RASCUNHO: TODOS OS QUE CONSEGUIRAM TENTARAM

1

Esse post vai ser para você colocar nos favoritos para ler e reler sempre que a coragem para escrever começar a falhar.

Escrever é díficil. Não só a parte de ter a ideia, prepará-la e colocas as letras umas do lado das outras de um modo mágico que faça sentindo. Em perspectiva, essa parte é até fácil.

Achar alguém que acredite na sua ideia: que publique, coloque em livrarias, que compre seu livra, que LEIA o seu livro. Essa parte é mais elaborada.

Demora.

Demora muito.

E em mais de uma ocasião você se vê pensando em desistir. Esse post vai servir como um mantra para te acalmar nessas horas.

 

 

Antes de mais nada, é importante lembrar da máxima que diz “Nem todos os que tentaram, conseguiram. Mas TODOS os que conseguiram, tentaram.” É isso aí, pessoal. Pra conseguir, você vai ter que tentar, tentar e tentar. E continuar tentando e não desistir nunca.

 

Stephen King

 

 

Não preciso introduzi-lo, preciso?

Gente, o Rei jogou a primeira ideia dele no lixo. Literalmente.

A mulher dele resgatou o manuscrito do que viria a ser “Carrie: a estranha” do lixo e incentivou o maridão a continuar a história. Acho que também não preciso dizer como isso terminou, preciso? Só caso você não esteja lembrando: Esse livro – que fez uma pequena turnê em uma lata de lixo – acabou se transformando em filme. Com uma sequência. E até onde me consta há rumores de uma remake.

Não jogue suas ideias no lixo. Nem na lixeira do cumputador.

Confie nelas. Dê uma chance. Quem sabe, né?

 

J.K. Rowling

 

 

Não importa se você gostou ou não de Harry Potter. Você deve, pelo menos, respeitar a mulher que passou mais de 15 anos desenvolvendo uma história que encantou milhares de pessoas e cresceu com uma geração, certo? =)

Mais de 15 anos… E você acabou de escrever o primeiro capítulo e tá desesperado querendo saber se alguma editora vai gostar da sua ideia, não é? Não minta pra mim. Eu sei que é assim. Já aconteceu comigo. DIVERSAS vezes.

Paciência, turma. Muita muita muita paciência. A gente chega lá.

Rowling enviou o manuscrito para diversas agências e editoras. Recebeu entre oito e doze “nãos”. Oito ou doze arrependidos hoje em dia, te garanto. O primeiro agente literário que ela enviou, devolveu o manuscrito quase que imediatamente. O segundo, só não fez a mesma coisa porque uma funcionária resgatou o livro – que já estava na caixa de “devolução” – e pediu a chefe para tentar dar uma chance ao material.

 

John Grisham

 

 

Escrever sobre o que você conhece é sempre uma boa receita.

Grisham tem mais de 250 milhões de exemplares vendidos no mundo inteiro. É sexto autor mais lido dos Estados Unidos segundo a Publishers Weekly e teve mais de 15 de seus livros transformados em filmes.

Ele é advogado e suas histórias giram – quase que com exclusividade – sobre temas jurídicos ou nuances do sistema judiciário.

Quando você estiver escrevendo sua história, se lembre dele, e tente trazer o conteúdo para algo “mais perto” de você. A gente sempre escreve melhor sobre o que a gente conhece. Então, não importa se você é ou não formado em Letras, ou algo assim. Se você gosta de escrever, escreva. Mas tente escrever sobre algo que você conhece.

 

André Vianco

 

 

Quando ele foi demitido da empresa em que trabalhava, ele usou o dinheiro do seu FGTS para uma publicação individual do seu livro “Os Sete”.

“Os Sete” virou um Best Seller e, hoje, Vianco tem mais de 10 livros escritos e é um dos mais – se não O mais – conhecidos escritores nacionais de literatura fantástica.

Pode ser que surja uma oportunidade incrível pra você e que tude dê certo com o seu livro sem qualquer esforço de sua parte.

Mas isso é a exceção. Via de regra, você vai ter que fazer sacrifícios, investimentos. Vai ter que lutar pela sua ideia.

Vianco tá aí pra provas que, às vezes, vale a pena. Ele tentou e conseguiu. Por que a gente não pode conseguir também? =)

 

Eduardo Spohr

 

 

O grande nome da literatura fantástica do momento. Autor de “A Batalha do Apocalipse”, Spohr teve um apoio grande do monstruoso site Jovem Nerd, que por si só, já era uma excelente ferramenta de publicidade. Mas o que as pessoas, às vezes, não param para notar é que ele terminou de escrever o livro em torno de 2005. Em 2007, ele colocou para vender na Nerdstore (loja online do Jovem Nerd) e em 2010, ele foi publicado pelo selo Verus da Record.

Cara, foram cinco anos pra ele conseguir chegar no nível que ele está hoje. E ele tinha o Jovem Nerd ao lado dele em boa parte do caminho.

Não fique achando que seu livro vai estourar em dois meses. É irreal.

Tenha perspectivas realistas sobre o seu trabalho, para que você não se frustre e acabando desistindo de escrever.

Mais um vez: é uma questão de ter paciência. Comemore as vitórias, por menor que sejam. Você acabou de publicar um livro e vendeu duas cópias. Fique feliz. Não fique chateado porque você achava que ia vender mil na primeira semana. Seja paciente! ^^

 

Acredite no seu trabalho e você vai longe! =)

Até a próxima semana!

Ju

 

 

  • Rita souza

    É fato q livros ñ nascem entre os mais vendido e q por trás de cada grande obra a um autor q batalhou pelo sucesso,então e isso q as pessoas devem fazer:LUTAR
    valeu por mais esse incentivo!!!