De volta a ditadura?

3

liberdade-destaqueO que é um livro? Já parou para pensar nisso? Para alguns um livro representa momentos de lazer, para outros momentos de aprender, para alguns iluminados ler oferece ambas oportunidades: aprendizagem e diversão. Mas estas são razões individuais, ao meu ver, em âmbito coletivo, o livro representa algo mais… e o que seria? Um livro representa liberdade.

Liberdade para quem escreve, pois encontrou um meio para expor seus pensamentos. Se escreve teorias complexas ou se narra aventuras prodigiosas pouco importa. O livro é um espaço democrático.

Liberdade para quem lê, já que a diversidade de gêneros e estilos literários mostra que existem livros para todos os gostos, crenças e cultura.

Por isso é condenável o ato de pessoas que rasgam ou queimam livros e anunciam isto em vídeos. Não importa o motivo, não importa sua religião ou seus gostos. Quem o faz queima, rasga, mutila a liberdade que o livro representa.

Essas pessoas que anunciaram em seus vídeos abertamente a aniquilação deste objeto estão incentivando outras pessoas – seus supostos seguidores – a fazerem o mesmo e dessa forma acabam criando uma corrente com o seguinte pensamento: “se não gosto, preciso destruir, pois ninguém pode ler mais isto”.

VÍDEO CRITICADO NO TEXTO

Esse pensamento distorce o conceito de liberdade, já que usam a liberdade para privar outras pessoas daquela leitura como se a elas coubesse o direito.

Atos isolados como os citados, destroem belíssimas histórias de leitura. Comecei minha vida como leitor graças aos livros do Paulo Coelho. Se houvesse me pautado pela opinião das pessoas a respeito dos livros dele, talvez hoje não fosse o leitor que sou. Graças a liberdade do Paulo Coelho em escrever e a minha liberdade de poder comprar e ler o livro é que pude me apaixonar pela leitura.

VÍDEO CRITICADO NO TEXTO

 “Só damos valor a algo quando perdemos”, diz Paulo Coelho em As Valkirias. Seus críticos costumam dizer que ele só fala o óbvio; mas imaginem… se ele só fala o óbvio e as pessoas não prestam atenção, como poderiam compreender mensagens implícitas através destas manifestações em vídeos?

O livro é a maior concretização da liberdade de pensamento. Uma sociedade que não possui maturidade para viver em liberdade, de aceitar que o outro tenha o direito de ler algo que você não gosta é uma sociedade que não merece viver livre. Liberdade não é um modismo, não é palavra para se moldada ao bel-prazer de certos indivíduos. Quem não sabe viver em liberdade clama – mesmo sem perceber – pela instauração de uma ditadura. E até parece que nunca tivemos uma.

  • Eriton

    É realmente triste quando isso acontece =\
    Sobre o primeiro vídeo: Ah! Como é bela a alienação religiosa que cunha as mentes fracas desde a Idade média. Achei engraçado ela dizendo que passou mal por culpa do livro sendo que, na minha opinião, ela só ficou assim por “achar” que o livro era “de satã” e o corpo dela acabou reagindo assim. Tadinha né, até queimou o livro rapaz. (P.S.: Eu sou Cristão, mas isso não quer dizer que eu não saiba ver que a intenção da Lauren Kate não era cultuar o demonio com tal história)
    Sobre o segundo video: XD ah eu concordo (alguns aqui sabem bem que eu odeio crepúsculo), mas não vou fazer um video mandando todo mundo queimar “saporra” até porque efeito estufa ta ai (brincadeira). Quem quizer ler que leia EU não gostei nem por isso quando alguém pergunta eu mando a pessoa sair de perto do livro, só digo que não curto e pronto…
    Devo ter falado demais, mas é assim mesmo o tema é bem polemico, gosto disso. 😉

  • Suas palavras são todas verdadeiras, Lucien. Algumas pessoas, infelizmente, se comportam como se pudessem ditar o que os outros devem ou não ler. Esse vídeo da mulher fanática foi terrível; por outro lado, temos o escárnio do Felipe Neto (apesar de eu ter rido pacas nos vídeos sobre Crepúsculo e dos Cinquenta Tons, já que não gosto de nenhum deles) às vezes de uma forma exagerada, pois essa brincadeira de apedrejar um livro tem um limite; quando se passa disso, é o próprio leitor do livro ridicularizado quem se sente ofendido.

  • carlos_kk

    O primeiro vídeo eu ja tinha visto e num tem nem o que comentar, ignorância pura, já o segundo acho que é um pouco diferente, pois fica claro que é um personagem. Apesar de da algumas risadas eu concordo que esse cara muitas vezes passa um pouco dos limites, porem ele em momento algum disse pra não ler, ele só tava falando mal do povo que leu, e não da pessoa em si, mas sim do fato de ter lido e gostado.
    Abraços e ate a próxima Lucien!