • Ezequias Campos

      Exatamente!

      É um personagem minimamente exposto nos livros. E adaptação é isso mesmo, adaptação, não seria BOM fazer igual aos livros.

      Em tempo: acho que a editora está incomodada com a ação afirmativa de ter um personagem abertamente gay ao público.

      O que é diferente, incomoda, acho que foi um ato falho neste sentido.

      • Ezequias Campos

        Ato falho da sra. editora;

  • Igor Rodrigues

    ENa verdade ele não participa de porra nenhuma, só é consultado quando os produtores procuram e esse ano, por causa da agenda, nem vai escrever o roteiro de um dos episódios.

    O engraçado é que eu prefiro o Loras da TV. O Martin vela demais a homossexualidade dos personagens homens e explana a das mulheres. Tirando boatos não tem muita confirmação de que Loras e Renly se pegavam, mas tem Dany e sua serva siriricando e Cercei chupando umas peitolas. Uma das coisas que mais agradou foi logo na primeira temporada mostrarem o romance dos caras abertamente. Se pode o feitichismo lésbico porque o dos caras é por trás do arbusto?

    Segundo é que o Loras do livro tem pouquíssimo desenvolvimento, só se sabe que é um guerreiro fodão, bonito e jovem. Não sei cadê essa tridimensionalidade que ela tanto fala? Na série ele é fodão, jovem e bonito. Em ambos é devoto à família e à irmã. Sinceramente, acho que o mostrarem abertamente gay (sendo que ele só é assumido para a irmã, mas nós podemos saber o que ele faz porque a série pode mostrar cenas além dos POVs dos livros) está incomodando a moça aí.

    E outra: chegamos num ponto de avanço da série que nem dá mais pra saber o que é invenção e o que é spoiler dos livros ainda por vir. A trama de ASOIAF fica tão compelxa após o livro 2 que é impossível a série adapatar tudo literalmente sem cortar muitos personagens, subtramas e criar divergências. Só a espinha dorsal precisa ser mantida.

    • Igor Rodrigues

      Aliás fizeram o mesmo com o Oberyn que é uma vírgula no livro e virou um personagem incrível na série e com muita presença. E em vez de só comentarem “dizem que se deita com homens e mulheres” mostraram o cara se deitando com homens e mulheres e ainda argumentando sobre as vantagens. Sem estereótipos e com toda a fodacidade possível. Pra mim foi um excelente trabalho.

      Ah e ainda senti falta de um nu frontal do alto septão! Certeza que quando rolar o Walk of shame das mulheres vai ter ppk pululando na tela.

      • Maíra

        Sobre o Oberyn eu concordo com você. Foi um dos personagens cuja adaptação na série foi melhor do que nos livros.

    • Maíra

      Igor, o problema não é mostrar Loras como um homem gay. O problema de muitos leitores é que ele ser gay se tornou a definição do personagem na série. Enquanto nos livros ele é um dos melhores guerreiros de Westeros, que se ensina Tommen a lutar e que no momento está liderando um cerco. Na série ele se tornou “o cara gay”, uma caricatura que devia ser um dos melhores guerreiros de Westeros, que pateticamente deixou ser levado por meia dúzia de fanáticos que o Loras dos livros derrotaria facilmente.

      • Igor Rodrigues

        Entendo e concordo com sua observação sobre o Loras ser preso facilmente, comentei isso no meu site que foi pa-té-ti-co. Um cara tão sinistro se deixa levar por meia dúzia de esfomeados sem nenhum treinamento de combate?

        Mas porque ele ser o cara gay da série torna ele menos competente? O erro não é explorarem esse lado dele e sim não criar situações (o que não tem mesmo a essa altura da trama) para mostrá-lo como guerreiro. Essa prisão pelos pardais foi uma chance perdida. Só não acho que dá pra confundir as coisas. E não entendo porque de ser “caricatura gay” como disse a editora.

        Me parece que estão usando o Loras para aprofundar em temas relevantes, porém pouco explorados nos livros . Acho válido. E mesmo a competência em combate do Loras é algo que só se comenta nos livros, com poucas oportunidades de serem demonstradas até o livro 4 quando ele vai no tal cerco como ponta de lança.

        O que me deixa curiosidade é: reafirmaram o Loras como gay para usarem isso como motivo da prisão. Estou curioso para saber onde essa maluquice vai acabar. O roteirista dessa temporada parece estar doidão.

        Agora quer ver o personagem que descaracterizaram demais e estou achando difícil de engolir? Tommen. Com a idade dele na série já dava pra ele facilmente reverter a prisão do Loras desfazendo o decreto que a mãe assinou no lugar dele e assim dissolvendo a Fé Vigilante.

        • Maíra

          Não me importo de mostrarem cenas gays com o Loras e o namorado, este não é o problema. Você tem razão, os escritores pecaram por não mostrar situações para mostrar ele como o excelente espadachim que é, como quando ele é preso (aconteceu o mesmo com os Imaculados, mas não vou me estender). Eu não reclamo disso nos livros, porque Loras não é um dos pontos de vista e não é tão importante assim para a trama. Talvez por aparentemente terem cortado Jon Connington eles tenham aumentado o papel de Loras na trama, para ter esta representatividade. Sö espero que os roteristas aproveitem esta nova posição que ele se encontra e saibam dosar esta trama com os conflitos da Cersei e Margery nos livros, principalmente as prisões e julgamentos,

          • Igor Rodrigues

            Todas essa cena dos Imaculados foi uma pataquada sem tamanho. Aliás esse episódio eu terminei soltando fumaça pelos ouvidos. E sim, esperemos que tratem melhor os personagens que no mínimo Loras ganhe a chance de redenção mostrando ele invadindo o castelo a pontapés.