VIDEOCAST: ESTANTE CABULOSA #010 – PRECONCEITO LITERÁRIO

10

Bem-vindos Cabulosos! O Estante Cabulosa tardou, mas voltou! E neste programa Lucien o Bibliotecário e Serena vão explorar um tema polêmico: literatura clássica versus literatura de fantasia. Por que existe tanto preconceito contra quem lê literatura fantástica. E a escola contribui para isso. Bom episódio para vocês!

COMPRE OS LIVROS PELOS LINKS PATROCINADOS

ASSINE NOSSO CANAL

O Leitor Cabuloso tem um no You Tube para assiná-lo clique aqui.

QUER ENVIAR UM E-MAIL?

Quer enviar um e-mail comentando algo que viu no programa? Quer enviar um link ou algum material que complemente as informações do videocast? Então envie um e-mail com seu nome, idade, onde mora e profissão para cabulosocast@leitorcabuloso.com.br

QUER MANDAR UM VÍDEO-COMENTÁRIO?

Com preguiça de escreve? Então mande um comentário em vídeo! Para fazê-lo basta gravar um vídeo seu de no MÁXIMO 1 MINUTO (UM MINUTO) com seu nome, idade, onde mora e profissão e enviar para cabulosocast@leitorcabuloso.com.br

  • Poxa, colocaram uma cena de Final Phantasy! *-* kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Lucien, você já encontrou alguma aluna lendo um dos livros da saga da Irmandade Negra? kkkkkkkk Brincadeira, isso não foi uma indireta pra Serena xD Para mim a literatura é uma diversão. O leitor vai se formando pela experimentação, conforme você mais ler, mais vai ter claro aquilo que lhe atrai. Todos os livros, quando o leitor é estimulado a diversificar estilos, despertam o senso crítico, qualidade que ajuda muitooooo na vida. Acho que devemos variar um pouco os estilos, principalmente no início, para não achar que literatura é só uma coisa, mas também não é proveitoso empurrar uma coisa a força. Eu comecei a ler por pura curiosidade, acreditam? Nunca tive um familiar que me incentivou! Eu fui um leitor causa de si mesmo, auto criei-me kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Parabéns pelo vídeo!

    Abraços!

  • Rita souza

    esse foi um tema q eu as vezes paro pra pensar,eu como vcs sabem tenho 15 anos,estou nom 1°ano e tem essa de mandar ler classicos,oq eu faço de bom grado porq ler pra mim é um prazer,mas uma coisa q me deixou nervosa um dia foi justamente quando eu estava na sala de aula lendo meu amado Filhos do éden,e a professora chegou e me perguntou porq eu ñ lia algo q me desse um futuro.
    ??????
    eu claro,fiquei indiguinada porq ela disse isso na frente de tudo mundo,e eu por ser uma menina levada disse q se ela achava q eu ñ era uma boa aluna eu mostraria meu boletim(q particularmente só tem notas boas). Ela ficou irritada e tudo,mas bem DANE-SE ela! Meus pais nunca foram daqueles q incentivam a ler,porem nunca julgaram meu gosto pela leitura(embora minha mãe fique brava por eu ñ fazer as coisas para ler,rsrsrs) e assim como o ednelson eu me auto criei…
    Parabéns pelo video!! bjs

  • Ola!!
    Gente eu vivo muito este preconceito, na realidade eu sofro isso das pessoas. Eu sempre digo e afirmo, eu li Crepúsculo e gostei, as pessoas tipo não dão credibilidade pra você , primeiro porque eu li Crepúsculo e segundo por que é fantasia, romance bobinho para meninas idiotas, sim sou classificada deste jeito pelos que se dizem “intelectuais”. Eu tenho pena dessas pessoas, porque eu leio de tudo e gosto de todo gênero literário.É como vc disse Serena tem livros que são pra divertir que não te faz refletir tanto e são muito, mas muito bons mesmo!!! Como também gosto de leitura reflexivas, que abordam questões sociais, enfim amo Jane Austen, Shakespeare entre outros, mas tb gosto da leitura leve e descontraída como é um chick-lit e a fantasia que dar asas a imaginação!!!. Adorei o vídeo de vcs, aborda um preconceito ainda muito visto e retrogrado.
    Bjos!!

  • Ainda não vi o vídeo (estou no trabalho… ps: FOI MAL PATRÃO!) mas preciso dar minha opinião prévia sobre isso. Infelizmente existe preconceito sim, mas não é necessariamente contra a literatura fantástica, mas com a literatura comercial em geral. Faço o terceiro ano do curso de Letras na UEG (Universidade Estadual de Goiás) e já senti isso na pele (no primeiro dia de aula, no quadro negro da minha sala estava escrita a seguinte frase: H.P não é literatura!). É óbvio que a maioria dos argumentos são infundados… Creio que tanto os clássicos quanto os comerciais possuem valor literário sim, mas tenho também que admitir que há uma diferença gritante nos valores que ambos proporcionam. Culturalmente falando é clara a divisão que existe entre uma literatura que lhe instiga a pensar, traçar teorias e etc, e uma que simplesmente diverte mas que não possui, por exemplo, a mesma carga de profundidade psicológica que os personagens de um “ensaio sobre a cegueira” tem, por exemplo. Quando você pega um livro comercial para resenhar, por exemplo, dependendo do livro, é até complicado encontrar algo (além do enredo) para falar, de tão desprovido de significado que são geralmente os romances comerciais (e nessas horas você tem que mandar ver no exercício de imaginação rsrs). Você acaba se limitando a ter que escrever uma resenha vazia… Agora pega um “cem anos de solidão” ou um “A Confissão” pra você ver… As significâncias praticamente PIPOCAM na sua cara! rsrs…

    Mas, mais importante ainda, na minha opinião, é saber dosar o tipo de leitura que você consome. Eu, por exemplo, costumo sempre intercalar… Leio algo mais intelectual, depois me divirto com um livro comercial. Se você lê apenas livros ditos “intelectuais”, você acaba se tornando um pseudo-intelectualzinho chato rsrs… Em contra-partida, se você lê apenas livros comerciais seu poder de assimilação e construção de ideias fica limitado àquele conteúdo raso. Tenho uma amiga, por exemplo, que sempre tira notas ruins nas provas de literatura, por causa das resenhas que nossa professora pede (geralmente minhas notas com ela são boas). Dai um belo dia ela me perguntou: “Edi… Como você consegue escrever tão bem?” e Eu: “Eu não sei se eu escrevo ou não bem, mas o que eu procuro é ler bastante pra poder ter argumentos pra fundamentar minhas ideias” e Ela: “Mas eu leio mais de um livro por semana e não escrevo como você” (realmente ela lê muito) e eu: “Mas você tem que saber o que ler também… Não adianta ler muito e ficar só nas “Sabrinas” ou nos “50 tons de cinzas” da vida” rsrs.

  • Credo… Acho que esse foi o maior comentário que eu já fiz em algum post kkkkkk

  • Eriton

    Lucien e Serena fico feliz de que vocês compartilhem a mesma falta de preconceito (se assim posso dizer) que eu. Pra mim (que leio muuuita literatura fantástica) não importa o livro contanto que você esteja lendo. Até porque a realidade (vou falar da minha sala por que eu conheço) que vejo é de duas ou tres pessoas lendo entre 35 – 38. Eu nunca quis ler um livro classico (nem tenho vontade de ler nenhum no momento), mas dos que li eu posso dizer que gostei de alguns, por que o enredo fugia de tudo de “classico brasileiro” que eu ja tinha visto (sem aqueles cliches de escravo ou amor proibido pelo preconceito etc). Eu odeio que diz que alguem so le quando está lendo classicos isso alem de desvalorizar a literatura atual desmotiva pessoa. Um grande abraço ao pessoal do cast e obrigado pelo otimo video…

  • Ricardo Costac

    Ótima matéria. E viva o gênero Fantasia!

    Abração

  • Luh

    muito bom hehehe ri muito com a edição, parabéns!!!
    eu acredito q a leitura deve entrar de forma natural na vida da pessoa, se ela gosta de quadrinhos já é um começo 🙂

  • Claudio Cesar

    O mais importante em tudo isso é a criação do hábito da leitura. E o hábito só nasce e se consolida pela leitura com prazer. É como nadar, primeiro a pessoa aprende a ter contato com a água, a não afundar, a se deslocar. Depois, adquirida a segurança, vai descobrir que existem várias formas de natação e cabe a ela adotar o estilo que mais gosta, em que se sente melhor. Hoje posso dizer que já li e leio vários clássicos, mas antes li best sellers e livros mais comerciais e todos foram importantes para a minha formação de leitor.