PODCAST: CabulosoCast #42 – Hans Christian Andersen

20

vitrine-do-cabulosocast-41Saudações literárias, Leitores Cabulosos! Lucien o Bibliotecário (@lucienobilio10), Sr. Estranho (@meninoestranho), Tanko Chan (@tankochan) e Sara Santos falam sobre um dos autores mais importantes para a literatura infanto-juvenil: Hans Christian Andersen! Saiba tudo nesta biografia em áudio do autor de contos clássicos como A Pequena Sereia, A Pequena Vendedora de Fósforos, Soldadinho de Chumbo e tantos outros. Prepare-se para rir e se emocionar com este CabulosoCast. Bom episódio para vocês.

CITADOS DURANTE O PROGRAMA

LIVRARIA PARCEIRA

ASSINE NOSSO FEED

Assine nosso feed http://leitorcabuloso.com.br/feed/podcast/

NOSSA PÁGINA NO iTUNES

http://itunes.apple.com/br/podcast/leitor-cabuloso-literatura/id549022839

NOSSA PÁGINA NA KOMBO PODCASTS

http://www.dimensaonerd.com/category/podcast/cabulosocast/

NOSSA PÁGINA NO YOU TUNER

http://youtuner.co/index/results?s=cabulosocast&x=0&y=0

NOSSA PÁGINA NO FALACAST

http://www.falacast.com.br/eqbws9vm

MÍDIAS SOCIAS

QUER ENVIAR UM E-MAIL?

Quer enviar um e-mail comentando algo que ouviu no programa? Quer enviar um link ou algum material que complemente as informações do podcast? Escreva para cabulosocast@leitorcabuloso.com.br

QUER DEIXAR UM RECADO DE VOZ?

Mande seus recados de voz para o nosso CabulosoCast deixando sua mensagem na nossa secretária eletrônica do GTalk! É só ligar para cabulosocast@gmail.com

Tamanho do Episódio: 69 minutos

ATENÇÃO!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir o CabulosoCast!

VERSÃO EM ZIP

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Para fazer o Download do episódio clique aqui.

  • Mto legal o cast. Li esses contos (claro que a versão feliz) e não sabia que eram do mesmo autor. Fiquei com vontade de ler uma seleção com os contos reais.
    Só uma observação: na adaptação da Pequena Sereia, se não me engano, tem sim essa mulher que o príncipe pensa ser a real salvadora, que é a bruxa disfarçada. Só n sei dizer se ela é parecida com a do conto pq eu n li =P
    Parabéns pelo cast pessoal!

    • Pri,

      Existe um ponto interessante ai. Como li o conto do Andersen antes da gravação lá existe sim uma mulher que o salva, mas ela não é a Feiticeira do Mar trata-se na verdade da futura esposa do príncipe. E o príncipe não diz que elas são parecidas, apenas afirma que a mulher que o salvo foi a tal da praia. Ele não se recorda da Pequena Sereia, por isso ela é tratada como o “cão” da casa, entende?

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Eriton

    Lembro de ter assistido o filme da vendedora de fosforos em uma das aulas que tive com o prof Lucien .-. tava evidente que ela tinha morrido eu vi, mas disseram que eu era frio e que ela tinha encontrado a vó no final ¬¬ vai entender… Uma coisa que eu sempre achei foi que os Contos do Hans eram muito melhores que os outros (o da vendedora de fosforos e do soldadinho de chumbo) apesar de não saber que eram dele, agora sabe-se que isso tudo foi por causa da serie de friend zones que ele levou (maldita friend zone -_-) e por culpa da mafia claro XD adorei o cast o/

    • Hans Christian Andersen, o Homem da Máfia!

    • Eriton,

      A relação que mantemos com os contos do Andersen é de um anonimato tão grande que quando descobrimos que ele é o autor de contos como “A Polegarzinha”, “A Pequena Vendedora de Fósforos” e tantos outros ficamos estupefatos.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Mariana

    Mais uma vez, um maravilhoso cast! Eu sempre gostei de ler “contos de fadas” embora eu prefira mais os contos dos Irmãos Grimm ao de Hans C. Andersen. Fui apresentada primeiramente à versão feliz deles até que um dia na Biblioteca da escola eu descobri uma coleção de livros (eram de capa dura coloridos) com contos de fadas dos irmãos Grimm, Hans C. Andersen e Perrault na sua versão original e minha cabeça explodiu além dos contos serem muito melhores eles tinham umas ilustrações que eram lindas!! Depois de ouvir o cast me deu uma vontade de relê-los…

    Ah, e a história da princesa e a ervilha não teve um final feliz (em nenhuma das versões) porque se a dita cuja reclamava de uma ervilha embaixo de 20 colchões, imagina o inferno de casamento que o príncipe viveu?!

    Mais uma vez obrigada pelo ótimo cast! ^v^

    • Mariana,

      Você me deu uma ótima sugestão para o próximo programa em homenagem ao livro infantil falar dos irmãos Grimm.

      É verdade, se a princesa era fresca a este ponto imaginemos como foi o casamento.

      E por último, mas não menos importante, se nosso programa motivou você a reler os contos infantis, então atingimos nosso objetivo.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Acabei de ouvir o podcast agora e vim aqui comentar. Só digo uma coisa, vocês precisam fazer mais biografias! Esta ficou simplesmente sensacional. Difícil era ficar no trabalhando e evitando não dar uma gargalhada (rs).
    Outra coisa que me chamou a atenção é o fato de apesar de conhecermos os contos, não sabermos que eles são do mesmo autor. Aí vem a pergunta, quem é maior o autor ou a obra?
    A edição também ficou muito boa, mesclando audios de adaptações com uma boa trilha sonora!
    E os convidados, acertou em cheio Lucien; dá pra sentir quando a galera combina.

    Parabéns pelo Cast e até o próximo!

    • Vilto,

      Biografias é algo muito legal de fazer. Apesar de dar um trabalho e muitas vezes sentir escassez de fontes, mas sempre fico com a impressão que tenho a necessidade de fazer mais mesmo, pois muitas vezes acontece isto, não conhecemos o autor, mas sim sua obra.

      Não sei realmente a resposta, mas lembro que Oscar Wilde dizia que “o artista não deve ser mais interessante que sua obra, pois quando assim o é, a obra possivelmente é medíocre”. Ou algo assim.

      Cara, esta foi uma das gravações mais engraçadas que já tivemos, foi muito bom. Pena que tive que fazer tantos cortes.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Eduarda Costa

    Muito bom esse cast que foi engraçado e nostálgico,quando eu era criança gostava muito do Patinho Feio,do Soldadinho de Chumbo e de outras histórias do Hans Christian Andersen mais só hoje com o cast que soube que ele era autor de todas elas.

    • Eduarda,

      Muito obrigado pelo seu comentário. E sim, este foi um programa nostálgico. Agora acho que muitos descobriram quem era Hans Christian Andersen.

      Obrigado pelo feedback.

      Abraços.

  • Salve, Cabulosos! Primeiramente, parabéns pelo excelente programa, sobre um autor ao mesmo tempo conhecido e esquecido, já que suas obras suplantaram seu nome.
    Devo dizer que eu vim na contramão, porque conheci Andersen antes de conhecer os irmãos Grimm. Quando criança, ganhamos (eu e meus irmãos) uma coleção de contos de Andersen, publicada pela Editora Brasil, isso no final dos anos setenta. Algumas histórias tinham aquele toque infantil de fábula, mas a maioria era, e ainda é, simplesmente assutadora.
    Vocês foram bonzinhos em dizer que a Pequena Sereia perdeu a voz. Na história, a bruxa corta sua língua. Em O Lenhador e a Princesa, tem um homem que abriga outro e o considera como seu irmão, e passa todo um perrengue por causa dele (a arte imita a vida, talvez?). A Rainha das Neves, uma série de contos que rendeu um único livro, é praticamente uma história de terror. O Pinheirinho de Natal é triste: conta de um pinheiro que sonha em ser escolhido para árvore de Natal, receber enfeites e ser o centro da festa. O que ele não contava era com o abandono de Ano-Novo. O Sonho de Ivan e O Pássaro Azul também são bem tensos.
    O Patinho Feio e a Pequena Polegar são contos bem parecidos. Crianças inocentes que procuram seu lugar no mundo. Ele, junto aos cisnes, ela junto às fadas. Vejo nessas duas histórias remanescências da infância de Andersen.

    Não devemos esquecer que Monteiro Lobato, além de autor infantil, também taduziu e adaptou uma série de contos de Andersen.

    Sobre os filmes, o único que me lembro de ter assistido era um que mostrava Hans como parte de suas histórias, como se fosse um sonho. É muito antigo, anos sessenta ou setenta, e feito em stop motion. Infelizmente, não me lembro do nome…

    Por ora é só. Um abraço e sucesso!

    • Edson,

      Eu tinha esquecido completamente que a Feiticeira do Mar cortava a língua de A Pequena Sereia, no filme que citei existe uma pequena encenação deste conto e esta cena me deixou arrepiado.

      A Rainha das Neves também tem uma representação no filme, mas pelo curto espaço de tempo por desejar ligar a vida do autor aos seus amores, acho que não me chamou tanto a atenção.

      Cara, não tinha parado para pensar que O Patinho feio e a Polegarzinha são contos que tratam do mesmo tema. Muito interessante isto.

      Monteiro Lobato traduziu contos de Andersen? Que bacana.

      Muito obrigado pelo seu comentário.

      Abraços.

  • Em tempo: encontrei, no Mercado Livre, algumas das mesmas edições que li quando criança:

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-464957954-o-passaro-azul-e-outras-historias-bonitas-_JM
    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-463389530-o-patinho-feio-e-outras-historias-h-christian-andersen-_JM

    Interessante o título: O Patinho Feio e outras histórias bonitas. Contraditório…

    • Edson,

      Muito obrigado pelos links. Serão passados aos demais ouvintes no próximo Drops.

      Obrigado mais uma vez.

      Abraços.

  • Carlos Valcárcel

    Em Perú existia um canal de TV que transmitia programas japoneses muito legais, entre eles estavam os programas de contos infantis, não sei se é o mesmo que você, Lucien, mostraba a seus alunos:
    https://www.youtube.com/watch?v=eAX7A9k3shk
    O conto da sereia tem final tragico, isso sim!!

    Outro autor clássico de contos é Liev Tolstói. Um grande!

    O podcast ficou bem legal!!

    • Carlos,

      Não eram estas as animações que passava para meus alunos, mesmo assim agradeço pelo link, pois nunca tinha visto.

      Liev Tolstói não é contista infantil, certo? Ele é um grande contista, mas não é do gênero infantil, correto?

      Muito obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • 23 anos, Estudante de Letras, Rio de Janeiro
    Acho que nunca tinha ouvido um podcast de biografia aqui no Cabuloso. Concordo com o Vilto, vocês precisam fazer mais. E, putz! Então quer dizer que aqueles contos de fadas que eu mais gostava (A menina que vendia fósforos, O patinho feio, As roupas novas do imperador, A pequena sereia, e, o meu preferido – lembro até hoje da sensação amarga em meu coração quando li essa história – o soldadinho do chumbo) foram todos feitos por esse cara? Desconhecia totalmente.
    O interessante é que escutei esse episódio logo após uma aula de literatura infantil, e as informações bateram direitinho com o que vocês falaram sobre o conceito da infância, da imagem da criança naquela época.
    Simpatizo com a vida solitária e permeada de amores platônicos do Andersen; também me identifiquei com o patinho feio, rs. E, como boa parte do podcast, achei muito engraçado você narrando essa história, tanto que, ao tentar sufocar a risada dentro do ônibus, despejei o muco que estava preso no nariz, ocasionando um esgar de nojo na pessoa que estava ao meu lado e viu a cena. Ou seja, paguei mico por culpa do Lucien. ¬¬
    Sabe se o filme “Hans Christian Andersen: My Life as a Fairy Tale” retrata de maneira fiel ou quase a vida do autor? Estou pensando em vê-lo. Outra pergunta: os livros publicados como o nome do autor são realmente a versão dele ou são adaptadas aproveitando o nome de Andersen? Há alguma coleção mais completa que possa me indicar?
    Foi muito bom esse episódio. Me fez querer saber mais sobre o autor (e tb vou criar minhas teorias sobre a vida dele, haha) Abraços.

    • Luiz,

      Não se preocupe que muitos mais virão. O objetivo do programa era este mesmo: mostrar o autor da histórias clássicas que as pessoas conheciam o seu comentário só deixa claro que conseguimos atingir a este objetivo.

      Desculpa pelo mico, caro Luiz, foi mal aê!

      O “My Life as a Fairy Tale” é bem ficcional, é mais interessante para você comprar a biografia do post, pois, como a li, ela é muito mais fiel. Existem diversos livros sobre os contos do Andersen nas livrarias, contudo fuja apenas daqueles que capas muito infantis, pois com certeza foram adaptados.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.