RESENHA: “A CASA DAS ORQUÍDEAS” DA LUCINDA RILEY

2
Capa de "A CASA DAS ORQUÍDEAS"!
Capa de “A CASA DAS ORQUÍDEAS”!

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219961
Ano: 2012
Páginas: 560

Sinopse:

Quando criança, a pianista Júlia Forrester passava seu tempo na estufa da propriedade de Wharton Park, onde flores exóticas cultivadas pelo seu avô nasciam e morriam com as estações. Agora, recuperando-se de uma tragédia na família, ela busca mais uma vez o conforto de Wharton Park, recém-herdada por Kit Crawford, um homem carismático que também tem uma história triste.

No entanto, quando um antigo diário é encontrado durante uma reforma, os dois procuram a avó de Júlia para descobrirem a verdade sobre o romance que destruiu o futuro de Wharton Park… E, assim, Júlia é levada de volta no tempo, para o mundo de Olívia e Harry Crawford, um jovem casal separado cruelmente pela Segunda Guerra Mundial, cujo frágil casamento estava destinado a afetar a felicidade de muitas gerações, inclusive da de Júlia.

Olá, mais uma vez, amigos do leitor cabuloso. Quanto o amor pode surpreender, já pararam para pensar? Quanto desse sentimento conhecemos, ou melhor, pensamos que conhecemos?

Este sim é um tema delicado e muito explorado, contudo, atualmente, são poucos os autores que conseguem descrevê-lo em todas as suas formar (o amor pleno, sem preconceitos ou imposições; o amor doentio, com seus ciúmes e perseguições ou mesmo o amor fraterno/paterno em sua forma mais simples e pura do “amar”…). Um verdadeiro romance consegue alcançar a perfeita harmonia entre o mais famoso dos sentimentos e o que ele representa, sem precisar de recursos apelativos. Um texto, quando bem elaborado, utiliza a sutileza e a simplicidade que o tema requer, além de conseguir manipular o cotidiano dos personagens mesclando-o com os mais degradantes sentimentos humanos como: inveja, ódio e rancor.

Atualmente, é difícil encontrar um romance que não seja só “uma história de amor” onde a trama é simples e as dificuldades sempre as mesmas (não que eu não goste dessas histórias, pelo contrário, gosto e muito, no entanto acabam tornando-se uma, espelho da outra. Acho que por isso, gostei tanto do livro da Lucinda Riley, A Casa das Orquídeas, editado no Brasil pela Novo Conceito.

A obra fala das dificuldades do amor, do destino que pode modificar a história de toda uma família e de como esse amor, incisa a teia do destino e encontra uma saída para se propagar, mesmo que de outra forma.

Como o livro é narrado em duas épocas, possui dois inícios e dois desenvolvimentos o fim, no entanto, é o mesmo devido ao cruzamento de ambas. Contudo, a distribuição e o tamanho das histórias provocam um pouco de “confusão” no leitor que precisa voltar um pouco a história para relembrar e entender o que se passa na continuação de texto. Este é um livro rico em detalhes que se aproveita muito bem dos fatos históricos e das riquezas dos detalhes, guiando o leitor através do tempo e do espaço e ampliando, assim, sua visão diante dos lugares por onde os personagens percorrem.

Já os personagens em geral, possuem a sutileza dos ingleses e a paixão dos franceses emanando de suas atitudes, promovendo uma mistura realmente interessante. Para mim, acho que o problema desse livro é, na verdade, a falta de detalhes para o final dos protagonistas, eu teria caprichado mais, mas minha nota final para essa obra é quatro, garantindo à vocês, leitores cabulosos, que vale a pena conferir esse romance criado pela Lucinda Riley.

Book trailer!

  • Meiriellen

    Adorei a sinopse, quero muito adquirir.

  • Meiriellen

    Como eu quero um exemplar desse.