[Coluna] Pop de morte

5

Fala Galera,

coluna curtinha que a vida está uma loucura por aqui.  E já que eu estou morrendo de cansaço, hoje faço uma coluna de morte e trago duas letras que eu adoro no pop nacional falando sobre o assunto de maneiras muito diferentes e com histórias bem diferentes.

A primeira delas é uma música em que quando foi lançada o tema passou despercebido, segundo o autor.  Em entrevista, o vocalista do Biquíni Cavadão falou algo como: “Impossível” é uma pop song sobre a morte.  Mesmo assim passava por um pop com temática romântica inicialmente.

“Tudo que morre fica vivo na lembrança.
Como é difícil viver carregando um cemitério na cabeça
Mas ante que eu me esqueça,
Antes que tudo se acabe
Eu preciso,
Eu preciso dizer a verdade.

É impossível, é impossível esquecer você
É impossível esquecer o que vivi
É impossível esquecer o que senti.”

Podendo ser confundido com o fim de um relacionamento, segundo o autor, a letra se referia realmente a perda de alguém próximo.  Tragicamente essa música teve uma pesada ressignificação quando da trágica morte do filho de 2 anos do vocalista em um acidente aeronáutico de grande visibilidade.  Essa música acabou se tornando um retrato do momento, sendo dedicado a Gabriel em shows que resultaram em performances emocionantes de uma das minhas bandas favoritas desde a infância (conheci o Biquíni Cavadão quando tinha uns 8 anos de idade e ainda morava no Rio de Janeiro).

Se você não conhece a história, você pode ler a carta que Bruno Gouveia redigiu sobre a tragédia aqui.

 

A segunda visão da morte que me impressionou na nossa música é “Canção Para Viver Mais” do Pato Fu.

Pelo que lembro da história da composição dessa música, Fernanda Takai ao perder seu pai ficou muito abalada e tentou colocar esse sentimento em uma música, mas tudo que conseguiu foi o título “Canção pra Você Viver Mais”.  John, seu marido, vocalista e guitarrista acabou então compondo a música que retratava o estado emocional de sua esposa naquele momento.  Acabou fazendo uma música leve e tocante que sempre me emociona.

“Nunca pensei um dia chegar
E te ouvir dizer:
Não é por mal
Mas vou te fazer chorar
Hoje vou te fazer chorar”

E vocês? Conhecem alguma outra música que fale sobre a morte?

E até logo….

Como eu falei a coluna dessa semana é curtinha, tá tudo uma correira e vejo vocês semana que vêm.

Abraços e não saiam do tom,

Rodrigo Fernandes

PS: Quando minha filha estava para nascer, eu escrevi uma música que,em um primeiro momento me pareceu sobre a morte.  Depois, olhando com mais calma, percebi que era um balanço sobre a minha vida, se eu morresse naquele momento (o que não refresca muito).  Quem tiver curiosidade ela está aí embaixo:

 

“After all is said and done;
Burn my body, my life is done;
Maybe I just did it all (that I could) ;
Maybe Ive changed someones view (of life).

Maybe I’ve changed someones life”

  • Lucas Rafael Ferraz

    Porra, curto demais Pato fu!
    Puta banda, ótimas letras!

    Bem legal a coluna!

    • Lucas, Pato Fu é uma das minhas bandas nacionais favoritas. Grandes letras e grandes chances de voltar a coluna no futuro.

  • Vanessa Straioto

    ótimo texto..adorei
    não conhecia a origem dessas musicas…

    • Fico muito feliz por ter gostado do texto e da curiosidade pelas origens dessas músicas. Valeu mesmo o retorno Vanessa. Ainda essa semana tem mais.

  • Bianca Rubens

    poxa :/
    ja tinha visto algumas outras musicas que seus autores também falavam sobre morte, mas não sabia que essas tb eram, geralmente tendo a achar que os temas das músicas são outros