RESULTADO: PROMOÇÃO “DÊ ASAS A UM SENTIMENTO FATAL”

2

Saudações, leitores! Recentemente acabou a promoção “Dê asas a um sentimento fatal” em que o prêmio seria o livro “Sentimento Fatal” da autora Janethe Fontes. Para concorrer, os leitores deveriam enviar um conto em que o tema estivesse ligado ao título da obra e a pessoa que ganhou foi…

P.S: Deem play no vídeo, sei que é besteira, mas adoro fazer suspense (risos)!

A pessoa que ganhou foi…

Quero parabenizar as pessoas que mandaram um conto, alegra-me ver que por meio do blog incentivo outras pessoas a escrever….ops, desculpa, agora vou dar mesmo o resultado.

A pessoa que ganhou foi…

Ganhadora!

Meus parabéns, Rita! Mande um e-mail para cyberpunk_bits@hotmail.com com os seus dados para envio e as informações serão repassadas para a autora que vai lhe enviar um exemplar do livro! Abaixo vocês podem conferir o conto da Rita:

Sentimento Fatal

Cinco anos haviam se passado desde a morte de Lucia e Ruan não pensava em outra coisa que não fosse matar o assassino de sua mulher. Ele havia monitorado todas as pistas encontradas pela policia, e depois de muito tempo finalmente conseguiu encontrar o paradeiro do assassino cruel, que havia deixado sua linda esposa desfigurada por facadas, em um assalto.

Desnorteado e eufórico, arrumou a mala, não muita coisa, apenas duas mudas de roupa e a arma com a qual iria acertar o crânio do assassino, era o que ele mais desejava, ver o sangue escorrendo do corpo inerte daquele mostro, ver a vida o deixando, abandonando-o aos poucos, pois que ele havia feito o mesmo com Ruan, ele havia levado sua vida, sua razão.

Trancou as portas de casa, colocou a mala no carro e deu partida, a caminho de sua vingança ele não conseguia tirar da cabeça o ódio e a repulsa que sentia por aquela pessoa, era um sentimento ao qual nunca havia sentido antes, um desejo incontrolável de sangue, tão fatal para ele quanto para o alvo de sua vingança.

Eram aproximadamente cinco horas de viagem até seu destino final, mas já era noite e Ruan devia parar para comer, e assim o fez, mas sem sequer parar de pensar por um segundo em seu desejo sanguinário.

Eram onze da noite, quando Ruan finalmente chegou a seu destino final, porém parou o carro na entrada da cidade, para raciocinar o que diria quando estivesse frente a frente com o assassino, mas os pensamentos em sua cabeça estavam conturbados demais, dirigiu até o bar mais próximo, ainda aberto, ele precisava de uma bebida, pois o que estava prestes a fazer era uma coisa muito radical, ele que sempre ouvira e até concordava que era errado fazer justiça com as próprias mãos, mas isso até provar o bastante do ódio para enxergar o quanto esse sentimento poderia ser persuasivo e impulsivo.

Entrou no carro, pegou a arma e a carregou com três balas, era tudo o que precisava, uma iria se alojar na mão pela qual sua esposa morreu, a outra no peito, pois o assassino deveria ter um buraco no lugar do coração e a ultima Ruan desferiria em si próprio, porque depois de cumprido seu desejo ele não teria mais o que fazer nesse mundo.

Deu partida, e se direcionou até a casa, onde sabia que estaria o assassino, com o máximo de velocidade possível. Os minutos que se passaram foram sem duvida os mais agonizantes de sua vida, ele se lembrou de tudo, do dia em que conheceu Lucia, tão linda e alegre, o dia em que a pediu em casamento e também é claro, de suas feições apagadas pelo brilho da morte, de seu corpo inerte no caixão, e foi com essa última lembrança que se distraiu da direção do carro, para passar as mãos em seu rosto suado, e quando voltou a atenção para frente só teve tempo de ver o caminhão vindo em sua direção, ou ao contrário, pois em sua distração não viu que o farol havia ficado vermelho. A colisão foi impactante, ele pode sentir enquanto as ferragens lhe perfuravam a carne, e o cheiro de gasolina subindo, e durante seus segundos finais só pode pensar que morreria sem cumprir sua vingança, que havia desperdiçado sua vida com um sentimento mais fatal para ele do que para qualquer outro, pois não só mexia com seus atos como também com sua mente o deixando cada vez mais surtado e obsessivo. E foi com essa conclusão final que ele viu como que em câmera lenta as chamas da explosão chegando até ele, e então fechou os olhos sabendo que sua vida chegara ao fim.

  • Rita souza

    aa ñ acredito!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Valeu,e ED ñ se esqueça de me dar sua opinião

    • Acredite, você ganhou pelo seu esforço. Treine sempre a escrita e você tem futuro nessa área ;D
      Beijos!