LIVROS: E o Papa disse: “Tolkien é coisa de Deus!”

8

Vatican PopeMuito se especulou sobre a saída de Bento XVI. Deixando profecias de lado, desde que assumiu o cargo, o antigo Papa tomou várias decisões que contrariaram a maioria dos católicos o que, acredito eu, tenha deixado o clero receoso e feito muitos católicos se afastarem.

A questão é que com a eleição do Papa Francisco a igreja esperava uma visão renovada, menos tradicional e mais moderna, porém o Papa vem surpreendendo a cada dia. Sua mais nova declaração é a favor dos fãs de literatura fantástica. O antigo cardeal Bergoglio, já leu Borges, Dostoevskji e, acreditem, Tolkien. E recomenda a leitura, tendo utilizado partes do livro em sermões.

Segundo o próprio Papa Francisco:

O homem no caminho – explica –  tem dentro de si a dimensão da esperança: aprofunda-se na esperança. Em toda a mitologia e nessa história ressoa o eco do fato de que o homem é um ser ainda cansado, mas é chamado ao caminho, e se não entrar nesta dimensão desaparece como pessoa e se corrompe.

Tolkien era um católico fervoroso, sua mãe se converteu ao catolicismo ainda quando ele era uma criança. E não podemos esquecer que Tolkien converteu o amigo L. S. Lewis que era protestante para a sua religião.

Certa vez questionado por seus leitores sobre a influência da religião na Terra Média, falou:

O Senhor dos Anéis obviamente é uma obra fundamentalmente religiosa e católica; inconscientemente no início, mas conscientemente na revisão.

Fonte

  • Priscilla Rubia

    Isso n muda nada para mim, pq se ele falasse q é do capeta eu ia gostar do mesmo jeito. Mas, é legal um líder religioso ir lá e falar bem de um livro onde tem várias criaturas abomináveis em qualquer religião.

  • Tento imaginar um religioso lendo Tolkien… é realmente curioso. Acho bacana, pois ele procura conciliar a visão religiosa dele com um livro de altas referências a outros mitos.

    • Luiz,

      Continuo concordando com a Pri. O fato dele ter dito isto não muda muito a relação dos fãs de Tolkien com a obra do Senhor dos Anéis, porém acho que para a religião foi um passo simples, mas considerável.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Eriton

    Achei bem interesante isso se foi renovação que a igreja queria um papa que relevasse as criaturas magicas (consideradas satanicas) de tolkien pra ver o lado bom do livro é algo tão incrivel que é dificil de acreditar…

    • Eriton,

      Concordo! Porém não considero que isto influencie a literatura fantástica. Apesar que os fãs de Tolkien católicos isto mostra uma possível renovação da Igreja Católica.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Eduardo

    Para alguns religiosos, “Humanismo” é uma palavra feia, talvez porque valorize demais o saber do homem em relação ao saber de Deus. Porém, particularmente, entendo que Humanismo é também, de uma maneira bem mais simples, um modo de se propor ser mais humano e de entender a humanidade.

    Nesse sentido, acho muito interessante que um religioso, e aliás, qualquer pessoa, tenha em sua formação moral e intelectual a experiência de grandes leituras, especialmente quando elas sirvam para criar pontes entre as pessoas.

    Pode ser mesmo que pessoas se interessem mais a ler Dostoievski ou Tolkien, mas o importante é perceber que podemos ser melhores e entender melhor o mundo através da nossa vivência e das nossas leituras, uma ajudando a outra.

    • Eduardo,

      Não tenho palavras para agradecer este seu comentário. É extremamente relevante o que você disse, pois confirma um pensamento antigo que a leitura amplia nossa visão de mundo.

      Muito obrigado mesmo.

      Abraços.

  • Lucas Evangelista

    Mano interessante seu texto, mas tem muuuuuuuuuuita falácia tb… Primeiro C. S. Lewis não era protestante, ele era Ateu e foi desafiado por Tolkien a estudar. Tentando condenar o cristianismo ele acabou se convertendo ao Anglicanismo, não ao catolicismo como seu amigo Tolkien desejou. Ele fala sobre isso em seu livro MILAGRES e um pouco de sua visão no livro CRISTIANISMO PURO E SIMPLES. Escreve Lewis: “Nas festas da Trindade de 1929 cedi, admiti que Deus era Deus e, de joelhos, orei.”

    Outra coisa, quem falou que o Senhor dos anéis é uma obra CRISTÃ em sua revisão foi o próprio Tolkien: “O Senhor dos Anéis é sem dúvida um trabalho fundamentalmente cristão; talvez de maneira inconsciente a princípio, mas consciente na revisão”.

    http://www.implicacoes.com