Um grupo de amigos, uma tábua ouija, um presságio de morte. Conheça o novo lançamento da Galera Record!

1

“Mara Dyer não sabe se é louca ou apenas assombrada. Tudo o que sabe é que tudo à sua volta morre. Basta ela querer… “

969322_10151596498847713_52870177_n

Olá querido leitor! Eleito na lista do site mashable.com como o livro jovem adulto, YA, que você deveria ler “A desconstrução de Mara Dyer” da escritora Michelle Hodkin chega pela editora Galera Record.

O livro é o primeiro da trilogia Mara Dyer e foca na história da jovem Mara que para não estragar a diversão da sua melhor amiga que fazia aniversário, topou brincar junto com um grupo de colegas com ouija, uma tábua de superfície plana com letras, números ou outros símbolos em que se coloca um indicador móvel, utilizada supostamente para comunicação com espíritos.

Após a brincadeira, todos os presentes com exceção dela morrem no desabamento de um velho sanatório abandonado. Mara acorda em um hospital psiquiátrico sem memoria e achando que tudo foi uma fatalidade. Será? Mara começa a ter alucinações, ou seria premunições? O véu entre realidade, pesadelo e sanidade se esgarçando dia a dia. Ela precisa entender o que houve para ter uma chance de impedir a loucura de tomá-la….

“A desconstrução de Mara Dyer” está com o lançamento previsto para final de julho, ou início do mês de agosto, a editora não estipulou uma data precisa, mas você já pode dar uma espiadinha no primeiro capítulo. Agora cuidado este é um livro para se ler de luzes acesas!


Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501098580
Ano: 2013
Páginas: 378
Skoob
Sinopse

Mara Dyer não sabe se é louca ou apenas assombrada. Tudo o que sabe é que tudo à sua volta morre. Basta ela querer… Mara Dyer acha impossível algo pior do que acordar em um hospital, sem memória. Ela acredita ter sido uma fatalidade o acidente que matou seus amigos e do qual ela escapou sem sequelas… físicas. E, depois de tudo o que aconteceu, ela acredita que seria impossível se apaixonar. Mara Dyer está errada…

Fonte

  • Rita souza

    Gostei por q “jovem adulto” se refere ao terror ñ ao erotismo! rsrs