[Poetize] Funções da Arte e Poesia

1

arteculturaA arte em suas mais diversas manifestações – literatura, escultura, pintura, música, etc – nunca deteu-se em uma forma e contexto imóveis e inertes. Por isso mesmo, nem sempre exprime a mesma funcionalidade no decorrer do tempo-espaço. Em dado ponto, ela aparece para contar-nos uma história que entreterá as noites frias, em outro registra um fato decorrente e, ainda em outra ocasião serve como instrumento de protestos maiores e mais amplos. Ainda assim, sempre podemos elencar características comuns nas diferentes vertentes artísticas, a despeito de terem surgido sob diferentes aspectos e situações/condições. Há algo de permanente na essência artística, como uma verdade absoluta.

No geral, levando-se em conta o interesse e propósito de alguém para com o objeto artístico, pode-se distinguir três funções distintas da arte:

Função pragmática ou utilitária – nesse quesito, a arte é útil e serve para se alcançar uma finalidade desvinculada da arte em si. Essa utilidade pode variar desde um vaso que ornamenta uma sala qualquer até mecanismos desenvolvidos para servirem de aliados na educação, por exemplo. O poema A Boneca, de Olavo Bilac, ilustra bem esse caso. Nos versos, ainda que de forma menos categórica, vemos uma construção erigida em função de um ensinamento moral.

Deixando a bola e a peteca,
Com que inda há pouco brincavam,
Por causa de uma boneca,
Duas meninas brigavam.
Dizia a primeira: “É minha!”
—  “É minha!” a outra gritava;
E nenhuma se continha,
Nem a boneca largava.
Quem mais sofria (coitada!)
Era a boneca. Já tinha
Toda a roupa estraçalhada,
E amarrotada a carinha.
Tanto puxaram por ela,
Que a pobre rasgou-se ao meio,
Perdendo a estopa amarela
Que lhe formava o recheio.
E, ao fim de tanta fadiga,
Voltando à bola e à peteca,
Ambas, por causa da briga,
Ficaram sem a boneca…

A Função Naturalista, por sua vez, adentra um pouco mais na obra de arte, volta o olhar para a representatividade de seu conteúdo. Essa corrente define a arte como um espelho da realidade. Dessa forma, a estátua de uma figura histórica, como Napoleão Bonaparte, por exemplo, tão somente existiria com o intento de remeter o observador à pessoa real de Napoleão.

Por fim, a Função Formalista, como já evidencia o nome, cuida da forma de apresentação da arte. Leia-se essa forma em diferentes níveis de significado. Isto é: suas significações simbólicas que contemplam a envoltura de códigos e sua concepção estética. O critério através do qual uma obra formalista será avaliada é basicamente fundamentado nesses quesitos supracitados. Grosso modo, a poesia concreta é um exemplo possível de uma obra julgada Formalista.

poesia-concretaApesar dessa separação funcional da arte, ela é um conjunto uno de diversas gamas, cores e sons que reproduzem coletivamente diversos aspectos no campo do intelecto e dos sentimentos. Para fins didáticos, até que podemos conceber certa separação. No entanto, a boa e verdadeira arte, aquela que toca nosso íntimo, é inseparável.

Poetize!

  • Ana

    Belíssima postagem! O fato da arte ser imóvel é o que a torna tão grandiosa. Quando a arte é manipulada e moldada para somente entretenimento – ela perde o seu valor como arte. Seja com um preceito emocional ou intelectual, ela tem o poder de tocar as pessoas em seu intimo e mover multidões. Não há nada mais perigoso e ao mesmo tempo mais belo do que a arte – a ponto de causar prazer e dor.