[Era uma vez rapidinho…] Celebrando a Grande Dama Agatha Christie

2

Fala pessoal,

Nesse novo ano que chegamos temos uma comemoração a fazer. Tenho certeza que a editora responsável pelas publicações no Brasil (L&PM) tem grandes planos para a data, mas resolvi fazer minha homenagem na primeira coluna do ano, assim mesmo… bem rapidinho, aos 125 anos de nascimento de um dos maiores nomes do mistério Agatha Christie.

Christie Folly

“Everything that has existed, lingers in the Eternity”

“Tudo que já existiu, ressoa pela Eternidade”

Agatha Chritie

“Hercule Poirot and the Greenshore Folly” é uma novela não traduzida e sem perspectivas de que isso aconteça. Além da data comemorativa, ela ilustra tão bem o objetivo desse espaço que eu não poderia deixar de comentá-la. Em 1954, com o intuito de ajudar a igreja local em uma reforma, Agatha Christie prometeu escrever um conto cujos direitos seriam da igreja e com isso eles pagariam pelas contas da reforma. Deveria ser algo simples, pois a autora se encontrava em um momento excelente da sua carreira. No entanto, ao escrever, o conto saiu do controle e das teclas de sua máquina de escrever surgiu uma novela de pouco menos de 100 páginas. Muito curto para ser publicado como um livro, também não se encaixava no espaço de um conto em uma revista ou jornal. Essa peça valiosa, mesmo com todos os fãs da escritora, não conseguiu seu espaço. Por fim ela retomou a obra, doando “Greenshaw’s Folly” conto de Miss Marple para a reforma da igreja e, ao estender a noveleta original, criou o romance “Dead Man’s Folly” (no Brasil “A extravagância do Morto”).

Depois de amargar 60 anos sem ser publicada, apresentando diferenças significativas no enredo finalmente veio a público recentemente, através da Amazon, em formato eletrônico. O formato eletrônico permite que uma obra como essa seja vendida por um preço justo ao dispensar custos fixos como prensagem e distribuição. No caso de uma pequena novela como essa o preço gira em torno de 5 a 10 reais fora das promoções.  Existe uma versão consideravelmente mais cara disponível na Amazon (o link a seguir é para a versão mais acessível) que é a única disponível no Google Play.  O Kobo disponibiliza as duas versões por preços altos enquanto a  Saraiva não disponibiliza o título.

Com relação à obra podemos dizer que é mais uma peça excelente da autora, mas que não traz novidades, apesar de seu ineditismo. O estilo de escrita, o suspense, os traços do personagem (Poirot na versão inédita) estão todos presentes e a obra deve atrair fãs da autora e leitores nostálgicos que, como eu, tinha muito tempo que não lia um livro da grande dama do mistério e simplesmente não conseguirão resistir a essa oportunidade. Quem sabe a L&PM não se anima e lança uma tradução para essa versão também em formato eletrônico?

E assim bem rapidinho se foi uma quinzena da coluna temática de Natal até essa primeira coluna do ano. Falo com vocês de novo em 15 dias, trazendo novidades.

Abraço,

Rodrigo Fernandes

Links

Os links vão te redimensionar para as lojas, para que você tenha acesso ao conteúdo “Hercule Poirot and the Greenshore Folly (Hercule Poirot Mysteries)”

 

Para acessar o livro “Dead Man’s Folly” do Poirot para o Kobo e outros livros, utilize o link:

 

  • Ótima colina Rodrigo!
    Confesso que li quase nada de Agatha, mistério policial e tal é um gênero pouquíssimo explorado por mim e no qual pretendo mergulhar um pouco esse ano.

    Valeu!

    • Esse ano seria o aniversário de 125 anos da autora. Já sugeri p/ o Paulo um cast sobre ela, tentando indicar as obras favoritas de alguns de nós. Estamos pensando a respeito. Grandes dicas virão por aí, stay tuned. =D