CabulosoCast #114 – Retrospectiva 2014

27

Olá Cabulosos! Sejam bem-vindos ao último CabulosoCast de 2014, e neste episódio Lucien o Bibliotecário, Domenica Mendes, Lucas Ferraz e Priscilla Rúbia relembram os livros lidos no ano que finda. Hoje vocês saberão qual a melhor leitura dos Cabulosos, quais as piores leituras e muito mais. Um bom episódio para vocês!

 Atenção!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir o CabulosoCast!

Quer baixar o episódio em arquivo rar?

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Para fazer o Download do episódio clique aqui.

Perguntas do Programa

  1. Qual o melhor escritor internacional?
  2. Qual o melhor escritor nacional?
  3. Qual o livro cebola de 2014? (Que te fez chorar)
  4. Qual o melhor personagem?
  5. Qual o pior personagem?
  6. Qual o melhor vilão?
  7. Qual a melhor editora de 2014?
  8. Qual o pior livro de 2014?
  9. Qual o melhor livro de 2014?
  10. Quais as 5 promessas de leitura de 2015?

Citados durante o episódio

Mídias Sociais

Assine nosso Feed

Assine nosso feed http://feeds.feedburner.com/cabulosocast

Nossa Página no iTunes

https://itunes.apple.com/br/podcast/cabulosocast/id730234743?mt=2

Nossa Página do You Tuner

http://youtuner.co/index/results?s=cabulosocast&x=0&y=0

  • Vinicius Gomes

    Lucien, você disse que as perguntas feitas estariam no post, mas não está… Depois que eu terminar de ouvir eu coloco as minhas respostas aqui. Abraços!

    • Vinícius,

      Peço desculpas pela demora, mas já está no post do programa as perguntas.

      Abraços.

      • Vinicius Gomes

        Beleza, Lucien! 😉

  • Vinicius Gomes

    Meu nome é Vinícius Gomes, 23 anos, sou estudante de Direito, de Belo Horizonte/MG, e atualmente estou lendo Ensaio sobre a cegueira, de Saramago.

    Bom, já que eu terminei de ouvir, fiz por mim mesmo a lista =P

    Segue aí:

    Livro internacional de 2014: Para não ficar muito repetitiva minhas escolhas, vou colocar aqui Um Conto de Natal (A Christmas Carol), de Charles Dickens. Era uma obra que eu há anos enrolei para ler, e sempre gostei das adaptações feitas em desenho animado, sobretudo a que fizeram em CG com o Jim Carey. É uma história muito gostosa e divertida, vale a pena a leitura próximo ao Natal, pois, dizem, foi a obra que transformou o Natal como nós o conhecemos hoje em dia.
    Livro nacional de 2014: Reconheço que este ano li pouco dos autores nacionais, sobretudo os mais recentes, pois o Machado de Assis encabeçou a minha lista. Então, como os próprios participantes “cagaram” a regra, vou colocar aqui o livro de um amigo, que só foi lançado em ebook e será comercializado em versão f’ísica no ano que vem, e que o próprio site Leitor Cabuloso fez um jabázinho quando estava no Catarse, que se chama Alvores – A Liga dos Artesãos. É uma fantasia urbana que se passa em Curitiba, retratando a formação da cidade graças à interferência de criaturas mágicas que estão em guerra há milênios. Vale muito a pena conferir.
    Livro cebola de 2014: Muito raro um livro me fazer emocionar, até porque, geralmente, o tipo de literatura que me agrada não atinge tal objetivo. Então, para não deixar em branco, vou colocar As Intermitências de Morte, de José Saramago, pois a escrita fluída e, digamos, carinhosa do autor conseguiu me cativar de forma sublime, sobretudo na segunda parte do livro, quando a morte é personificada.
    Melhor personagem de 2014: Não precisei pensar quando ouvi esta pergunta, o melhor personagem que li este ano se chama Jorg Honório Ancrath, da Trilogia dos Espinhos, de Mark Lawrence. Um anti-herói na melhor concepção da palavra, sem escrúpulos e com sacadas magistrais. Você nota perfeitamente as evoluções de seu caráter a cada grande acontecimento nos livros, mas isso não quer dizer que se ele se torna uma pessoa boa, apenas que se torna mais calejado. O livro é contado em primeira pessoa, o que facilita, e muito, a construção do personagem.
    Pior personagem de 2014: Com este daqui é capaz de o Lucien excluir meu comentário e muita gente me odiar, mas eu detestei o personagem Shadow, de Deuses Americanos. Talvez porque eu tenha criado muita expectativa sobre o livro e não tenha atingido tal patamar, mas a verdade é que eu achei o personagem muito apagado. Como diz uma própria fala dentro do livro, Shadow não passa de uma sombra (o significado de seu nome), e imagino que tenha sido esse o objetivo do Gaiman, mas não me cativou, não me fez me importar com ele, e me deixou muito desmotivado com suas ações.
    Melhor vilão de 2014: O melhor vilão, para mim, sem dúvida alguma, é o sistema, por assim dizer, apresentado na obra de George Orwell, 1984, e personificada no personagem O’Brien. Desde o início do livro eu já sabia o que esperar de O’Brien e o que ele estava para fazer com o Winston Smith, mas a construção final, quando ele se mostra paternal, e ao mesmo tempo vingativo, irritadiço, uma forma cruel da tirania do totalitarismo, conseguiram me convencer do quão foda e bem feito foi este antagonista.
    Melhor editora de 2014: Para mim não restou dúvidas também, a DarkSide apresentou belíssimos trabalhos gráficos, apostando em capas muito bem feitas e com materiais que não vemos normalmente. A parte interna dos livros, tanto na diagramação, quanto na colocação de páginas completamente pretas para dividir os capítulos (King of Thorns) me deixou bastante contente com a qualidade.
    Pior livro de 2014: Caramba, li muitos livros ruins este ano. Particularmente, não gostei da narrativa de Dragões de Éter, e acabei abandonando a série, mas reconheço que poderia ser promissor, se eu tivesse lido em outra época. Mas o pior mesmo foi Mago – O Aprendiz, de Raymond E. Feist, da editora Saída de Emergência. Li ótimas referências sobre a obra e criei mil expectativas em cima, mas não foi isso que me decepcionou. Foi a própria qualidade narrativa e de enredo, com personagens fracos, mal desenvolvidos, situações pífias com resoluções imbecis (não encontrei palavra melhor), além de conter muitas e muitas páginas de história arrastada, sem sentido e desmotivante. Um romance mal descrito, passagens de tempo confusa, e habilidades sem sentido, dentro do próprio contexto, dos personagens em si. Muito fraco, demorei mais de um mês para ler, porque me comprometi a não abandonar nenhum livro este ano.
    Melhor livro de 2014: Eu teria citado no primeiro item, mas não quis me repeti. O melhor livro que li este ano chama-se King of Thorns, de Mark Lawrence, trazido pela editora DarkSide. Ainda vou convencer o Lucien a fazer um CabulosoCast sobre a obra, pois não vi nenhum podcast falar sobre ainda. Uma narrativa feita em primeira pessoa, com um personagem extremamente inescrupuloso e ao mesmo tempo carismático, bem construído e convincente. A trama é bem confusa, mas de um ponto de vista positivo, pois percebemos que é fiel à percepção do narrador-personagem, que muitas vezes não compreende tudo à sua volta, e mesmo assim encontra medidas mirabolantes para sair de enrascadas e respostas muito bem elaboradas para as situações mais inexplicáveis. Os diálogos são bem construídos, os personagens, embora descritos sob a ótica da primeira pessoa do narrador, são muito bem criados e convincentes. Uma ótima leitura.
    5 promessas de leitura para 2015: Bom, para 2015 pretendo concluir leituras que arrastei em 2014 e não tive tempo. Não sei bem o que esperar destes livros além do próprio marketing sobre eles, e são: A Trilogia de Star Wars, da DarkSIde; a saga da Torre Negra, de Stephen King (há dois anos parados na minha prateleira); Emperor of Thorns, da DarkSide, assim que eu achar alguma livraria em BH que o esteja vendendo, já começarei a ler!; Exorcismos, amores e uma dose de blues, de Eric Novello, porque o Lucien me convenceu e foi graças a ele que eu cheguei a ler Saramago, então confio nas suas indicações!; e, por fim, alguma outra obra nacional recente, que ainda não está na minha lista, mas que todo ano eu me comprometo (a exceção deste) em ler, possivelmente será o terceiro livro da nova saga dos Filhos do Éden, do Eduardo Spohr, que deve sair em 2015.

    Bom, é isso, a minha lista respondida e explicada. Gostei muito dos programas este ano, acompanhei religiosamente cada lançamento e espero 2015 com mais episódios épicos, como Vidas Secas. Pelo menos tem um episódio que eu já estou muito ansioso para ouvir, mas ainda nem foi gravado, não é, Lucien? hehehe

    Feliz ano novo a todos os cabulosos e cabulosas, e ano que vem tem mais!

    • Vinícius,

      Não li nada de Saramago neste ano e quero muito corrigir este erro. Como nunca li As Intermitências da Morte quem sabe não começo por ele.

      Não se preocupe não o detesto pela escolha do Shadow, pois considero Deuses Americanos um livro muito pessoal. Não é à toa que você foi o segundo a colocá-lo numa lista de piores.

      O Igor gravou sobre o 1º livro lá no The White Robot http://thewhiterobot.net/pt/twr-009-review-prince-thorns/ vale a pena ouvir.

      Fico feliz que tenhas gostado dos programas lançados em 2014 e espero continuar a surpreendê-lo em 2015.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Feliz ano novo, e parabéns aos tripulantes desta nave cabulosa.

    • Ivan,

      Espero que você e sua família tenham tido boas festas de fim de ano.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Klaus
    37 anos
    Proprietário da Frutta Mesmo Picolés Naturais
    Sobradinho (DF)
    Lendo Crônicas de Gelo e Fogo 3 – A Tormenta de Espadas de George Martin e Filhos do Éden do Eduardo Spohr.

    Olá a todos os cabulosos, desejo ótimas festas de fim de ano, e espero que o natal tenha sido bastante alegre e satisfatório. Demorei mais de três décadas para receber um presente de natal decente, por isso desejei que fosse satisfatório também.
    Terminei de ler ontem Os deuses americanos do Neil Gaiman, e devo dizer que esperava mais dele. Sempre ouvi do Lucien que o Gaiman era um escritor fenomenal, e quando finalmente li algo dele, sei lá… Não achei lá isso tudo. O Eduardo Spohr escreve melhor. Ainda tenho dois livros do Gaiman pra ler, e espero muito mudar de ideia para melhor sobre alguém tão gabaritado.
    Gostei bastante do cast de retrospectiva, e acabei fazendo eu mesmo a minha sobre todos os casts, sobre a maratona que faço diariamente no meu horário de trabalho, ouvindo as edições passadas do Cabuloso Cast.
    Quero deixar aqui a minha insatisfação por terem tirado a voz da Serena Cabulosa da apresentação do cast. Ela fazia uma narração e conseguia inserir um sorriso no áudio, me parecia quase visualizar um sorriso ao ouvir. E agora isso não acontece mais.
    Volte Serena… Seus fãs precisam de você mais presente.

    Outra coisa que notei ao longo da maratona, foi a mudança do momento “Cagadas” acompanhado por sons de flatulências e afins, o atual é bem melhor. Apoio a mudança.
    Vou externar também o meu apoio à Priscila, coitada, muito judiada pelo Lucien, que a deixa na geladeira, e depois quando menos se espera, judia dela. (percepção totalmente questionável, por ser obviamente pessoal)
    Gostaria de propor um momento novo no cast, chamado ‘” Dez minutos de excentricidade”.
    Este seria o momento no qual vocês poderiam falar sobre um tema casual que não tenha nada a ver com literatura, (não necessariamente) mas coisas de interesse geral, no qual poderia inclusive inserir um anunciante que obviamente seria o tema da vez. Isso poderia ajudar a economia no Cabuloso Cast e não chatearia nenhum ouvinte. Afinal de contas todos temos de pagar nossas contas. Se fizerem de uma forma lúdica, divertida e informativa, ninguém nem percebe que é um comercial.
    Para o Lucien O Bibliotecario
    Já viu a serie The Librarians, (Os bibliotecários) que passa no Space? Conta o dia a dia de um grupo de bibliotecários e suas aventuras pelo mundo da magia. É bem interessante.

    Deixo a todos os meus cordiais votos de saúde e sucesso para o ano vindouro.

    • Klaus,

      Mas eu sempre falo que Deuses Americanos não é uma leitura introdutória ao universo do Gaiman, outro ponto é que acho que é um pouco exagerado, poderia ser mais enxuto como Lugar Nenhum.

      Gostei da sugestão e prometo estudá-la com bastante afinco neste recesso de janeiro.

      Nunca ouvi falar da série e prometo procurá-la.

      Muito obrigado pelas críticas e sugestões. Vindo de um ouvinte tão especial e com tanto carinho estão anotadas.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Angelo Israel

    Angelo Israel
    32 anos
    Comerciário, Salvador – Bahia.
    Doido para 2015 começar e re-começar com as leituras depois de uma pausa de leitura no mês de dezembro.

    Qual o melhor escritor internacional? Revendo minhas leituras o duelo é grande entre Issac Azimov, Gabriel Garcia Marques e o vencedor CHUCK PALAHNIUK.

    Qual o melhor escritor nacional? fácil, somente tive uma leitura tupiniquim NELSON RODRIGUES.

    Qual o livro cebola de 2014? (Que te fez chorar) tive um acebolado mais já estava preparado pois era uma releitura 3096 TAGE de Natascha Kampush e o que me fez engasgar mesmo foi THE BICENTENNIAL MAN AND OTHER HISTORY de Issac Azimov com o conto que da nome ao livro, mil vezes melhor que o filme.

    Qual o melhor personagem? mais um troféu para a persona sem nome no FIGHT CLUB de Chuck Palahniuk.

    Qual o pior personagem? o troféu de FDP vai para ÂNGELA VICÁRIO saída da mente de Gabriel Garcia Marques em CRÔNICA DE UNA MUERTE ANUNCIADA, prêmio esse por dar a pena de morte a Santiago Nasar sem ao menos termos certeza de culpabilidade do sujeito.

    Qual o melhor vilão? antagonista poderia ser HITLER em MEIN KAMPT mais não era um conto era mais uma biografia, ficando o prêmio para FRANCIS DOLARHYDE mais conhecido como fada-do-dente e seu amigo oculto RED DRAGON atormentando a cabeça do sujeito a ponto de ele empacotar famílias inteiras sem piedades em RED DRAGON de Thomas Harris.

    Qual a melhor editora de 2014? Vivo de ebook, mas uma referência será Editora Àtica no O PRIMO BASÍLIO de Eça de Queiros por todo o cuidado em traçar um perfil histório do autor nos extras do livro.

    Qual o pior livro de 2014? Piores classificados no skoob com três estrelas, Gabriel Garcia Masques em MEMORIA DE MIS PUTA TRISTES | Lemony Snicket em A SERIUS OF UNFORTUNATE EVENTS I | Yasunari Kawabata em NEMURERU BIJO “A casa das belas adormecidas” esperava mais deles.

    Qual o melhor livro de 2014? Caracas, difícil, mas vou ser coerente melhor escritor merece o melhor livro FIGHT CLUB por Chuck Palahniuk.

    Quais as 5 promessas de leitura de 2015? [ já comprado para primeiros minutos de 2015 pós os fogos de artíficios 01. Graciliano Ramos em VIDAS SECAS graças a um certo podcast #85].
    [02. John Ajvide Lindquist em LĀT DE GAMLA DRÖMMARNA DÖ “A maldição de Domaro”]
    [03. Ariano Suassuna em AUTO DA COMPADECIDA]
    [04. Lúcia Machado de Almeida em O CASO DA BORBOLETA ATÍRIA]
    [05. Douglas Adams em THE HITCHHIKER’S GUIDE TO THE GALAXY]

    Podcast retrospectiva foi muito bom valeu por me fazerem revisitar minhas leituras, bom 2015.

    • Angelo,

      Acho que foi recategorizar o pior personagem para troféu “filho da puta”, gostei da ideia!

      Esse Red Dragon é o livro do autor que criou o Hannibal, certo? O filme é bem ruim, mas acho que o livro deva ser melhor.

      Excelente começo, hein? Graciliano Ramos, muito bom!

      Fico feliz que tenha gostado do episódio.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Daniel Di Sevo

    Olá, parabéns pelo programa.

    Apenas queria ressaltar para que lessem mais livros de Nelson Rodrigues, o maior dramaturgo brasileiro. Esses novos autores de hoje em dia com certeza não são muita coisa perto dele em termos de qualidade, tanto na parte escrita, como na narrativa e etc. Falem mais sobre ele, sobre suas obras. Recomendo Toda Nudez Será Castigada e Perdoa-me Por Me Traíres.

    • Daniel,

      Excelentes indicações. Prometemos segui-las.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Daniel Di Sevo

    Qual o melhor escritor internacional? Anton Tchecov

    Qual o melhor escritor nacional? Nelson Rodrigues
    Qual o livro cebola de 2014? Nenhum, tudo ruim.

    Qual o melhor personagem? Herculano ( Toda Nudez Será Castigada )

    Qual o pior personagem? Qualquer um de A culpa e das Estrelas, 50 tons de cinza e esses livros novos

    Qual o melhor vilão? Tiu Raul ( Perdoa-me Por me Traíres )

    Qual a melhor editora de 2014? Nenhuma
    Qual o pior livro de 2014? Todos lançamentos, só tem autor ruim
    Qual o melhor livro de 2014? Nenhum, como disse só autor ruim
    Quais as 5 promessas de leitura de 2015? Nenhum, o mundo vive uma crise de gênios ( falta )

    • Daniel,

      O importante é a sinceridade. Consegui comprei um livro de crônicas do Nelson Rodrigues para o meu Kindle e queria muito poder lê-lo neste ano.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Qual o melhor escritor internacional? Oscar Wilde.
    Qual o melhor escritor nacional? Machado de Assis. Sim, só tomei vergonha na cara para lê-lo em 2014.
    Qual o livro cebola de 2014? Não costumo chorar lendo livros, mesmo que alguns me toquem bastante. Mas o que realmente mais me emocionou foi O Ensaio Sobre a Cegueira, do Saramago.
    Qual o melhor personagem?
    Tyler Durden do Clube da Luta, com toda certeza.
    Qual o pior personagem? Griffin, o cientista invisível de O Homem Invisível. Completamente idiota e repugnante. Foi o personagem que mais me deu raiva.
    Qual o melhor vilão? Dorian Gray. Esse cara é um vilão, porra.
    Qual a melhor editora de 2014? Zahar.
    Qual o pior livro de 2014? Na construção da Muralha da China, Kafka. Sim.
    Qual o melhor livro de 2014? O Ensaio Sobre a Cegueira. Olha ele aqui novamente.
    Quais as 5 promessas de leitura de 2015? O Velho e o Mar; O Silmarilion; As Intermitências da Morte; Christine e O Oceano no Fim do Caminho (São os cinco livros que há tempos eu enrolo para ler e ainda não li. Desse ano não passa!)

    • Jefferson,

      Concordo plenamente que Dorian Gray é um vilão. O mais estranho é que seria um vilão de si.

      Nunca li o livro de Kafka citado, agora fiquei curioso.

      Meu conselho é começar 2015 com Saramago, pois assim estará começando com o pé direito.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Acabei esquecendo de comentar os livros de 2014. Não seguirei uma lista rígida, mas farei algumas considerações:

    Acho que durante o ano, vários autores e obras se mostraram sob uma luz muito positiva, como por exemplo Novello, Spohr, Martin, Saramago (apesar do triste fato),

    o esforço do Vianco em trazer para as telas suas obras,

    minha descoberta do Gaiman (apesar de ainda não ver motivos para tanta adoração),

    a mudança de comportamento da Marvel em favor das minorias,

    o fato de que consegui ensinar minha esposa a gostar de ler (ano que mais leu na vida),

    o fato de que eu presenteei a minha amiga oculta com o livro do Pequeno Príncipe (e quase não consegui entregar, pois era uma edição especial limitada e eu queria o livro pra mim),

    o fato que finalmente comecei a escrever meu próprio livro em conjunto com minha esposa,

    minha consideração positiva sobre 50 tons de cinza, que apesar de não ser um livro bem feito, e de não merecer um lugar nem na minha lixeira, pelo menos trouxe mais gente para a leitura e dando a chance assim para verdadeiros livros despertarem a curiosidade desses novos leitores que entraram para o mundo da literatura (graças a uma modinha sem graça) mas espero que fiquem e que possam aproveitar ao maximo

    • Klaus,

      Achei suas considerações mais que justificadas. Sobre 50 tons trazer pessoas para a literatura nunca duvidei disso, não acho que nenhum livro mereça ir para a lixeira é melhor doar.

      Obrigado pelo comentário. E parabéns por ter trazido sua esposa ao mundo dos leitores.

      Abraços.

  • Eu adoro esse podcast de retrospectiva para conhecermos o perfil dos cabulosos e dos ouvintes. Infelizmente, este ano foi terrível; li menos de 20 livros. Dividi meu tempo com mangás, poesias, animes, games, partes de livros teóricos etc. Ficou tudo muito fragmentado e, no próximo ano, apesar de ser último ano de faculdade, tentarei ler mais alguns romances, de preferência mais curtos. Será um pouco complicado fazer essa lista nestas condições, mas vamos lá…

    Melhor autor estrangeiro: Gabriel García Márquez. Minha primeira leitura foi por obrigação, para um trabalho de faculdade. Mas ao contrários dos clássicos brasileiros do Ensino Médio, Do Amor e Outros Demônios foi uma leitura muito gostosa. Criei coragem para encarar Cem Anos de Solidão, e foi então que o autor conseguiu me cativar com sua escrita e criatividade, chegando até a influenciar em meus escritos depois da leitura. Já tenho mais outro livro dele na minha lista de 2015, junto com a releitura de Cem Anos de Solidão.

    Melhor autor nacional: Não li nenhum livro nacional este ano a não ser alguns teóricos, como o Fantasia, Ficção Científica e Horror no Brasil entre o final do século XIX e 1950, do Roberto Causo. Como andei lendo algumas poesias, então minha escolha é o poeta Manuel Bandeira, que foi quem despertou meu gosto por poesia desde o ano passado.

    Livro que me fez chorar: Dificilmente choro com livros. Mas as lágrimas escorrem fácil no audiovisual com uma trilha sonora melancólica de fundo. Porém, neste ano, encerrou-se a serialização do mangá Naruto. Acompanhei-o por sete anos, e é uma obra que marcou muito a minha vida. Por isso, rolou uma lágrima no dia em que li os dois últimos capítulos (ainda mais porque fui lendo escutando uma trilha sonora deprê que tem no anime, rs).

    Melhor personagem: Nenhum personagem de romance chamou-me atenção este ano, e mesmo que chamasse, ainda assim eu escolheria o “protagonista e vilão” do mangá Assassination Classroom, Koro-sensei. Trata-de se um mangá shonen bem divertido em que um alienígena (Koro-sensei) com forma de polvo decide ser professor da pior (e discriminada) turma de um colégio, sendo que os alunos dessa turma possuem a missão de assassinar o professor, embora nem mesmo um exército seja capaz disso, antes que Koro destrua o planeta no prazo de 1 ano. Apesar do enredo nosense, a história traz à tona bons temas envolvendo a educação nas escolas e o papel do professor. É super viciante e divertido.

    Pior personagem: Melanie, de A Fada (Carolina Munhoz). Que personagem irritante! É a protagonista e narradora do livro. Além das falhas de estrutura no enredo, como não ser didático em apresentar o universo e os acontecimentos, confundindo o leitor, a personagem não ajuda muito em seus dramas pessoais, falando a todo instante de uma missão que precisa realizar e não sabe o que é. Na verdade, os aspectos ruins do livro (que abandonei depois de 100 páginas) acabam transformando Melaine numa personagem também ruim. Mas como tenho outro livro para escolher na categoria Pior Livro, vai este mesmo aqui.

    Melhor vilão: A dupla Croup e Vandemar, de Lugar Nenhum. Nos poucos livros que li, não achei nenhum vilão fodástico, então estou destacando esses dois por serem antagonistas um pouco atípicos, daqueles que têm um leve veia cômica e gostam de brincar com seus assassinatos.

    Melhor editora: Draco. Comprei alguns livros da Draco em uma feira recente e fiquei boquiaberto com a diagramação e capricho dos livros. Excelente. E, bem, vocês não disseram Pior Editora (certamente para não perder um futura parceria, rs), mas tenho que dizê-la: Panini. Por quê? Por que diabos alguns mangás dessa editora descolam só de folhear, SÓ DE FOLHEAR.

    Pior Livro: Eu poderia citar A Fada, mas acabei desistindo da leitura. Vou citar algum que terminei e me desagradou mesmo após a minha insistência. O Presidente Negro, de Monteiro Lobato. Uma distopia “contemplativa” em que o futuro é baseada na eugenia, nas raças superiores e inferiores (brancos e negros, respectivamente), mas que pouco ou nada é discutido e nem mesmo rebatido pelo protagonista que narra a história. Trata-se de um folhetim meio baseado em Wells, com máquina de prever o futuro, mas, apesar da boa escrita, a estrutura é bem falha.

    Melhor Livro: Queria ter mais opções em uma escassa bagagem de leitura em 2014, mas, como não a tenho, escolherei o Planeta dos Macacos. Tudo o que posso dizer a respeito se encontra nesta resenha aqui publicado no Papo de Cafeteria. http://www.papodecafeteria.com/resenha-planeta-dos-macacos-de-pierre-boulle/

    Abraços.

    • Luiz,

      Também gosto de relembrar as leituras. Acho que perdemos muito quando não iniciamos o ano de 2014 com nossa retrospectiva de 2013, mas bem, errata feita. 😀

      Esse livro do Causo só encontrei no Estante Virtual por 120 Dilmas, por isso decidi esperar um pouco não estou com tanto dinheiro assim. 😛

      Acho que poderíamos acrescentar no lugar de pior editora, melhor adaptação que assistimos, o que acha? A Draco sempre me surpreende não importa qual outra editora eu goste.

      Não conhecia o livro de Planeta dos Macacos, olha aí! Que novidade.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

      • Luiz Teodosio

        Acho uma boa essa categoria de melhor adaptação. São cada vez mais frequentes. Este ano, por exemplo, acho que A Esperança ganharia. E fica a dica sobre o Planeta dos Macacos, uma ótima ficção científica.
        Abçs.

        • Luiz,

          os filmes deste ano se superaram sem sombra de dúvida (tem muita porcaria também, mas tem muita coisa boa também).

          Obrigado pelo comentário.

          Abraços.

  • FRANCESCA

    Gostaria muito poder responder a todas as perguntas presentes aqui.

    Qual o melhor escritor internacional? Neil Gaiman…finalmente li um livro do cara.
    Qual o melhor escritor nacional? Raphael Dracon
    Qual o livro cebola de 2014? (Que te fez chorar) não li nenhum que fizesse chorar esse ano
    Qual o melhor personagem? não tenho
    Qual o pior personagem? não tenho
    Qual o melhor vilão? não tenho
    Qual a melhor editora de 2014? Darksides Books, para mim, o cuidado em especial com o acabamentos livros faz a diferença sim.
    Qual o pior livro de 2014? não tive
    Qual o melhor livro de 2014? não tive nenhum preferido.

    Quais as 5 promessas de leitura de 2015

    ahhhhh….
    1. eu quero ler os livros que estão na minha estante que comprei/ganhei no início do ano passado.
    2. queria ler em voz alto par ao meu filho que vai vir possa ir se acostumando.
    3. queria ler histórias infantis para o meu filho. mas nem sei quando começar.
    4. queria aprender e fazer pelo menos um audiobook de história infantil, com as vozes do pessoal da minha família (mamãe, papai e maninho).
    5. queria ler mais novos leitores.

    • Francesca,

      Acho que você pode ler para seu filhinho ainda na sua barriga. Tenho exemplo de muitas mães que assim o fazem.

      Você queria ler mais novos leitores ou novos autores? 😀

      Suas promessas são bem interessantes e simples como devem ser. Mas o importante é ler, não importa quanto e se como. E o como é óbvio, leia com qualidade.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Daniel Buchinger Jr

    Daniel
    27 anos, programador, Sao Bento do Sul – Santa Catarina
    Lendo : Antes da Forca – Joe Abercrombie

    o podcast foi muito divertido e anotei vários livros que foram mencionados no cast para ler em 2015 , mas falaram mal do Metallica que é minha banda favorita então estou largando o cabulosocast, brincadeira todo mundo tem todo o direito de ter o próprio gosto né.

    então vamos as perguntas

    Qual o melhor escritor internacional? Stephen King, menções honrosas para a Gillian Flynn por Garota exemplar (que por sinal foram vcs que me convenceram a ler) e Markus Susak por A menina que roubava livros, mas fico com o King por ter lido mais livros dele neste ano e gostado de todos que eu li, eu finalmente pude conferir It – a coisa dele que eu queria ler a muito tempo e nunca tinha achado em lugar nenhum para comprar, também li A espera de um milagre e Novembro de 63 dele.

    Qual o melhor escritor nacional? vou ficar com Machado de Assis que eu tbm li por causa de vocês depois de ouvir o cast “minguem meche no meu Machado de Assis” ou algo assim, eu li Dom Casmurro e quero ver se leio mais alguma coisa dele em 2015, menção para Leonel Caldela por A Lenda de Ruff Ghanor que é um livro pipocão muito divertido de se ler.

    Qual o livro cebola de 2014? (Que te fez chorar) A menina que roubava livros, não tem como comentar sem dar spoilers… então só vou dizer que foi a parte final do livro que me fez chorar.

    Qual o melhor personagem? vou ter que trapacear nesta…
    O grupinho do livro It, não da para escolher um em especifico seria um pecado.
    Amy de Garota Exemplar premio de sociopata\psicopata do ano para ela e olha que eu li um livro do Dexter ano passado também.
    Hans de A menina que roubava livros, tem como não gostar deste senhor?

    Qual o pior personagem? Pior que não teve nenhum que eu cheguei a odiar por achar ruim… eu li Morte Súbita e tem vários personagens que é fácil de desgostar naquele livro mas eu entendo que a Rowling quis escrever eles desse jeito: falhos, mas se for para citar nomes Gavin,Samanta e Terri foram os que me fizeram sentir mais desgosto no livro.

    Qual o melhor vilão? Vou ficar com o Pennywise de It, um monstro que usa os seus medos contra você, meio clichê escolher um monstro como vilão, mas ainda assim foi o vilão que eu decididamente não queria chegar nem perto.

    Qual a melhor editora de 2014? Darkside por causa da qualidade dos livros, e WMF Martins Fontes por estar trazendo a série de livros que deram origem ao jogo The Witcher traduzidos direto do polonês para o português.

    Qual o pior livro de 2014? O pesadelo – Lars Kepler, eu gosto de livros de suspense e eu gostei do primeiro livro de Lars Kepler mas este não conseguiu me empolgar, o livro não embalou e só terminei de ler porque não queria deixar pela metade.

    Qual o melhor livro de 2014?
    It a Coisa, era o livro que eu mais queria ler este ano, estava com uma expectativa enorme, o que normalmente é receita para um desastre, mas ele conseguiu suprir as minhas expectativas e ser melhor até do que eu esperava.
    Menções honrosas para os livros que citei no melhor autor: Garota Exemplar e A menina que roubava livros.

    Quais as 5 promessas de leitura de 2015?
    Ler mais autores nacionais em geral, neste ano só li 4 livros nacionais.

    Ler no minimo um livro de Machado de Assis ou algum outro autor classico da nossa literatura, quem sabe o Vidas Secas, foi esse que foi citado no cast pelo Lucien né? eu estou meio mal da memoria, eu ouvi o cast segunda feira passada e estou enrolando para comentar desde entao.

    Ler um livro do Eric Novello

    Ler um livro do Gaiman eu só li Deuses Americanos e O oceano no fim do caminho dele

    Ler algo do Saramago aceito e agradeço sugestões de por qual livro começar

    Por fim desejo um feliz 2015 para a equipe Cabulosa e um muito obrigado pelas horas de entretenimento que vocês me proporcionaram em 2014.

    • Daniel,

      Ainda estou na dívida com King, sempre espero ler algo dele nos anos vindouros, mas acabo deixando passar. 🙁

      Sus trapaças estão aceitas, levando em consideração que eu também burlei a pauta.

      Pois é, ninguém escolheu um monstro como vilão, por isso achei interessante a sua escolha, muito bacana.

      Sobre sugestões para começar a ler Saramago sempre acho bacana Ensaio sobre a Cegueira e Ensaio sobre a Lucidez, se gostar, pode ir para O Evangelho Segundo Jesus Cristo.

      Muito obrigado pelo carinho e por ouvir o CabulosoCast.

      Um ótimo início de ano a você.

      Abraços.