ENTREVISTA: Laisa Couto

2
Saudações, caros leitores!  Vamos conhecer mais sobre uma escritora? A nossa convidada é a Laisa Couto.

Entrevista – Laisa Couto

Oi, Laisa…como você está? Poxa, fiquei feliz quando procurou ao Leitor Cabuloso para obter divulgação. Sério, isso mostra que, mesmo com um trabalho modesto, conseguimos um pouco de destaque. Vamos à entrevista?

1 – A publicação de romances online é uma opção em nosso tempo, mas gostaria de saber o que a levou para esta forma.

    Meu principal motivo para essa escolha foi eu ter a total consciência de que era uma autora desconhecida. Naquele momento tinha apenas um blog pessoal e escrevia pequenas prosas poéticas quase rotineiramente e as publicava no site Autores, mas eu queria ir muito mais além, gostaria de publicar um livro e Lagoena já tinha forma no papel. Antes de eu publicar a obra como uma série virtual, tentei uma editora sem sucesso imediato. Então, pelo site Escreva Seu Livro da editora Laura Bacellar eu conheci o BookSérie, que tinha apenas uns 2 meses de vida. A proposta de publicar o livro online com os capítulos lançados semanalmente foi uma luz no fim do túnel, eu teria a chance de arrebatar um público, conseguir divulgação e, por conseguinte chamar a atenção das editoras, o que felizmente, como muita dedicação acabou acontecendo.

O que fiz foi o caminho inverso, tive de segurar minha ansiedade para encontrar uma editora e divulgar Lagoena para que pelo menos as pessoas ouvissem falar do título ou na melhor hipótese ser lida.

2 – Como foi a criação de “Lagoena”? Como a ideia ganhou forma em sua cabeça?

Eu não tinha nenhuma pretensão de escrever seriamente. Tudo não passava de uma obrigação escolar: fazer redações. Não posso negar que conseguia algum destaque com elas, mas meu interesse nunca passava das 30 linhas obrigatórias. Meu pai que costumava corrigi-las estimulava-me a escrever um livro. Ora, para quê eu escreveria um livro? Eu estava no ensino médio, o vestibular era meta. Escrever livros era coisa para aqueles velhinhos cheirando a naftalina e tomado chá na ABL. Mas logo “quebrei a cara”, me peguei escrevendo um livrinho sem nexo, só por escrever. Meses depois li numa revista uma repostagem falando sobre literatura fantástica e cinema. Aquilo me chamou a atenção. Fantasia. Foi aí que Lagoena nasceu, a ideia começou a brotar. Logo vieram as personagens enquanto eu dispersava minha atenção numa aula entediante de matemática. Fiz um pequeno planejamento de roteiro, mas ansiosa, comecei a escrever. Trabalhei esse primeiro volume de Lagoena durante 5 anos. Tive bastante tempo para ler e aprender com outros autores do gênero.

3 – Você pretende lançar uma versão impressa de “Lagoena”?

Sim. Esse sempre foi o meu objetivo e há quem gostaria de folhar Lagoena entre as mãos, estão na torcida.

4 – Depois dessa experiência, como você avalia os frutos de postar um livro no Book Série?

O autor sabendo usar bem essa ferramenta o resultado sempre será positivo. É fácil publicar um livro, o difícil é ser lido. Todos os anos o mercado lança milhares de títulos, alguns são destaques, há um investimento de marketing em peso. Se eu autor independente não possui dinheiro para investir numa propaganda, invente um jeito. A internet tem inúmeras ferramentas gratuitas das quais se podem tirar proveito. Escrever é só um passo, é necessário dar um alto grande para alcançar o leitor, e o escritor hoje também tem de ser criativo para alcançá-lo. Estamos no século XXI, os tempos românticos passaram, onde os escritores se reuniam nos cafés para trocar ideias e discutir suas estratégias de venda. Hoje tudo é mais acessível, é possível sim fazer boa literatura sem usar o modo tradicional, o autor só tem de sair de sua zona de conforto e se porta-voz de sua própria obra para o mundo, é um erro ficar esperando que outros o façam.

Publicar o livro nesse formato gerou inicialmente apreensão dos leitores. Muitos blogs no começo não quiseram apoiar a divulgação da série alegando que não havia leitores interessados nesse tipo de leitura online, com o tempo Lagoena foi provando o contrário, aos poucos foi conquistando a confiança e atiçando a curiosidade do público, os blogs se tornaram mais abertos (a novidade sempre causa estranheza), era uma questão de adaptação e tempo. Hoje mais de 150 blogs apoiam a divulgação de Lagoena e a lista só aumenta.

5 – Agora, falando um pouco de sua formação como leitora… Pode dizer alguns escritores que gosta?

Bom, vou listar os autores que me ajudaram a me encontrar como uma contadora de histórias: Tolkien, C.S. Lewis (principalmente). Minha imaginação também foi estimulada por Mark Twain, Lewis Carrol, Frank Baum. Gosto da carga densa e misteriosa de Clarice Lispector e a poesia feérica de Florbela Espanca e Cecília Meireles.

6 – Para você, qual o sentido em escrever?

Vou repetir a citação de Ignácio Loyola Brandão, que “estampa” a lateral do meu blog:

“Ler era minha maneira de entender a vida, de ir embora. Ainda é. Quando estou lendo, me encontro, levito, saio de mim. Ler é ganhar a alma. É ser sobrevivente. A literatura é uma bóia de salva-vidas. Um escaler.”

Esse é o sentido para mim, só troco “ler” por “escrever”.

7 – Qual o último livro que você leu e o que achou?

Acabei de ler O Temor do Sábio do autor norte americano Patrick Rothfuss. Nesse segundo livro achei que o autor se estendeu demais em eventos desnecessários, alongou demais as sequências, são quase mil páginas, poderia ter sido descartada 300 sem prejuízo a trama e olha que sou absurdamente fã de fantasia bem elaborada. Mas foi uma leitura prazerosa. Vou sentir falta.

8 – O espaço é seu para dizer o que quiser…sério, desde dicas a escritores iniciantes, receita de bolo ou só uma frase de um livro que goste.

Primeiro misture 2 xícaras de açúcar e 3 colheres de sopa de margarina, bata bem…ops

Dica para escritores iniciantes? Nossa, quanta responsabilidade! Eu também sou uma! Sempre serei eterna aprendiz. Iniciante nos mistérios das palavras, isso se é possível conhecê-las por completo. Mas vai uma dica: escreva.

Isso. Escrevendo nos tornamos domadores dessa delicada magia que é a literatura.

Agradeço por conceder a entrevista. Espero que tenha se divertido tanto quanto eu…sucesso, abraço e conte com o Leitor Cabuloso!

Eu que agradeço ao Leitor Cabuloso pelo convite para essa entrevista. É uma grande honra dividir com vocês um pouquinho dessa aventura que é a literatura!

Ah, e não deixem de acompanhar LAGOENA lá no BookSérie! É online e gratuito!

Onde ir para começar a ler? Clique aqui para ler o primeiro capítulo.

Facebook – Fanpage do livro.
Site oficial do livro.

Onde encontrar a Laisa Couto no ciberespaço?

  • Rita souza

    Autora super legal e teve uma atitude muito massa de fazer um livro na rede,e sem duvidas vou começar a ler e se for tão bom o quanto parece aguardarei uma edição impressa!

    • A Laisa demonstrou ser muito simpática, leia e comente…isso pode motivá-la ainda mais 😉