[Resenha] Jogador N.º 1: uma distopia próxima da nossa realidade

18

Sinopse: Cinco estranhos e uma coisa em comum: a caça ao tesouro. Achar as pistas nesta guerra definirá o destino da humanidade. Em um futuro não muito distante, as pessoas abriram mão da vida real para viver em uma plataforma chamada Oasis. Neste mundo distópico, pistas são deixadas pelo criador do programa e quem achá-las herdará toda a sua fortuna. Como a maior parte da humanidade, o jovem Wade Watts escapa de sua miséria em Oasis. Mas ter achado a primeira pista para o tesouro deixou sua vida bastante complicada. De repente, parece que o mundo inteiro acompanha seus passos, e outros competidores se juntam à caçada. Só ele sabe onde encontrar as outras pistas: filmes, séries e músicas de uma época que o mundo era um bom lugar para viver. Para Wade, o que resta é vencer – pois esta é a única chance de sobrevivência. A vida, os perigos, e o amor agora estão mais reais do que nunca. O Jogador nº1 também estará nas telas pela Warner, e sua produção está sendo divulgada como o próximo AVATAR dos efeitos especiais!

Booktrailer:

Olá leitores cabulosos! Venho apresentar a vocês uma excelente distopia. Li poucos livros do gênero, mas cada vez que termino um fico mais apaixonada e procuro por outros.

Em Jogador Nº 1 somos jogados no ano de 2044 onde o mundo está uma merda. As pessoas morrem de fome, falta espaço, energia, combustível e sobra violência. Para escapar desse mundo horrível, as pessoas se trancam em casa e acessam o OASIS, uma rede de imersão que é usada tanto para diversão, como para trabalho. Lá você pode criar um avatar do jeito que sempre sonhou em ser. Se é gordo, pode ser magro, se é feio, pode ser bonito, se é magro, pode ser musculoso e vice-versa.

Conhecemos Wade vivendo essa vida quase totalmente online. Ele cresceu acessando o OASIS, aprendeu a ler e a contar em jogos educativos e freqüenta a escola pelo programa.

Capa original. Eu gostei mais da capa da Leya e vocês?

O criador do OASIS, James Halliday deixou uma grande surpresa para todos os usuários quando faleceu. Ele fez um vídeo dizendo que deixou toda a sua fortuna dentro do OASIS, o que ele chama de Ovo de Páscoa. Quem solucionar os enigmas, encontrar as três chaves e passar pelos portões, fica bilionário e passa a ser dono do OASIS. Claro que o OASIS é enorme o que torna tudo muito difícil.

Wade é um dos que procuram essa fortuna, conhecidos como “caça-ovos”. Ele vive com a tia, seus pais faleceram há algum tempo. Só que mesmo sendo da família, a tia só o recebe para ficar com seus tickets refeição e poder comprar mais drogas. Ele vive em uma “pilha”, nome dado ao local onde existem trailers empilhados com o intuito de ter mais espaço para o grande número de pessoas desabrigadas. Wade então sonha em encontrar o ovo e finalmente abandonar essa vida.

Só que os caça-ovos não são somente pessoas comuns. A IOI uma grande empresa também procura o Ovo de Halliday – não seja maldoso – e é capaz de fazer qualquer coisa para estar na frente do concurso, inclusive matar.

Como vocês podem imaginar Wade surpreendentemente é o primeiro a desvendar o enigma inicial na caça ao ovo de páscoa, ficando famoso e procurado da noite para o dia, até porque já se passaram cinco anos desde que Halliday morreu.

Wade acessando o OASIS

O livro é muito gostoso de ler. A narrativa de Cline é rápida o que faz a leitura muito agradável.

O OASIS é o sonho de muita gente hoje em dia – posso confessar que o meu também. Imagine fazer tudo sem sair de casa? Ir à escola, trabalhar, fazer compras… Para acessar o OASIS você usa um óculos e uma luva que permitem total imersão no mundo 3D e é até capaz de sentir as coisas que pega. Mais tarde vemos que existem roupas especiais que dão uma sensação maior de realidade e até um dispositivo que lhe permite sentir aromas e odores no mundo virtual.

O livro é repleto de referência a séries, jogos, filmes e computadores dos anos 80. Halliday era apaixonado por tudo nessa época porque foi onde viveu sua infância, então as dicas têm ligação com tudo o que ele gostava. E ele gostava de muita coisa.

Muitas vezes vemos com maus olhos a paixão de Wade pelo mundo virtual. Ele nunca sai de casa. Tudo o que precisava poderia conseguir sem nem mesmo levantar da cadeira que o transporta para dentro do OASIS, mas em um mundo miserável como ele vive talvez seja o melhor. Ou talvez não. Fica a questão para quando vocês lerem o livro.

Fica a dica de uma distopia maravilhosa, que, como disse no título não está longe da nossa realidade. Quantos de nós correm do mundo real e vivem em um virtual? Em Jogador nº 1 isso é uma verdade absoluta. E em quanto tempo não será nossa realidade também?

NOTA:

05-selos-cabulosos

jogador-n11Ficha Técnica:
Editora: Leya
Autor: Ernest Cline
Origem: Estrangeira
Título original: Ready Player One
Ano: 2012
ISBN: 978-85-8044-268-7
Número de páginas: 464
Skoob

AMAZON

SUBMARINO

  • carliane sousa silva

    nossa é um livro e tanto! me senti fascinada pela historia! parabens pela resenha Pri é otima!! e com certeza será um filme otimo!

    • Priscilla Rubia

      Sim Carliane, pelo jeito vai ter filme *-* Tomara que chegue aos pés do livro xD
      Abraços!

  • É um livro muito bem escrito e estruturado, com uma história simples, inteligente e empolgante, tanto que é difícil achar um ponto confortável para parar de ler.

    • Priscilla Rubia

      Realmente Guilherme, eu devorei o livro. Acabei bem mais cedo que imaginava pq n conseguia parar.
      Boa sorte!

  • Bruna Costenaro

    As distopias estão ainda em alta, embora os eróticos tenham ‘surgido’com força, e acho que ainda devem sair bastante pq o medo do futuro diante de tantas coisas que estão acontecendo ainda é grande, e sublimar é preciso!

    Esse livro parece ser uma boa distopia, tds resenhas que li deram vontade de ler, assim como a sua =] Boa Resenha!!

    Miquilissss

    • Priscilla Rubia

      Sim Bruna a distopia teve sua época. Agora tem menos livros, mas eu acho até bom que não aconteceu o “boom” como nos livros eróticos pq poderia sair mta coisa ruim… É o segundo livro de distopia que leio e me fez apaixonar ainda mais pelo gênero.
      Abraços!

  • Thaís Zadorozny

    Gostei muito da resenha, estou muito curiosa para ler esse livro, gosto muito de histórias onde os personagens entram em games e essa parece ser muito boa

    • Priscilla Rubia

      Thais nesse livro eles literalmente entram no jogo mesmo.
      Boa sorte!

  • cristiane dornelas

    Bem doido esse livro. Gostei pelo gênero dele, a história e o jeito. Parece ser bem diferente e super bom.

    • Priscilla Rubia

      De certa forma, é realmente inovador.
      Boa sorte Cristiane!

  • Mey

    Li apenas uma distopia que eu lembre e gostei muito. No inicio não me interessei muito por esse livro não. Talvez porque a capa não tenha me chamado a atenção, mas apos ler algumas resenhas me interessei muito. Espero ter a oportunidade de ler. Bjksss

    • Priscilla Rubia

      Mey, essa foi a segunda distopia q li e n me decepcionou. Eu já tinha ouvido falar dele, mas nunca tive real interesse na leitura, mas ainda bem que tive a oportunidade. Estava perdendo uma ótima história!
      Abraços e boa sorte!

  • Davi Araújo

    Também gosto muito de distopias. Já li bastantes resenhas positivas do livro. Achei ideia bem legal também, um caça ao tesouro em um mundo vitual! E ainda com referencias do pop dos anos 80! Não tive a oportunidade de viver nessa época, mas sei que foi bastante agitada!É fácil imaginar um filme desse livro! Super quero ler.

  • Estou louca para ler. Acho a sinopse muito, MUITO boa. Adoro distopias e acredito que esta é diferente das que andam sendo lançadas.

    Bjs!

  • Rita souza

    Esse é um livro q eu estou muito curiosa pra ler,e a resenha so aumentou essa vontade!!! Distopia é de fato um tema q vem me cativando cada vez mais,principalmente pelo estranho fato de q um dia possa vir a ser real(pelo menos pra mim)!

  • Já tinha escutado falar sobre este livro no MRG, este parece ser um bom livro realmente e estou querendo muito ler ele. Principalmente pelo fato de ser em um universo virtual. E respondendo a pergunta lá em cima, com certeza a capa da Leya é bem mais chamativa, ficou muito boa.

  • Gislayne Perez

    GOsto de distopias…
    Li a resenha, e achei bem interessante o livro….

  • Paula C.

    Que livro, hein? Também comecei a ler distopias a pouco tempo e adorei! Fiquei louca pra ler esse livro! Sua resenha está perfeita, parabéns!