PODCAST: CabulosoCast Drops #21 – As Aventuras de Pi, Wolverine, Dragon Ball Z, Gothica, Literatura Brasileira

34

vitrine-cabulosocast-drops-21Saudações literárias, Leitores Cabulosos! Neste episódio, Lucien o Bibliotecário (@lucienobiblio10), Serena (@Serena_Cabulosa) e Priscilla Rúbia (@Priscilla_Rubia) comentam a polêmica envolvendo o premiado As Aventuras de Pi; que Wolverine beijará o Hércules; que Goku vai alcançar o nível de Super-Saiyajin Deus; conhecerá uma nova série envolvendo personagens clássicos da literatura e que livros clássicos nacionais viraram jogos de vídeo game e ouvirá uma entrevista com Kell Bonassoli (@KellBonassoli) do Sexo&Tintas.

Além de acompanhar o feedback do CabulosoCast #40. Bom episódio para vocês!

COMENTADO NOS E-MAIL’S

RECOMENDAMOS

CITADOS NO PROGRAMA

ASSINE NOSSO FEED

Assine nosso feed http://leitorcabuloso.com.br/feed/podcast/

NOSSA PÁGINA NO iTUNES

http://itunes.apple.com/br/podcast/leitor-cabuloso-literatura/id549022839

NOSSA PÁGINA NA KOMBO PODCASTS

http://www.dimensaonerd.com/category/podcast/cabulosocast/

NOSSA PÁGINA NO YOU TUNER

http://youtuner.co/index/results?s=cabulosocast&x=0&y=0

NOSSA PÁGINA NO FALACAST

http://www.falacast.com.br/eqbws9vm

MÍDIAS SOCIAS

QUER ENVIAR UM E-MAIL?

Quer enviar um e-mail comentando algo que ouviu no programa? Quer enviar um link ou algum material que complemente as informações do podcast? Escreva para cabulosocast@leitorcabuloso.com.br ou acesse nossa página de contato.

QUER DEIXAR UM RECADO DE VOZ?

Mande seus recados de voz para o nosso CabulosoCast deixando sua mensagem na nossa secretária eletrônica do GTalk! É só ligar para cabulosocast@gmail.com

Tamanho do Episódio:  62 minutos

ATENÇÃO!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc). Obrigado por ouvir o CabulosoCast!

VERSÃO EM ZIP

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Para fazer o Download do episódio clique aqui.

  • Luiz Teodosio, 22 anos, estudante de Letras, Rio de Janeiro
    Olá, cabulosos. Primeiramente, muito obrigado pelo “feedback do feedback” comentado neste episódio. Passarei a colocar meus dados daqui pra fente, rs.
    Eu também fiquei mais p* da vida em relação ao que o autor disse sobre o livro do Scliar, e pensar que um cara assim teve seu trabalho premiado. E também senti uma omissão do universo literário, vejo poucos comentários a respeito.
    Se fosse algum outro autor estrangeiro, tenho certeza que essa questão do plágio ganharia mais relevância. Mas, como é um brasileiro… Isso mostra quanto nós somos subestimados pelo mundo. Parece que só nos respeitam quando jogamos no futebol.
    Parece que essa coisa de casais gays nos quadrinhos virou moda agora… só para CHAMAR ATENÇÃO. Se quiserem colocar personagens gays nos quadrinhos, ótimo, mas não deturpem a imagem de um personagem com histórico de décadas. Como mencionaram, deveriam realmente criar um personagem gay. Isso é forçar a barra demais… Muito ruim essa ideia.
    Mas esse SS God é antes do SS4, já que se passa antes do GT, que, aliás, foi uma droga. u_u
    Lucien, tenho a mesma opinião de vc sobre os livros em forma de games. Não sei porque são tão insistentes em criar formas alternativas de uma leitura obrigatória, convencer os jovens a ler a literatura brasileira clássica. SE ele não quiser ler, ele não lê; deixa que ele encontre a própria motivação dele, de forma natural. Não precisa ficar fazendo joguinho para incentivá-lo. Gosto da ideia como um complemento, uma forma de entretenimento, mas desde que a pesoa já tenha lido o livro e queira conferir os jogos.
    O último livro que li foi A Zona Morta, do King. O primeiro que li do autor, e gostei. Agora tentarei terminar a trilogia do Hunger Games, da Suzane Collins
    Abraços.
    Abraços.

    • Luiz,

      Valeu mesmo pela compreensão e por deixar os seus dados.

      Pois é. Tenho certeza que se fosse o oposto, ou seja, um brasileiro estivesse sendo acusado de plágio teríamos milhões de blogs e podcast (até os não literários) querendo a cabeça do escritor.
      Sobre esse fenômeno gay nos quadrinhos reitero o que comentei no programa, usando a fachada de pró-movimento-gls, os quadrinhos acabam polemizando para atrair novos leitores. Esqueci de comentar no programa uma coisa que o Eric Novello comentou no CabulosoCast #24 sobre literatura homoerótica: que o público gay não comprou a ideia da literatura Queer, mas que o público “não gay” deu um feedback positivo para os autores. Dá para entender?

      Obrigado pelo feedback.

      Abraços.

    • Luiz,

      Pois é. Já ouvi até pessoas dizendo que “se você não gosta de futebol ou de samba, não é brasileiro”. E quanto as demais culturas produzidas no nosso país? O que importa realmente importa para um país tornar desenvolvido? Um país de leitores ou de jogadores? O Scliar infelizmente não levou a briga a frente e, como dito no texto citado no CabulosoCast e linkado no post, também não aproveitou a repercussão para se promover no exterior. É uma pena, mas ao mesmo tempo mostra uma ética de bater palmas de pé.

      Cara, sabe o que acontece? É o velho discurso do “o brasileiro não lê livros”. Ai nesta estatísticas, esquecem de incluir como leitora quadrinhos, mangás, literatura fantástica, revistas, jornais, posts em sites e blogs, compreende?

      Nunca li King e a Collins são quando as adaptações terminarem.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Primeiramente espero que eu seja capaz de transcrever em palavras escritas meus pensamentos sobre o assunto.

    Olha eu aqui fazendo uma coisa pouco normal!!! Comentando em quanto escuto o podcast!!!

    É meio confuso, eu prefiro anotar num caderninho e depois refletir sobre o assunto antes, mas vamos lá!!!

    Vou abrir o coração e tentar resumir:

    O que o livro de papel fez para mim??? Sinceramente nada!!! Eu apenas vi todos os benefícios do livro digital ao longo da minha vida, e adotei esta postura (extremista) em defesa do livro digital!!!

    Sem duvida era e ainda é, muito mais fácil, rápido e econômico, conseguir livros digitais pela internet (entro no assunto direito autoral depois), então, eu colocava o meu livrinho no celular e lia numa telinha, na época, de 128 x 160 pixel!!!

    Tem quem não acredite até hoje, que eu lia em uma tela deste tamanho, mas lia, então logo no primeiro livro vi todos os benefícios que me fizeram abolir o livro de papel: é leve, nesta época em especifico todos os livros que eu queria transportar não pesariam mais de 93 gramas no bolso, é pratico, e todo esse blablabla já conhecido!!!

    Mas o que mais me prendeu foi: da para ler no escuro, sem nenhuma luz!!!

    E ainda mais, uma coisa que não sou mais capaz de viver sem: Contabiliza o tempo de leitura!!! Isso mesmo, eu não tenho mais a capacidade de ler sem me irritar, se ao final de cada leitura não puder fazer a conta: N° de paginas, dividido por, N° de horas, igual, Tantas Paginas por Hora!!! E todas as demais contas que eu possa fazer com estes dados!!!

    Posteriormente eu passei para uma tela de 176 x 220 pixel, 128 x 160 pixel e 320 x 480 pixel!!! Hoje estou com a tela do celular com 240 x 320 pixel e do tablet com 600 x 1024!!!

    Ai vocês leem meu comentário e dizem: mas não é nada de mais, para que tanto extremismo??? O extremismo vem por parte da defensoria insossa dos leitores de livro digital e pela defensoria mais inflamada da chatice do conservadorismo antiquado dos defensores de livros de papel!!! É mais para equilibrar a balança do barulho feito pelas discussões entendem???

    Agora a briga da google: A google, tinha a intenção de montar a maior biblioteca virtual do mundo e começou a digitalizar todo e qualquer livro que colocasse a mão, inclusive eu achava que era um funcionário que ficava scaneando livros o dia todo, mas recentemente descobri que é um robozinho que faz isso…

    Então um grupo de editoras europeias se uniu em um processo contra a goggle e depois se juntaram a ela a microsoft a amazom e mais algumas dessas empresas de peso… Essa união foi batizada como Open Book Alliance!!!

    Esse é uma noticia antiga, acho que tudo começou em 2009 e não sei se já ouve resolução, mas foi desta briga que formei minha opinião como consumidor literário!!!

    Procurando agora não encontrei nada da quela época, mas os argumentos da google eram mais ou menos o de que: a mídia digital é infinitamente mais barata que a mídia impressa, com isso a google tinha o intuito de cortar a editora do pagamento dos livros e assim baratea-lo, mais ou menos como o Itunes faz!!!

    Então filosofando sobre o assunto na época pensei: O livro é vendido por 50 reais na livraria, logo: A livraria paga agua, luz, aluguel, funcionário… A livraria paga imposto… A livraria cobra para deixar o livro em destaque… A editora para o tradutor, o revisor, a gráfica… A editora ou livraria paga o frete de todos os caminhões que vão levar os livros para o seu destino… A livraria e editora querem obter lucro!!! E por ai vai!!! Então desse livro que custa CINQUENTA REAIS, paga ao autor, vocês devem saber ate melhor do que eu, de 5 a 10% deste valor!!!

    Logo seria muito melhor, ao invés de cobrar 50 pelo livro e pagar 5 para o autor, cobrar 15 reais, pagar 10 para o autor e 5 para a google!!!

    A conta pode estar errada, mas a logica do pensamento e este!!! Por isso, por questões politicas eu não compro livros… Prefiro encontrar o autor na rua e dar 100 reais na mão dele, do que 50 na mão da livraria!!

    Por que em quanto ele anda de ônibus o dono da editora anda de iate!!! 😀

    O dia que o preço for justo e que quem mais ganhar, for realmente quem merece!!! Eu pagarei por livro!!!

    E a titulo de curiosidade, que imagino que muita gente não deve saber: Segundo a legislação Brasileira, constitui crime de pirataria usar um material com direito autoral para obter lucro!!!

    Usar conteúdo com direito autoral, para consumo próprio e sem obtenção de lucro e permitido e não é crime!!!
    Então baixar o livro e ler você pode!!!
    Gravar um cd com o livro e presentear uma amigo, você pode!!!
    Criar um site e disponibilizar on-line, você pode!!!

    Agora se você cobrar a mídia, é crime!!!
    Se você colocar um adsense no seu site, é crime!!!

    A um projeto de lei que quer mudar isso, e tornar o consumo próprio sem pagamento de direito autoral, crime, mas inda esta sendo discutido…

    E antes de finalizar este imenso comentário, no qual eu termino angustiado por sentir que não consegui passar minha opinião corretamente eu gostaria de alertar para uma coisa, caso já não saibam:

    A Amazon, também é SAFADA!!! Abram os olhos, pesquisem e leiam bem as letras miudas!!! Não digo isso por ela ter vindo para o Brasil e estar cobrando o mesmo preço do livro digital e impreço!!! Digo isso porque a Amazon é uma plataforma proprietária fechada e no Kindle você le apenas e unicamente livros adquiridos na Amazon!!! É possível ler PDF??? Sim!!! Assim como tecnicamente é possível mascar chiclete e assobiar ao mesmo tempo (adorei essa comparação!!!)

    Por isso é safada!!! já no KOBO o concorrente, você pode comprar livros na google, na saraiva, na livraria cultura, na livraria do juquinha e inclusive livros compradas na Amazon que facilmente você pode importa-lo e ler no KOBO, assim como também você pode pegar qualquer texto (eu prefiro converter em epub) e importar no KOBO!!!

    Fico por aqui e volto depois para comentar sobre o episodio propriamente dito!!! Qualquer coisa é só responder que continuamos a discussão!!!

    Sigo escutando!!! Até mais!!!

    • Felideo,

      Compreendo seu ponto de vista, no fundo o que você está fazendo é apenas se tornando radical à medida em que os defensores do livro também se tornaram. Agora, não acho que os donos de editora esteja andando em Iate, mas considero relevante que o escritor recebe o pagamento justo pelo seu trabalho, já que compramos alguém conteúdo e estamos dando dinheiro para o serviço.

      Eu não sabia que o Kobo possibilitava a compra de livros por diversas livrarias. Eu já tinha pensando nesta questão de o Kindle limitar a compra só pela loja da Amazon e no caso do Brasil isto só torna ainda mais problemática a situação, pois existem as editoras pressionando a Amazon para aumentar o preço dos e-books.

      Obrigado pelo esclarecimento, foi muito importante para contextualizar o que foi dito na sessão de e-mails.

      Abraços.

  • Lucien, já que você pediu meus dados em meu último comentário (da crise dos roteiristas), aí vai minha ficha completa:
    Gabriel Gaspar, Capitão do Exército, escritor, 27 anos, carioca mas mora em Brasília. Já foi entrevistado pelo Lucien no CabulosoCast Drops 19 , é autor do livro “O que pensa o homem” e é parceiro do site Leitor Cabuloso. Satisfeito? Rs
    Sobre o programa de hoje, em relação aos livros de leitura obrigatória, sou totalmente contra esse tipo de prática no ensino em geral. Qualquer coisa que seja obrigatória gera, instintivamente, uma sensação de repulsa. Quando os jovens são obrigados a ler um livro clássico, justamente em um período da vida quando poucos já tem a maturidade suficiente para entender a obra, acabam criando uma relação de ler como algo chato, massante. A leitura obrigatória faz, portanto, um desserviço para a literatura como um todo. Concordo que a leitura deva ser incentivado, mas creio que os alunos pudessem ser livres para escolher seus livros.
    Assim surgiu recentemente uma “rixa” entre Literatura Clássica Vs Literatura Contemporânea, com pseudointelectuais criticando a literatura contemporânea como algo inferior e sem valor. Eu, particularmente, julgo os dois como importantes. Enquanto os clássicos nos fazem lembrar das coisas imutáveis da natureza humana, os livros atuais nos fazem entender melhor o nosso tempo.
    Forte abraço e continuem com o trabalho.
    PS.: Ufa… Ainda bem que foi só um alienígena no final das contas… Esse é um problema bem mais fácil de resolver do que o hipotético fim do Leitor Cabuloso.

    • Faltou falar… O último livro que eu li foi o “Festim dos Corvos”, do George Martin e o livro que estou lendo, obviamente, é “A Dança dos Dragões” do mesmo autor. O próximo livro que lerei – que acabou de chegar aqui em casa – é o “Deuses Americanos” do Neil Gaiman

      • Gabriel,

        Não li nenhum livra da série “As crônicas de Gelo e Fogo”, eu sei que é uma lastima, eu sei! Mas Deuses Americanos eu li e posso adiantar é muito, muito bom!

        Obrigado pelo comentário.

        Abraços.

    • Gabriel,

      A rixa entre Literatura Clássica e Literatura Contemporânea acaba sendo mais provocada entre os leitores conservadores do que com a nova geração de leitores apaixonados pelo livros. Vejo que somos uma parcela muito maior hoje de leitores do que doutrora. Vejo pessoas caminhando com um livro em mãos, vejo alunos que andam com livros dentro da bolsa, lendo nas praças de alimentação dos shoppings centers, lendo e usando as redes sociais para tirar fotos e postar frases de seus livros favoritos. Hoje se lê mais, e lê-se também literatura clássica, pois invariavelmente através dos nossos próprios autores contemporâneos conhecemos autores clássicos, ou não foi Crepúsculo que indicou Morro dos Ventos Uivantes? E chegamos aos clássicos do modo que a leitura deve ser espontânea, sem pressão, sem imposição.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Manoel Fernandes, 17 anos, São paulo capital.
    Ola Lucien ainda não escutei o podcast completamente mas fiquei muito feliz quando ouvi você lendo meu Comentário – Dei graças a deus por mudar a vinhata da Leituras de Email/ Comentario -, Adoro vocês e fiquei super feliz por você não abandonar no Cabuloso cast !!
    Quando escutar o podcast por completo eu volto para comentar mais.

    OBS: É tão bom saber que o Lucien e toda equipe do Leitor cabuloso da valor aos seus leitores.

    • Então meu querido Lucien sobre o plagio do livro As aventuras de Pi já está um pouco conhecido pois o programa de televisão da globo “Fantastico”, mas é bem aquele caso como acontece plagio com um livro Estrangeiro as mídias sociais cai em cima “Metando o pau”, mas quando é um livro de um autor brasileiro acaba deixando de lado. Mas uma coisa que me veio a cabeça – Sei que ainda continua errado – mas foi um modo de vermos um livro ” Brasileiro” tendo uma boa adaptação para o Cinema.
      Sobre o Caso do Wolverine estou com a Serena vou criar varias Fanfics rsrs, brincadeiras a parte eu estou muito feliz de saber que o universo está aceitando cada vez mais os gays – mesmo que seja em universos alternativos como o caso de Wolverine-. Vocês sabia que tem vários dos mundo dos quadrinhos que são gays ? um dos exemplos de super heroi que recentemente saio do armário é o Lanterna Verde, mas também temos o Colossus e Gear ( super choque ).
      Estou adorando o Cabuloso cast e ainda não terminei de escutar – estou escrevendo aos poucos o comentário para não deixar nada passar

      • Manoel,

        Eu não concordo que foi uma “adaptação” de um livro nacional para as telonas. E gostaria de ver mais resenhas dos livros sabe, de ambos. Ver que as pessoas procuraram ler para tirar suas opiniões e só pela postura do escritor confesso que estou bastante desmotivado a ler o livro ou assistir ao filme. Os autor internacionais fazem pouco caso dos escritores nacionais e isto é o que mais me desagrada nesta história.

        E se fosse um escritor brasileiro? E se o plágio também rendesse um filme? Será que o público nacional iria encarar de outra forma? Acho muito difícil, pois o brasileiro (e me incluo neste posição) é muito hipócrita.

        A questão é que os personagens que estão “saindo do armário” tem mais um fundo comercial do que moral. E neste ponto sou contra. Gostaria da coisa sendo feita de forma mais original e realmente querendo combater preconceito. E volto a bater na tecla: infelizmente o alvo não é o público gay, mas as meninas que gostam de yaoi.

        Obrigado pelo comentário.

        Abraços.

    • Terminei mais um ótimo cabuloso cast com um gostinho de quero mais.
      Então meus queridos cabulosos o ultimo livro que li foi A Hospedeira que e realmente ótimo e vale apena ler, só o começo que é pouco chato mas vale apena continuar. E agora estou lendo Um Dia de David Nicholls.
      Até próximo cabuloso cast, Tchau !!

      • Manoel,

        Mais um ouvinte que gosto de A Hospedeira. Mas fica a pergunta: vale um CabulosoCast? Pois o filme vai estrear este ano.

        Obrigado pelo comentário.

        Abraços.

    • Manoel,

      No aguardo do seu feedback. E sem feedback, do que seria feito o CabulosoCast? Fora isto, prefiro que os comentários também sejam grandes mesas-redondas onde as discussões propostas no CabulosoCast são debatidas.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

    • Manoel,

      A leitura de e-mails e cagadas foi retirada por pedidos dos ouvintes, como não iria atender? 😀

      Obrigado por ser nosso ouvinte.

      Abraços.

  • Vou ser bem sincero aqui, fiquei muito decepcionado (e até ofendido) com os comentários do Lucien sobre o beijo do Wolverine e do Hércules.

    Vamos por partes:

    Dois caras barbudos se beijando é uma visão “dantesca” e te dá vontade de “furar os olhos”? Por quê? Eu sou gay, barbudo e gosto de caras também barbudos, se você me ver beijando um cara que acho atraente vai ter vontade de furar os olhos? Por quê? Se eu te ver beijando uma loira peituda (ou seja lá qual for o tipo de mulher que você gosta) eu não vou dar a mínima, porque sua sexualidade e seus gostos com relação a tipos de mulher simplesmente não me dizem respeito e nem afetam minha vida.

    Qual o problema do Wolverine ser gay? Ele é “macho demais”? Por acaso você acha que todo gay é um personagem caricato saído do Zorra Total?

    Você se incomoda que um personagem com um histórico estabelecido seja modificado? O Ciclope depois do Vingadores versus X-Men foi de bastião da igualdade entre humanos e mutantes a terrorista mutante mais procurado do planeta, inclusive admirado e seguido pelo Magneto. Mas ninguém se incomodou com isso, mesmo sendo no Universo 616, o oficial. O Hulk voltou a ser membro dos Vingadores e ficou “amiguinho” do Capitão América e do Homem de Ferro, os Vingadores convenientemente esqueceram os atos dele na saga World War Hulk e ele convenientemente esqueceu que o Homem de Ferro e os demais Illuminati o exilaram no espaço, tudo obviamente para capitalizar em cima do sucesso do filme dos Vingadores. Mas nenhum dos leitores que se incomodaram com o Wolverine Gay, alegando que ele não tem histórico para isso, se incomodaram com essas mudanças muito mais drásticas e passadas no universo oficial.

    O conceito de Universo Alternativos é usado há muito tempo tanto pela Marvel quanto pela DC, a antiga série Exilados era totalmente baseada nesse conceito. Nessa série já apareceram uma versão feminina do Príncipe Submarino, uma versão heroica do Dentes de Sabre, uma versão heroica do Doutor Destino, uma versão psicopata da Miss Marvel, uma versão nazista da Mulher-Invisível. Já apareceu inclusive uma versão feminina e lésbica do Solaris que namorou uma versão feminina e lésbica do Homem-Aranha. Não é engraçado (para não dizer machista e homofóbico) que a ideia de mulheres se pegando não cause nenhum incômodo aos leitores? Os mesmos leitores que acham um absurdo o Wolverine ser gay porque isso vai contra décadas de histórico. Sendo que tanto o Homem-Aranha quanto o Solaris são personagens mais antigos que o Wolverine.

    Para finalizar, gostaria que você refletisse sobre uma coisa. Como você se sentiria se o tipo de amor e desejo que você sente não fosse representado em nenhuma forma de entretenimento? Seja na TV, no Cinema, na Literatura, nos Quadrinhos, nos Games. Refletiu? Pois bem, é assim que eu e todos os outros gays e lésbicas nos sentimos.

    Eu leio quadrinhos desde que me entendo por gente, nem sei quantas vezes vi juntos, se beijando ou declarando seu amor, o Superman e a Lois Lane, o Batman e a Mulher-Gato, o Ciclope e a Jean Grey, o Ciclope e a Emma Frost, o Homem-Aranha e a Gwen Stacy, o Homem-Aranha e a Mary Jane Watson, o Senhor Fantástico e a Mulher-Invisível e tantos outros casais heterossexuais. E nunca me incomodei com isso. Então por quê um casal homossexual de um universo ALTERNATIVO causa tanta revolta?

    Já não basta que nós gays vivamos de MIGALHAS do mercado de entretenimento? Será que nem a uma porcaria de universo alternativo a gente tem direito?

    • Renato,

      Gostaria de deixar aqui minha sinceras desculpas se fui ofensivo em meus comentários. Não tenho muita coisa a dizer sobre minhas piadas e brincadeiras, pois quando se ofende alguém deve-se reconhecer isto e ponto-final. Como host deveria ter pensado melhor nos ouvintes-leitores do CabulosoCast.

      Contudo preciso prestar alguns esclarecimentos quanto a algumas interpretações feitas pelo ouvinte ao que foi dito (ou não-dito) por mim neste programa. Em nenhum momento, disse que um personagem gay precisava ter estereotipado.

      Eu também não disse que havia problema no Wolverine, Lanterna Verde ou qualquer outro personagem ser gay. O que eu falei aqui nos comentários é que personagens que possuem uma tradição no universo dos quadrinhos (seja ele alternativo ou não) é uma jogada de marketing e não uma atitude moral. Como a própria Serena deixou claro este universo já existe e é muito explorado, ela mesma citou ao término do debate que existem diversas fanfic’s explorando este conteúdo.

      Quanto ao comentário que você fez a cerca da exploração dos personagens para fins de marketing, gostaria de deixar claro que não consigo mais comprar quadrinhos hoje, por que é isto que eu vejo, histórias ruins que aproveitam modismos cinematográficos para angariar lucros.

      Eu também não disse que me causava revolta apenas, retomo o ponto, acho um lance de marketing.

      Como disse no começo assumo meu erro ao fazer piadas. Sou eu que faço as pautas e ao escolher esta notícia deveria ter ponderado em alguns pontos e na linguagem que utilizaria neste assunto. Peço mais uma vez desculpas.

      Gostaria também de deixar registrado que o CabulosoCast já trabalhou a literatura homoerótica no CabulosoCast #24a (http://leitorcabuloso.com.br/2012/04/podcast-cabulosocast-24a-literatura-homoerotica/) e no CabulosoCast #24b (http://leitorcabuloso.com.br/2012/05/podcast-cabulosocast-24b-a-fantastica-literatura-queer/) entrevistamos três autores da editora Tarja que participaram das coletâneas de contos de A Fantástica Literatura Queer, projeto que não é marqueteiro e que para mim, trabalha a literatura para o público gay de forma honesta e procurando incluir e não polemizar para vender quadrinhos.

      Obrigado pelo comentário, pois proporcionou a possibilidade destes esclarecimentos.

      Abraços.

  • Lucien, não posso fazer nada além de agradecer sua resposta, fico feliz de ver que você não é um babaca homofóbico. E de minha parte peço também desculpas se tiver sido muito exaltado ou ofensivo em meu comentário.

    Quanto à questão do marketing, bem, ninguém publica quadrinhos (ou livros, ou lança filmes, séries, games) por amor à arte e ao entretenimento, os roteiristas e demais profissionais criativos podem até fazer isso, mas os executivos da Marvel, da DC, da Warner e demais empresas de entretenimento querem mais é ganhar dinheiro. Assim como você eu também não compro mais quadrinhos, apenas edições com histórias fechadas, geralmente histórias passadas em universos paralelos, veja você hehehe

    Sobre a exploração de homossexualidade nos fanfics, as poucas experiências que tive lendo esse tipo de história foram pavorosas, se a Serena conhecer algum bom e quiser recomendar eu agradeço hehehe mas os que li eram historinhas de amor água-com-açúcar ou pornografia ruim.

    Você mencionou que se as empresas quisessem trabalhar inclusão e aceitação do público LGBT deviam criar personagens novos, mas veja bem, eu acho que uma versão alternativa de um personagem já existente e estabelecido não deixa de ser um personagem novo. Qual o sentido de escrever uma história em um universo alternativo se os personagens são iguais aos do universo oficial? Melhor ambientar logo no universo oficial.

    Sobre o fato de esses personagens agradarem apenas às meninas que curtem yaoi, eu digo que você está enganado, pelo menos as versões gays do Wolverine e Hercules foram muito bem recebidas entre os Ursos.

    Não sabe o que é um urso na gíria gay? Dá uma olhada nesse artigo http://pt.wikipedia.org/wiki/Urso_(cultura_gay)

    Sabe o que é mais triste? Nos EUA essa série não gerou um pingo de polêmica, os americanos não deram a mínima, assim como a versão gay do Lanterna Verde só causou polêmica por aqui.

    Mais uma vez obrigado pela sua resposta e me desculpe se tiver exagerado na reação.

    Abraços,
    Renato

    • Renato,

      Não precisa se desculpar, pois incentivo os ouvintes do CabulosoCast a transformar os comentários numa sessão de debates.

      Prometo que vou pedir para a Serena lhe passar umas indicações, não se preocupe pois sua caixa de e-mails vai superlotar 😀

      Se o público LGBT comprou a ideia então temos muito o que comemorar, mas será que o reflexo será o mesmo no Brasil? Falou pelo ponto de vista do Eric Novello que comentou no CabulosoCast #24b que o público LGBT não comprou A Fantástica Literatura Queer. Se não leu, leia isto é recomendadíssimo.

      O Brasil é um país que passou anos fingindo não possuir racismo e a pouco tempo que a ficha caiu e passamos a perceber que o racismo existe sim. Este pensamento levou nossos políticos em Brasília a votar no homofóbico para representar os recursos humanos e o mesmo ainda tem a cara de pau de colocar no seu twitter que o Brasil é Laico-Cristão, o que mostra que ele não sabe nem o que é laico e nem o que é ser cristão.

      Por isso considero que uma notícia tinha como este tinha sim que repercutir num país tão hipócrita. Uns podem se dizer não preconceituosos e viver usando as redes sociais para dizer o contrário, mas outros, como eu, podem reconhecer que sim existe o preconceito, mas que ao reconhecê-lo pretende aprender a aceitar e conviver bem de forma igualitária. Somos todos iguais, sei disso. E hoje, com seu comentário aprendi ainda mais para vencer o preconceito que existe em mim.

      Por quanto não peça desculpas, pois eu é que agradeço por ter me ensinado uma importante lição ao respeitar mais os ouvintes do CabulosoCast.

      Obrigado pelo excelente debate.

      Abraços.

  • P.S.: o artigo que linkei acima é pavoroso de tão mal escrito, mas serve para dar uma ideia do que é um urso no meio gay.

    Quem tiver curiosidade procure por um site chamado Bear Nerd, um site voltado para um nicho do nicho, eles tem inclusive um hangout no qual discutem a questão da polêmica do Wolverine Gay.

    Renato

    • Renato,

      Beleza! Vou assistir e citar o link no próximo CabulosoCast Drops #22.

      Obrigado pela dica.

      Abraços.

  • v.

    acho que saquei o lance do lucien sair. boa, boa.

  • Olá, Lucien
    Excelente episódio. Obrigada pelo convite e pela divulgação do Sexo e Tintas.
    Abraços

    • Kell,

      Não fizemos nada mais do que nossa obrigação em divulgar um trabalho tão incrível quanto o que vocês fazem no Sexo&Tintas. Eu é que sou agradecido em ter uma das vozes mais belas da podosfera no CabulosoCast.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Vilto Reis, 20 anos, Redator Publicitário, Blumenau/SC.

    Ouvir o CabulosoCast é sempre um prazer (mesmo depois daquela abertura infame, rs)! Mas o Drops tem uma peculiaridade, pois se ele não tem como competir com a internet em geral no quesito novidade, já que as notícias já foram vistas quando chega nele, pelo menos conta com a opinião de vocês, o que caracteriza o ponto alto do programa.

    Uma coincidência foi que exatamente na semana em que a Kell Bonassoli dá uma entrevista no CabulosoCast, ela aparece na leitura de e-mails do LiteratusCast (que publiquei hoje); sem ser nada combinado!

    No demais, sensacional; ótimas trilhas, conteúdo relevante; e vamos aos próximos!

    • Vilto,

      Realmente é o objetivo do Drops. Motivado por um outro comentário concluímos que o drops serve para comentar as notícias, pois nosso ouvintes desejam saber a nossa opinião e também, informar, pois alguns acabam se informando pelo nosso programa mesmo.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Olá cabulosos! Obrigado por lerem meu comentário e linkarem o site. Dei muita risada com o Lucien na abertura, ele teve uma reação parecida com a de um amigo meu quando ficou sabendo da notícia do Wolverino, heheh. Ótimo episódio galera, sempre que possível passando aqui para comentar! Um abraço!

    • Frank,

      Obrigado pelo comentário e saiba que conteúdo relevante vai sempre para a sessão de e-mails do CabulosoCast e aqui a gente não mede jaba se é bom para os nossos ouvintes linkamos os sites e blogs sem problema.

      Obrigado pelo feedback.

      Abraços.

  • Edu da Silva

    — Oi à todos do site Leitor Cabuloso, é o meu segundo comentário num PodCast daqui, apesar deste programa conter basicamente notícias sobre os mais variados assuntos que envolvam livros ou algo do gênero, é sempre bom obter informações sobre tal e bem interativo pra mim.

    — Uma coisa que eu não entendo é sobre o que o Lucien disse, a respeito de não querer mais representar o CabulosoCast, no início, quando eu ouvi sobre isso, eu pensei que fosse brincadeira, agora eu não tenho sobre o que pensar em relação a isso, seria bem conveniente explicar 100% sobre essa situação, sobre o que realmente irá acontecer desde já.

    — Sobre as notícias dadas no programa, quero somente ‘dizer’ que a intenção de se criar um jogo eletrônico, de tabuleiro ou de cartas, inspirados e/ou baseados em histórias da nossa LITERATURA BRASILEIRA, deveria ser, de certa forma, a incentivar as pessoas que não leem e que só querem saber de jogar, pois ler é tão maravilhoso quanto jogar cartas ou videogame, pelo menos consigo associar muito bem a ideia de unir a leitura com o ‘jogar’, a escrita com o desenvolvimento da criação dos jogos, com os seus imensos e fantásticos enredos e sinopses, mas deve-se levar em conta em criar ‘games’ criativos e que tenha foco a despertar o interesse nas pessoas, tal quais os livros fazem.

    — Finalizo aqui, espero o próximo podcast, boa criatividade à vocês, até a próxima e tchau!!!

    • Edu,

      É como você percebeu, o Drops tem três funções básicas: 1. Fazer com que os ouvintes fiquem informados sobre o que anda acontecendo no universo dos leitores; 2. Ler o feedback do CabulosoCast anterior; 3. Trazer entrevistas pontuais com escritores ou pessoas que estimulam a leitura no nosso país.

      Eu continuo com a ideia de que a literatura clássica não precisa deste protecionismo todo que essas pessoas apregoam. Ela não está em vias de extinção também, pois continua e continuará sendo lida. Como minha irmã disse: esse tipo de literatura não interessa ao jovem, mas considerar que por que os jovens não leem os clássicos significa a literatura brasileira está perdida é um exagero, não acha?

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Muito bom, cada episódio é “muiiito mais Bom de melhor!”

    Gostaria de deixar uma visão sobre The Life Of Pi. Max e os Felinos é bem mais fraquinho do que Life of Pi. Li os dois e percebi claramente esta diferença. Não quero ser bairrista (como eu gostaria de dizer que o brasileiro é melhor). Mas o mote dos livros são idênticos. Se eu fosse o Moacir, processava até as cuecas do Martel, processava não para ganhar dinheiro com isto, nem pra vingar o comentário infeliz, mas sim para fazer com que nossa literatura fosse mais respeitada.

    Quanto à temática Gay no universo das HQ’s, acho que (e muitos amigos meus que são gays) que esta forçação de barra só faz com que os homossexuais sejam cada vez mais desrespeitados. Quando se faz uma polêmica destas, as industrias midiáticas vendem cada vez mais em cima do ódio dos Haters. Acho que o que mais querem os Gays é um pouco mais de respeito e não é deste modo que vão conseguir.

    Muito obrigado pelo episódio!

    • Daniel,

      Você leu os livros e, portanto tem direito de opinar sobre eles. O meu recado foi para aquelas pessoas (ou os blogueiros) que só estão fazendo resenhas do livro depois de assistir ao filme e expressão opiniões sobre o livro do Scliar sem nem ao menos ler as obras.

      Quanto a temática hqs com temática gay concordo plenamente com você disse.

      Obrigado pelo seu comentário.

      Abraços.