[Coluna] Torta Sonsa de Limão Dornês

48

Esta é a torta preferida da nossa querida Sonsa Stark, digo Sansa Stark, que tanto aprecia o chá da tarde em companhia de algum galante cavaleiro.

É importante evidenciar que ao escrever uma receita, eu sempre levo em consideração que o leitor não é obrigado a saber fazer nada. Não precisa possuir nenhum pré-requisito, a não ser a boa vontade e o espírito de diversão.

Cozinha é criatividade, logo eu espero que assim que dominar o básico, o leitor mude a receita da forma que lhe for mais conveniente. Afinal de contas, cozinhar é inventar e não seguir uma receita para todo o sempre.

Vamos ao básico: a torta é de massa aerada, com um recheio de suco de fruta emulsionada com leite evaporado açucarado. Colocarei a receita adaptada para a nossa realidade, até por ser mais coerente, pois não pretendo que abram um portal dimensional para obter as famosas ameixas de fogo de Westeros. Vamos ficar no simples.

lemon_cake_got

Equipamentos necessários

  1. Arrume uma fôrma redonda para tortas. Pode ser a que tem uma cinta metálica em volta com um sistema de trava, que pode inclusive alterar o diâmetro da fôrma para facilitar a retirada.
  2. Em seguida, uma batedeira potente vai ajudar muito. Ou… pode fazer como as septãs de Westeros fazem, à mão mesmo, com muito suor e lágrimas. Sai bom também, embora as vezes umas partes saem mais salgadinhas por causa das lágrimas.
  3. Um liquidificador com tampa. Acreditem, tem gente que usa sem e depois se pergunta como foi que o teto ficou daquele jeito.
  4. Um forno, a gás ou elétrico. Se tiver um dragão, também serve, mas eles costumam passar do ponto na chama e erram sempre nas preparações mais delicadas. Aconselho vivamente o forno convencional, pois se a base da torta queimar, no apogeu da frustração do aspirante a doceiro, ele pode sempre chutar o fogão e começar tudo novamente. No maximo o pé dói um pouco. Vai chutar o dragão e ver o que acontece…
  5. Uma espátula de silicone ou plástico.
  6. Um garfo
  7. Um ralador
  8. Um prato fundo
  9. Uma peneira (opcional)

Ingredientes para uma torta (28 cm de diâmetro em média)

  • 400 gramas de limão dornês, mas se não achar, vai o siciliano mesmo
  • 400 gramas de leite condensado
  • Um pacote de biscoito maisena
  • 200 gramas de creme de leite
  • Raspas da casca do limão dornês, ou siciliano
  • Um pacote de gelatina incolor e sem sabor na versão em pó
  • Meio copo com água
  • 150 gramas de manteiga na temperatura ambiente, ou seja, mole mas NÃO derretida (a de Winterfell é a melhor, por causa das pastagens altas, dá mais gordura ao leite. Mas se não a achar, use a manteiga normal. Só um toque: não use manteiga de garrafa, pois a consistência dela é diferente. Se a manteiga for sem sal é melhor, mas se não for, ninguém vai morrer por causa disso. Só não ofereça um pedaço pro Joffrey por pura precaução…)
    joffrey_this_bitch

Procedimento

Abra o pacote de biscoitos. Retire os biscoitos e quebre-os ao meio para colocá-los dentro do liquidificador. Tampe o liquidificador e ligue-o na velocidade baixa, e aumente gradualmente.
O resultado tem de ser uma farinha sequinha e fininha. Se não saiu dessa forma, continue batendo. Se depois de meia hora, ainda não saiu dessa forma, chame sua esposa/namorada/mãe, explique o que precisa fazer e espere o tempo necessário para que ela pare de caçoar de você e te ajude.

Retire a farinha do liquidificador e a coloque num recipiente seco. É muito importante que esteja seco. Pode ser a bacia da batedeira. Adicione manteiga e com um garfo misture gradualmente a manteiga com a farinha. Independente de quantas tortas for fazer, ou do tamanho delas, a proporção é sempre a mesma. A manteiga precisa ser no máximo a metade do peso dos biscoitos. Em geral um pacote padrão de biscoitos pesa umas 300 gramas.

O resultado deve ser uma paçoca úmida e levemente gordurosa, mas que não gruda na mão.

Esta paçoca é a base da torta. Pegue esta base e coloque na fôrma de metal que depois vai pro forno. Dependendo do modelo escolhido, a com frisos ou sem, a com faixa que aperta ou sem, o importante é lembrar que em cima disso vai um recheio que pesa por volta de meio kilo. Logo, a base não pode ser finíssima, e as bordas precisam segurar o tranco. Se achar que está fina demais, faça mais paçoca de biscoito. É necessário pelo menos tentar fazer com que essa massa chegue até a metade da fôrma, se for o modelo com a faixa metálica, ou a forma toda, se for o modelo simples e todo ondulado. Se for a sua primeira torta, escolha uma fôrma pequena, pois a probabilidade que dê errado é bem menor.

Acima de tudo, lembre-se do fato mais importante: ninguém nasce sabendo, e você não tem nenhuma obrigação de acertar tudo de primeira. A perfeição vem com a prática, e mesmo sendo profissional, todo mundo erra antes ou depois. Se der errado, não fique ‘p’ da vida, e lembre-se que chutar o forno faz doer o pé e chutar o dragão faz muito mal pra pele.

Abra a porta do forno e certifique-se bem que não tenha nada dentro dele. Ligue o forno na temperatura média, que seria por volta dos 180ºC. Se o seu forno não tiver os graus Celsius escritos, visualize o inicio do marcador, que provavelmente será a chama alta, e veja onde o marcador termina, que será a chama baixa. É só colocar na metade do caminho. Simples, não?

Faça furinhos com as pontas do garfo para que a massa não cresça durante o cozimento. Atenção: eu pedi furinhos e não que torturasse a base. É uma torta e não a Cersei. Alguns furos já bastam. Asse por vinte minutos. Desligue o forno e com um pano de prato ou luva acolchoada, retire a fôrma do forno. Deixe esfriar.

A parte do creme

Lave o que sujou até agora. Ordem na cozinha é essencial. Lave também a bacia da batedeira, pois precisará dela limpa agora. Suponho que serão poucos os que possuem uma planetária em casa e os que sabem o que é não precisam do que vem a seguir.

A batedeira geralmente tem de uma a três espátulas para bater. O gancho, que serve para bater pão ou massas pesadas, a paleta que serve para massas leves ou bolos e a espátula armada ou leve, que serve para bater claras. É a mais “gorda” das três. Não tem erro. Se tiver dificuldade com isso, chame novamente sua esposa/namorada/mãe, explique o que precisa fazer e espere o tempo necessário para que ela pare de caçoar de você (de novo!) e te ajude.

Pegue um ralador e no lado que tem os furos menores, rale levemente os limões sobre um prato fundo. É muito importante que ao ralar, não se aperte demais o limão e não se chegue jamais até a parte branca da fruta. Esta parte é mediamente amarga e não queremos isso para o creme. Rale somente a parte amarelada dos limões, não se esquecendo de tirar tudo o que ficar no ralador. Em seguida esprema os limões e retire os caroços com atenção. Se ficarem muitos gominhos no suco e isso te incomodar, pode passar no liquidificador e depois filtrar.

Pegue uma leiteira ou qualquer recipiente que vá ao fogo e esquente o meio copo d’água. Esquentar e não ferver. Isso leva segundos. Despeje o conteúdo de um saquinho de gelatina incolor e dissolva com o garfo. Pode usar água na temperatura ambiente também, mas vai dar mais trabalho. Também pode dissolver parcialmente na água e usar uma xícara de louça ou porcelana e deixar no microondas por alguns segundos. O importante é ter um líquido espesso e totalmente sem bolinhas no final. A gelatina precisa estar totalmente dissolvida. Este aspecto é essencial.

Despeje todo o leite condensado na bacia da batedeira, ligue-a no mínimo e despeje gradualmente o suco de limão e em seguida a gelatina. É importante que seja gradualmente e que seja na velocidade mínima, senão o suco vai espirrar todo na sua cara quando for misturar. Se desejar, pode fazer isso usando um garfo antes e depois finalizar com a batedeira.

Quando a mistura estiver homogênea, acrescente o creme de leite. Este tem a função de não deixar o creme excessivamente doce e dar um toque de cremosidade ao composto. Se achar que 200 gramas é demais, use menos. Isto pode ser conforme o seu gosto. Quando o creme estiver totalmente misturado, leve-o para a geladeira e deixe descansar lá por alguns minutos.

Lave o que sujou e quando terminar verifique como a base da torta está. Se estiver totalmente fria, desenforme com cuidado para não quebrar a base de biscoito. Muita atenção nesta parte, pois um descuido e vai precisar repetir o procedimento do zero. Quando a base estiver fora da fôrma e o creme estiver geladinho, use uma espátula de silicone para retirar o creme da bacia. Despeje sobre a torta, mas não tudo de uma vez. Faça gradualmente e jamais coloque todo o creme só de um lado da torta. Lembre-se que ela é feita de biscoitos quebrados e por isso é frágil.  Deixe uma bela camada horizontalmente uniforme sobre a base e depois é só salpicar a raspa das cascas de limão por cima como decoração. Coloque de volta na geladeira por mais algum tempo e no final vem a parte mais interessante: comer. A bebida ideal para acompanhar é o chá, gelado ou quente. Prosecco gelado também acompanha muito bem. Não seja egoísta e convide alguém para comer com você. Poste as fotos da sua torta aqui e não se esqueça de comentar.

its_the_only_thing_I_ever_wanted

 

 

Conheça a Coluna e o Autor

Olá leitores e ouvintes, me chamo Klaus e proponho mostrar o lado gastronômico da literatura, além de noticias e curiosidades deste mundo.

Meu primeiro trabalho foi em um restaurante /pizzaria, no qual eu desempenhava o papel de coringa. Está é a função do faz tudo. Quando tinha de fazer uma entrega, colocar em ordem o deposito, limpar algo, ajudar na cozinha, eu era acionado. Eu tinha onze anos, e desde então desempenho todo tipo de função no ramo. Já estive em autenticas biroscas de esquina, como em restaurantes cinco estrelas luxo. Fui morar na Itália na adolescência e estudei gastronomia, além de trabalhar em muitos restaurantes por vários cantos da Europa.

Em 2002 comecei a dar aulas de língua italiana e gastronomia em escolas e para particulares. Desde dezembro de 2011 tenho uma empresa de picolés naturais, em Sobradinho (DF), onde moro atualmente.

Moro com minha esposa e divido tudo o que tenho com uma gata, uma filha de quatro patas que se tornou a minha sombra desde que fugiu da sua antiga casa e encontrou abrigo no meu colo.