[Resenha] Barba Ensopada de Sangue – Daniel Galera

2

Sinopse:

Um professor de educação física busca refúgio em Garopaba, um pequeno balneário de Santa Catarina, após a morte do pai. O protagonista (cujo nome não se conhece) se afasta da relação conturbada com os outros membros da família e mergulha em um isolamento geográfico e psicológico. Ao mesmo tempo, ele empreende a busca pela verdade no caso da morte do avô, Gaudério, que teria sido assassinado décadas antes na mesma Garopaba, na época apenas uma vila de pescadores. Sempre acompanhado por Beta, cadela do falecido pai, o professor mergulha na investigação sobre o misterioso Gaudério, esquadrinhando as lacunas do pouco que lhe é revelado, a contragosto, pelos moradores mais antigos da cidade. Portador de uma condição neurológica congênita que o obriga a interagir com as outras pessoas de um modo peculiar, o professor estabelece relações com alguns moradores – uma garçonete e seu filho pequeno, os alunos da natação, um budista histriônico, a secretária de uma agência turística de passeios. Aos poucos, ele vai reunindo as peças que talvez lhe permitirão entender melhor a própria história. É também com lacunas e peças aparentemente díspares que Galera constrói sua narrativa alternando descrições sutis e detalhamento com diálogos ágeis e de rara verossimilhança, que dão vida a um elenco de personagens. ‘Barba Ensopada de Sangue’ se propõe a resgatar e levar às últimas consequências temas e conflitos das obras anteriores do autor tais como – a construção da identidade e, nesse processo, as dificuldades que se enfrenta para entender e reconhecer os outros; a necessidade inconfessa de uma reparação talvez inviável; a busca pela unidade entre mente e corpo; o consolo afetivo que o contato com a natureza e os animais é capaz de proporcionar; os diversos tipos de violência que podem irromper em meio a uma existência domesticada.

barba-ensopada-sangue-capa
Capa do livro Barba ensopada de sangue

Finalmente li o tão falado livro de Daniel Galera. Dei de presente pro meu pai no ano passado e ele gostou. Peguei emprestado pra matar a curiosidade a respeito da obra e do autor. É um livro excelente, bem escrito e envolvente, apesar de alguns momentos mais lentos.

Galera narra a busca de um homem pela verdade sobre a morte do avô na cidade litorânea de Garopaba desde sua mudança, os amigos que faz lá, os amores e tudo mais. O homem em questão, um professor de educação física e atleta, tem uma condição psicológica que o impede de reconhecer rostos, algo bastante inusitado.

O livro aborda o relacionamento dele com as pessoas, como ele lida com sua incapacidade de reconhece-las, e também a amizade com a cadela do pai falecido que pegou para si antes de se mudar fugindo de diversos problemas familiares e curioso pelo mistério da morte de seu avô Gaudério, que teria sido assassinado na cidade nos anos sessenta.

Galera pode ser bastante descritivo às vezes, mas faz isso com habilidade, envolvendo o leitor na cena que pinta, e não se esquecendo das personagens mesmo durante esses momentos. Ele também se utiliza de um recurso narrativo bastante diferente (eu pelo menos nunca tinha visto), e que pra mim não funcionou.

Como o livro todo é narrado em torno do protagonista, quando Galera quer mostrar algo pelo ponto de vista de outro personagem, seja a mãe ou a ex-mulher do rapaz, ele o faz através de notas de rodapé, algumas delas gigantescas que chegam a ocupar mais de uma página. Isso não me agradou, pois você precisa parar no meio da leitura quando encontrar o asterisco, ler a nota toda e depois retornar ao fluxo normal do livro. Pra mim foi bastante disruptivo, batia aquele desanimo que vinha uma dessas notas, que apesar disso, contém informações muito importantes em sua maioria e aparecem apenas algumas vezes.

O livro é dividido em três partes, sendo que achei a parte dois um pouco arrastada. Na mesma medida que tem acontecimento de extrema importância, há grandes partes que não afetam consideravelmente os eventos posteriores e poderiam ter sido deixados de lado, o que resultaria num livro mais enxuto. A parte três da uma guinada impressionante na narrativa, com um capítulos que me fizeram prender o fôlego até terminá-los, tamanha tensão apresentada.

O último capítulo fecha o livro desvelando alguns pontos que haviam sido apenas insinuados até então. O final planta diversas dúvidas na cabeça do leitor, que fica fazendo conjecturas e ligações com outros fatos apresentados anteriormente. Impossível fechar o livro sem voltar ao início e reler o prólogo para relembrar o que foi dito e absorver melhor detalhes que passam desapercebidos na primeira vez. Só então a leitura pode ser finalizada em sua plenitude.

O último parágrafo por ser interpretado como a fala de um personagem para o outro ou como o próprio Galera se dirigindo aos leitores. Ao menos foi essa a clara impressão que me ficou. Enfim, um livro fenomenal que sem a menor sombra de dúvidas vale a leitura.

Nota:

4 Selinhos Cabulosos

 

Ficou interessado(a)? Então compre o livro:

Editora:  Companhia das Letraslogolucas_vectorized (1)
Autor: Daniel Galera
Origem: Brasileira
Ano: 2012
Número de páginas: 424

Skoob

 

  • Ao mesmo tempo em que tenho vontade de ler esse livro, tenho uma certa repulsão por ele… Isso é possível? Sinto que, se tiver oportunidade de comprá-lo, não o farei, mas se por qualquer motivo ele cair na minha mão lê-lo-ei imediatamente…! Ainda não entendi o porquê, mas essa resenha me ajudou a desbalancear um pouco a indecisão =)

    • Oi Rodrigo!
      É um livro muito bom apesar das ressalvas que fiz. Vale a pena!
      Fico feliz que o tenha ajudado de alguma forma.

      Obrigado pelo comentário!