5 dicas para sobreviver a uma Bienal

3

A Bienal do Rio de Janeiro começa dia 29 de agosto (quinta-feira) e muitos leitores consideram este evento a sua Campus Party. Lá estarão reunidos em um único local autores, editoras, blogueiros… e motivados por esta efervescência intelectual muitos acabam abrindo as carteiras e gastando mais do que poderia ou percebendo que comprou livros por preço que nem nas lojas físicas das próprias editoras seriam cobrados.

Por isso, resolvi, devido a minha experiência fazer este post com 5 dicas simples para você ir a Bienal (qualquer uma) e voltar feliz com a consciência e o bolso tranquilos.

1. Bienal não é local APENAS para comprar livros

palestraPode parecer uma frase bastante óbvia para algumas, mas grande parte do público ainda acha que vai a uma Bienal para comprar livros baratos. O que já provei (no sentido financeiro ser uma grande falácia), pois os livros a além de estarem em sua grande maioria com valores que ultrapassam os de loja, também estão em pequenas quantidades o que deixa a sessão de que se você não comprá-lo naquele momento será a última vez – na face da terra – que verá aquele exemplar novamente.

Uma Bienal é um ambiente propício para se aproximar do seu autor favorito. De assistir a palestras e discussões com pessoas que possuem a mesma paixão que você: os livros. Por isso que afirmo: Bienais não são exclusivamente feitas para comprar livros, mas é um local propício para a interação entre leitores aficionados. Mesmo que não conheça, determinados autores ou determinadas palestras, aproveite o momento para aprender coisas novas, e conhecer propostas diferentes dentro do mundo da literatura.

2. Quer comprar livros? Pague a vista

Homem-destroi-cartao-de-credito-size-620No CabulosoCast #57 – Manias de Leitor, comentei que tenho o hábito saudável de ir a livrarias (e Bienais, por que não?), sem o meu cartão de crédito. E fora o motivo de acabar comprando mais do que realmente posso pagar (como já ocorreu várias vezes por sinal – mais detalhes ouça o CabulosoCast em questão), existe outra vantagem que é acabar recebendo descontos. Sim! Além de poder pedir descontos. Você olha para o vendedor e diz: “Olha só quantos livros eu estou levando… e ai, rola um desconto?” O mais curioso é que um a cada dez vendedores vão lhe fazer a seguinte pergunta: “É a vista ou cartão?”. Se a resposta for a vista, ela irá responder sim. E a segunda… Bem, você já sabe a resposta.

Portanto, se planeje financeiramente a Bienal não explode de uma outra para outra, certo? Há quantos meses você saber disto? Dois, três, quatro, logo guarde um dinheirinho, mesmo que suado, valerá a pena. Não há melhor sensação de que não possuir dívidas, mesmo que seja com algo tão bacana como comprar livros, mas dívidas são dívidas, não importa se por compra de livros, roupas, comida…

3. Siga os blogueiros

beatlesVocê costuma acompanhar blogs literários? Não?! Então é um ótimo momento para começar a corrigir este desvio de caráter. Quando fui a Bienal aqui de Pernambuco como blogueiro, eu percebi que eu – não por ser melhor do que ninguém, mas por estar afundado neste trabalho – sabia exatamente onde iriam acontecer as melhores palestras, os autores mais interessantes (pelo menos para mim, tá?). Se você pegar um calendário de qualquer Bienal é um caldeirão de eventos, palestras, noite de autógrafos… se você já acompanha um blog e se identifica com o gosto daqueles que lá escrevem, então converse com eles via twitter ou facebook e sabia onde estarão, já que é bem provável que onde eles estiverem você deveria estar.

Os blogueiros também sabem os livros podem ser comprados sem os preços serem tão abusivos. E quem sabe, apresentar obras que vagando sozinho, você não encontrasse. Como nós somos pessoas normais e não celebridades, insisto, procure-o nas redes sociais bata um papo com ele/ela e diga que gostaria de acompanhá-lo(a) durante o evento, tenho certeza que a resposta e a experiência será nutritiva para ambos.

4. Pesquise, pesquise, pesquise e quando duvidar… pesquise mais

lupa222Tudo bem. Você não conhece blogueiro algum, seu único dinheiro é o de plástico (cartão de crédito) e agora o que fazer? Pesquise bastante. O seu objetivo realmente é comprar livros, então calce o seu melhor tênis, vista roupas leves, tome um comprimido de pacientol e comece a andar, pesquisando e anotando preços. Caso seja possível, pesquise na internet antes de ir a Bienal, assim quando o valor for muito extorsivos poderá poupar seus trocados e comprar quem sabe dois exemplares em vez de um.

5. Se vai pagar por um livro caro, pelo menos que seja para levar o autógrafo do seu escritor favorito

sebastian-bach-da-autografo3Isto já aconteceu comigo e com Serena. O autor está lá na sua frente, você nem sabia que ele daria autógrafos e agora? Respire fundo, se puder pagar a vista ótimo se não puder, beleza, saque o cartão de crédito e manda vê, mas lembre-se do motivo que é ter o seu livro autografado pelo autor dos seus sonhos. É um sacrifício feito em nome de uma oportunidade única. Contudo se você leu atentamente as dicas anteriores, tenho certeza que isto não será necessário.

  • Pena que moro muito longe, só estou passando vontade, pois em todas as redes sociais só falam da Bienal.

  • Rita Souza

    Bom na do Rio eu ñ vou msm,mas vou aguardar as dicas pra ir na de SP do ano q vem!