[SABIA QUE TEM LIVRO?] Os Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos – Volume 1 – Cassandra Clare

6
Cidade dos Ossos - Capa do livro

Mais uma daquelas sagas que tratam de fantasia, mundos sombrios, criaturas fantásticas e triângulo amoroso.

Crepúsculo?! Não!!!!!

Queridos Cabulosos, apresento a vocês a saga Os Instrumentos Mortais

Conheçam a  Cidade dos Ossos!

Sejam todos muito bem-vindos!

Os Instrumentos Mortais - Cidade dos Ossos
Os Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos

A pergunta que não quer calar: para que tanto dinheiro para um filme assim?

O filme “Os Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos” foi lançado em agosto de 2013. Sob direção de Harald Zwart (“A Pantera Cor de Rosa 2“, “O Agente Teen” e “Karatê Kid“, versão de 2010), o filme conta com um elenco forte: Lily Collins, conhecida por suas atuações em “Espelho, Espelho Meu” e “Um Sonho Possível“, interpreta Clary, a protagonista da história; Jamie Campbell Bower, diretamente provindo da parte final da saga Crepúsculo – Amanhecer parte 1 e 2  interpreta Jace. Além disso, o elenco principal ainda conta com Kevin Zegers, conhecido por seus papel em “A Madrugada dos Mortos” como AlecJemima West, de “Joana D’arc” como Isabelle Robert Sheehan, de “Caça às Bruxas” como Simon.

Acha que é pouco? A belíssima Lena Headey (sim, ela mesma: a Cersei Lannister de Game of Thrones) interpreta a enigmática Jocelyn, mãe de Clare, enquanto a personagem Dorothea é interpretada pela fantástica CCH Pounder (“Sons of Anarchy“, “Avatar“, “A Órfã”) e para encerrar com chave de ouro o super vilão Valentine é interpretado por Jonathan Rhys Meyers, conhecido pelo papel protagonista na série Drácula (#suspiros).

Com um orçamento de 60 000 000 $, o filme foi produzido e distribuído pela Paris Filmes e tem duração de 130 minutos.

130 minutos de pura tortura ou pura alegria, depende de cada espectador

Cena do filme "Os Instrumentos Mortais - Cidade dos Ossos"
Cena do filme “Os Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos”

Simples assim. Em minha opinião, o filme saiu do nada e chegou a lugar nenhum passando rapidamente pelo mundo sombrio que poderia levar à Cidade dos Ossos.

Porque poderia? Sinceramente, sinto muito em dizer, não consegui passar de meia hora de filme. #sosad

Porém, nesse tempo que consegui acompanhar a tela cheguei a uma conclusão: É sim uma adaptação, daquelas ao nível “se você leu, entendeu”. Se você não leu, você imaginou, decifrou. É ruim?! Como disse, é uma daquelas adaptações que você ama ou odeia.

Você sabia que tem livro?

Se você é um daqueles fãs da saga “Os Instrumentos Mortais”, parabéns! Se você gostou do filme, por favor, leia o livro! Se você detestou o filme, leia o livro e entenda o porquê! (Afinal, para uma adaptação … tsc tsc!)

O livro “Cidade dos Ossos” é o primeiro volume da saga “Os Instrumentos Mortais“, escrito por Cassandra Clare. No Brasil, o livro foi lançado em 2010, pela Editora Galera Record e tem aproximadamente 459 páginas.

Cidade dos Ossos conta a história vivida por Clare, uma garota comum que ao lado de seu melhor amigo Simon decide ir a uma boate. Na boate Pandemônio, Clare presencia um assassinato misterioso e como ninguém ao seu redor parece ver o mesmo que ela, ela começa a suspeitar de sua própria sanidade.

Cidade dos Ossos - Capa do livro
Cidade dos Ossos – Capa do livro

Não bastasse ter que lidar com essa situação, um dos assassinos, um jovem chamado Jace começa a perseguí-la, também fascinado por Clare ter visto o assassinato. Apesar de todo o apelo de Clare, Jace continua no seu pé, dizendo que não faz sentido uma mundana vê-los. A não ser, é claro, que ela não fosse uma mundana.

Para entender o que é mundana, do que Jace está falando e não enlouquecer a si mesma ou aos próximos a ela, Clare precisa abrir sua mente e tentar aceitar o que está acontecendo.

Enquanto isso, sua mãe Jocelyn desaparece misteriosamente e tudo indica que ela foi sequestrada. Para salvar sua mãe, Clare terá que confiar em Jace e seus amigos Isabelle (que não vai muito com a cara de Clare) e Alec (que tem seus próprios segredos). O grupo se intitula Caçadores de Sombras e é responsável por livrar a terra de demônios e seres sombrios do mundo sobrenatural.

Relutante, o grupo de assassinos enigmáticos são a única esperança de Clare encontrar sua mãe, já que Luke (o amigo companheiro de sua mãe) não parece querer ajudá-la de forma alguma.

Contanto com a ajuda de Simon, seu amigo mundano, humano e sem a capacidade de enxergar tudo o que Clare e os demais Caçadores de Sombras enxergam, a protagonista terá que conhecer um novo mundo e lutar com todas as suas forças para desvendar os mistérios ao seu redor e salvar sua mãe e, é claro, o mundo.

O livro é muito bem escrito, muito gostoso de se ler. E confesso, infinitamente melhor do que o filme (que, por favor…). Tem seus altos e baixos, mas vale a leitura, sem dúvidas!

O toque de surpresa está sempre presente, a aventura é constante e não chega a ser enfadonho. O livro dá muitas reviravoltas, mas com o tempo certo, o que garante excelência ao se tratar de uma saga com muitos volumes.

A saga conta já com seis livros: Cidade dos Ossos, Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro, Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial (ainda sem data de lançamento).

Enquanto aguardamos o lançamento do próximo volume, ansiamos pela presença de Cassandra Clare na Bienal do Livro em São Paulo.

Enquanto isso…

Enquanto o debate sobre a adaptação continua, aguardamos a visita da escritora e o lançamento dos próximos livros, meu conselho do dia é que você leia os livros da saga!

Além disso, confira tudo o que já rolou aqui no Leitor Cabuloso sobre o livro:

Excelente resenha da Serena Cabulosa sobre o livro 

O primeiro trailer do filme noticiado aqui no Leitor Cabuloso

CabulosoCast Drops #24 – Em Chamas, Moby Dick, Cidade dos Ossos e Sob a Redoma

Agora quero saber, o que achou do filme? E do livro? Aprovado? Desaprovado? Conta pra gente! 🙂

Logo logo tem mais aqui na Coluna Sabia que tem livro? (#promisse)

Excelente semana a todos!!!

  • Caroline

    Amooo sagas e essa com certeza vai para o meu caderninho de vou ler hahaaa … ameeei a coluna, como sempre você nos faz se interessar pelo tema discutido.

    Bjos

    • Oi Carol!
      Obrigada pela visita e pelo comentário! =)
      Fico feliz que tenha se interessado pelo assunto!
      É um bom livro, sem sombras de dúvidas! =)
      Tenha uma ótima leitura!
      Bjos

  • Rafael Botter

    Bom dia, boa tarde ou boa noite!

    Meg, mais um post incrivel que você faz, em primeiro lugar quero deixar os parabéns pela forma que você descreveu sobre o livro e o filme.

    Eu lembro desse livro, só que passou batido na livraria e nem comprei e agora com sua matéria eu fiquei curioso em ler porém fico só na parte da leitura, ultimamente eu não sei o que está acontecendo comigo que é só eu assistir um filme eu durmo hehehehehe.

    Ficou show de bola Meg seu post, poxa só eu que te chamo pelo seu apelido rsrsrs?

    Ah! #Ficadica de você fazer uma matéria sobre O exorcista.

    Bjss!

    • Olá Rafa!
      Obrigada pela visita e pelo comentário! É muito bacana que alguém da família Cabulosa também acompanhe nosso trabalho! 🙂
      Eu gostei do primeiro livro, os próximos estão na lista. O meu problema de aceitação foi com o filme! Mas não por ser adaptação, por ser um filme “blec” mesmo! =P
      Pode aguardar que dentro dos próximos dias teremos o post sobre “O Exorcista” 😉
      Bjs
      Ah, sim, você não é o único! Talvez seja o único daqui! Mas, sem problemas! =)

  • Alvaro Rodrigues

    Ainda não li o livro, mas vi o filme duas vezes. Tudo bem que a segunda foi a definitiva, pois dormi na metade do filme na primeira tentativa. Não tenho nada contra adaptações, muito pelo contrário, acho muito bem vindas. Elas aproximam ainda mais o leitor, mesmo que mude algo na história (como em The Walking Dead) acaba por nos apresentar uma nova visão, uma nova idéia, uma nova mídia para a série que você já aprecia, novos prazeres; fora isso, apresenta um novo universo aos que nunca leram o livro (neste caso, como eu).
    Acredito que este tipo de leitura não seja para mim, por isso a falta de entusiasmo com o filme e até mesmo em ler o livro, apesar de achar as capas muito bonitas, então não deixarei uma crítica negativa à obra como um todo. Assim sendo, só posso afirmar, que ao menos para mim, o filme foi bem fraco em fotografia e principalmente em atuação, mesmo tendo um elenco de peso.
    No mais, um abração Domenica e até a próxima!

    Alvaro Rodrigues, 26 anos, Rio de Janeiro

    • Olá Alvaro!
      Muito obrigada pela visita e pelo comentário!
      Eu também sou adepta a adaptações, mas esse sinceramente não me desceu.
      Não é por ser uma adaptação, é por ser um filme que ao meu ver foi ruim mesmo.
      Aproveitando que você é fã de adaptações, fica o convite para você ouvir o CabulosoCast #86. O tema foi exatamente esse, e olha eu passei apertado na mão da Priscilla, do Lucien e do Marcelo como convidado! hahahaha
      Espero que continue sempre vendo nossa coluna!
      Um abração! =)