[Resenha] Um Hotel na Esquina do Tempo – Jamie Ford

6


hotel

Tive um certo receio em iniciar esse livro. A palavra “romance” sempre me lembrava os típicos romances famosos de agora: uma garota comum e sem graça, um cara bonito e gostoso que acaba gostando dessa garota e todos ao redor sentem inveja do quão perfeito o casal é. A leitura de Um Hotel na Esquina do Tempo foi muito boa para me lembrar que romances não se resumem a isso. Alguns romances podem fazer você sorrir enquanto lê, o que foi o caso.

Ele se passa na Segunda Guerra Mundial nos EUA. Outro ponto positivo é que é um livro da segunda guerra que não fala de judeus ou alemães. Ele se foca nos japoneses, ou melhor, nos descendentes dos japoneses, americanos de olhos puxados que vivem nos Estados Unidos e como eles foram tratados.

O protagonista do livro é um garoto chinês, Henry Lee que sofre perseguições por ninguém saber a diferença entre um chinês e japonês e considerar “tudo a mesma coisa” naquela época (espero que tenha mudado).  Na escola, durante o recreio ele ajuda na cozinha e depois da aula limpa as salas e as organiza. Ele até acha melhor, já que escapa das surras no recreio e pode sair quando todos já foram. Estuda em uma escola de brancos por escolha do pai, que exige que ele fale somente inglês para ser aceito, mas os pais não entendem o inglês, então a comunicação deles é zero.

Esses acontecimentos deprimentes tem uma guinada quando aparece outra ajudante na cozinha da escola: uma japonesa, Keiko Okabe. Eles se ajudam e compartilham o preconceito por causa da cor da pele e etnia. Como o próprio Henry diz “eles são iguais”. Ele acaba se apaixonando por Keiko e tem que enfrentar muita coisa para manter a amizade e poder transformá-la em algo mais, enfrentar principalmente os pais que odeiam japoneses e qualquer coisa relacionada a eles.

O livro é excelente e em muitos momentos você critica o destino por ter de acontecer daquela forma. É o tipo de leitura que quando acaba você fica triste porque gostaria que existisse mais algumas centenas de páginas para ler. Como disse no início, eu não sou muito fã de romances, mas gostaria de ler mais livros como esse.

NOTA:

05-selos-cabulososEditora: Agir
Autor: Jamie Ford
Origem: Estrangeira
Título original: Hotel on the Corner of Bitter and Sweet
Ano: 2012
Número de páginas: 362
Skoob

  • Succ Kammiekazzie

    Eu ando meio traumatizada com romances pelos motivos que você comentou no início do post. Este parece ser bem interessante, vai pra linha lista de presentes de aniversário, de natal ou dia das crianças.

    • Priscilla Rubia

      Succ, eu que não sou fã do gênero gostei bastante e até já emprestei o livro hahaha
      Acho que você vai curtir. Abraços!

  • Janaina Muniz

    Oi Priscilla,

    Eu não sabia da existência de campos de concentração para japoneses nos EUA até assistir um episódio de Cold Case (não sei se você conhece essa série) sobre o assunto. Saber que tem um livro que aborda (mesmo que tangencialmente) esse tema me deixa muito curiosa, vou lê-lo. Sobre uma coisa que você disse no CabulosoCast Drops e também nessa resenha: a uniformização dos enredos dos livros, principalmente dos livros considerados “para mulheres” ou chick-lit. Eu estou cansada dessa massificação de histórias iguais, enredos românticas de menina chata dividida entre dois meninos (seja nos EUA, na Índia, com vampiros ou com alienígenas). Eu fico me perguntando, será que os editores pensam que mulher só se importa com isso? e eu que não me importo, estou na contramão dessa tendência? Queria saber sua opinião.

    • Oi Janaina,
      Eu assistia Cold Case no SBT e gostava bastante, mas não vi esse episódio >: Na verdade eu só fiquei sabendo mesmo dos campos de concentração nos EUA quando li esse livro.
      A questão dos gêneros é porque a editora é uma empresa e infelizmente precisa fazer isso pra ganhar dinheiro. Então quando um gênero faz sucesso, pipocam outros livros iguais. Vide o caso Cinquenta Tons. Hj tem uma estande de livros eróticos nas livrarias, coisa que seria impensável uns 5 anos atrás. Saem algumas coisas boas nisso, mas a maioria é igual de um jeitinho diferente.
      Obrigada pelo comentário!

  • Odirlei Bsf

    Quando comprei o livro foi meio que por acaso, fui em uma banca comprar umas revistas e procura um dicionario em conta pra comprar já que em livrarias costumam ser muito caros. Foi então que vi uns livros e perguntei o preço ao dono da banca, e gostei do valor que era muito barato pra qualidade (que era ótima), eu olhei alguns títulos e optei por “Um hotel na esquina do tempo”, não achei que fosse grande coisa. Eu comecei a ler e fui cativado já na primeira pagina, é um romance, mas não um daqueles romances de adolescentes (nada contra, gosto é gosto). É um romance de verdade, uma história fascinante que te faz querer mais. A história te mostra quem são as vitimas de uma guerra.
    Um dos melhores livros que já li, 100% recomendado.

    • Odirlei, eu também me surpreendi com essa história. Esperava um romance água com açúcar, mas me marcou profundamente. Obrigada pelo comentário!