NOTÍCIA: SAIU O PÔSTER E O TRAILER OFICIAL DE “EVANGELION: 3.0 YOU CAN (NOT) REDO”, UM ESPETÁCULO, MAS QUE NÃO SERÁ VISTO EM TELONAS BRASILEIRAS

4

Saudações, caros leitores! Recentemente avisamos sobre algumas novidades a respeito de Evangelion (lançamento de Evangelion – Especial 13, Chegada dos mangás às bancas e Imagens da última edição de Evangelion) e agora lhes mostramos o pôster e trailer do filme “Evangelion: 3.0 You Can (Not) Redo”.

Pôster

O filme foi lançado dia 17 de Novembro nos cinemas japoneses. No Brasil, a série de longa-metragens Rebuild of Evangelion (“Evangelion 1.11: Você (não) Está Só – 2007″  e “Evangelion 2.22: You Can (Not) Advance – 2009”) foi lançada diretamente para o DVD e Blu-ray, sendo vendida ainda em diversas lojas. É provável que o novo filme esteja à venda a partir do próximo ano.

O próximo filme, último da série, vai estrear em meados de 2013 no Japão. Um dos subtítulos cogitados é “Final”, simples e direto.

O trailer:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Z4RxD56JIPY

Fonte: Intolerável.

  • Rita souza

    embora seja uma Otaku de carteirinha nunca me enteressei por esse mangá em questão,acho q já é tempo de dar uma olhadinha!!!

    • Nem costumo assistir animés, muitos amigos já me falaram de Evangelion, mas eu não tenho muita curiosidade.

  • Evangelion é uma história com muita informação implícita. É preciso ter a mente aberta e ter uma certa “bagagem intelectual” para compreender alguns pontos. Creio que seja a obra-prima da indústria do anime.
    Eu assisti quando tinha 16 anos e entendi quase nada. Hoje já vi 3 vezes e tenho vontade de ver novamente, pois cada vez mais parece que você descobre coisas que antes não conseguia associar.
    Eu recomendo! 🙂
    Se bem que essa nova versão é muito light se comparado ao original, mas o desenvolvimento parece estar mais interessante.

    • Amigos que já assistiram me falam que o animé é cheio de coisas que precisam mesmo passarem por uma reflexão para entendermos, mas assim são algumas das melhores histórias, né? Obrigado pelo comentário!