[Resenha] Os Filhos de Húrin do J.R.R Tolkien

9

General Image B2W

Antes de começar a leitura, tive um pouco de receio. O último livro do Tolkien que li foi o Silmarillion e sim, eu tive dificuldades com ele. A grande quantidade de informação, datas, nomes e épocas fez que a leitura fosse cansativa, pelo menos pra mim. Então, quando peguei Os Filhos de Húrin tive medo de que acontecesse o mesmo, mas respirei aliviada ao ver que aquela leitura agradável no estilo de O Senhor dos Anéis estava de volta.

O livro conta a história de Túrin, filho de Húrin. Quem já leu O Silmarillion conheceu sua história no capítulo: De Túrin Turambar, porém neste ela é narrada com muito mais conteúdo e detalhes. Essa história, claro, acontece muito antes de O Senhor dos Anéis. Para você ter certa noção, Tuor, primo de Túrin é avô de Elrond de Valfenda.

Conhecemos a família de Húrin e sua ida para a Batalha das Lágrimas sem Conta (que só pelo nome você já sabe que deu merda) e quando ele deixa Túrin, o herdeiro, aos cuidados da mãe.

“Então ergueu Túrin no ombro e exclamou para seus homens – Que o herdeiro da casa de Hador veja a luz de vossas espadas! – E o sol reluziu em cinquenta lâminas quando estas saltaram para o alto, e o pátio ressoou com o grito de batalha dos edain do Norte: Lacho calad! Drego morn! (Fulgure a chama! Fuja a noite!)” – Pg. 54

Húrin sobrevive a batalha, mas não retorna para casa. Ele é capturado por Morgoth e então amaldiçoado. Ele ficaria preso e veria a ruína de sua família.

“Mas sobre todos os que amas, meu pensamento há de pesar como uma nuvem de perdição, e há de rebaixá-los à treva e ao desespero. Aonde quer que vão, o mal surgirá. Quando quer que falem, suas palavras hão de trazer mau conselho. O que quer que façam, há de se voltar contra eles. Hão de morrer sem esperança, amaldiçoando ao mesmo tempo a vida e a morte.” – Pag. 68

húrin

Vemos então a “perseguição” de Morgoth para com a família de Húrin. E posso dizer que esse é um livro muito trágico.

Apesar de ter gostado muito da narrativa, o livro leva quatro selos por causa do seu protagonista. Túrin é muito arrogante e orgulhoso e muitas vezes tinha vontade de dar um tapa na sua cabeça. Ele me irritou bastante algumas vezes.

NOTA:

4 selinhos

Ficha Técnica:
Editora: Martins Fontes
Autor: J.R.R. Tolkien
Origem: Estrangeira
Título original: The children of Húrin
Ano: 2011 (3ª tiragem)
Número de páginas: 320
Skoob

  • Gabriel Mendes

    Vou ler esse algum dia. Estou precisando de mais Tolkien no sangue

    • Gabriel, depois de ler esse me deu vontade até de reler Senhor dos Anéis xD

      Abraços!

  • Carlos Valcárcel

    Eu também demorei muito para entender o Silmarillion, fiquei lendo a primeira pagina com um bom cuidado por um bom tempo. Tinha muita informação! …depois entendí e gostei muito da historia. Aconteceu algo similar com Os Filhos de Húrin, mas esta vez foi porque não lembrava muito bem da participação no Silmarillion (Eu acho que lí o Silmarillion no inicio do 2000) mas sempre e bom voltar para a Terra Média.

    • Carlos, eu tb n lembrava muita coisa do Silmarillion, mas no meu caso foi por causa da dificuldade de entender a história. Reli uma parte do conto de Túrin em o SIlmarillion e tem até pequenas diferenças que são explicadas pelo Christopher no apêndice desse livro.

  • Se você se irritou com o Túrin o livro cumpriu sua função.
    Porque ele é um personagem arrogante, cabeça dura e extremamente arrogante
    Gosto da história justamente por isso: o herói não é um “herói” boa pinta e que todos gostam. Ele é real, muito chato e cai em muitas provocações facilmente.

    E gostei da sua frase:” .. respirei aliviada ao ver que aquela leitura agradável no estilo de O Senhor dos Anéis estava de volta.”
    Virou quase que bordão por aí a afirmação de que a leitura de Senhor dos Anéis é maçante, e nunca achei isso. Li o primeiro livro em um único dia, de tão boa que é a narrativa!

    Só por esta frase este resenha merece ser recomendada em todos os lugares da internet que frequento.

    Abraço

    • Nilda, lendo seu comentário percebi que realmente, se Túrin fosse o típico herói bom que só faz coisas boas, o livro seria chato xD Mas ele me fez xingá-lo em alguns momentos ¬¬
      Pois é, tem gente que acha SdA difícil… eu lembro que antes de ter condições de comprar outros livros, ainda na adolescência, lia uma vez por ano e sempre gostava.
      Muito obrigada pelo seu comentário!
      Abraços!

  • Lucas Ferraz

    Muito bom o livro. Um versão alongada do capítulo do Silma conforme dito, mas mesmo assim vale muito a pena mesmo, principalmente pra um viciado visceralmente em Tolkien que nem eu.
    A história dos Filhos de Húrin é a tragédia máxima da Terra-Média, e teve consequências desastrosas, pois resultou na forja do Nauglamir e na posterior queda de Doriath.
    Alias essa é minha única critica, não a história, mas ao Christopher Tolkien. Ele deveria ter fechado o livro com o texto que omitiu do Silmarillion chamado As Andanças de Húrin.
    Eu quando terminei o livro fechei a leitura com esse texto como último capítulo e faz uma diferença brutal. Só foi lançado num dos volumes da Série History of Middle Earth, no volume 10 se não me engano, e é incrível. O site Valinor tem uma tradução se não me engano.

    • Priscilla Rubia

      Lucas, não sabia da existência desse capítulo! Vou procurar agora! Poxa, o Christopher poderia tê-lo usado realmente.
      Obrigada pelas informações!
      Abraços!