RASCUNHO: A IMPORTÂNCIA DAS RESENHAS

3

A maior parte das pessoas acompanha resenhas em blogs para se inteirar das novidades, ver indicações de livros, descobrir mais detalhes sobre um livro que se interessou…

Mas foi só algum tempo depois que eu comecei a escrever – REALMENTE escrever – que eu percebi como as resenhas são importantes não só para o “processo de leitura”, como também para o “processo de escrita”.

 

 

Ler as resenhas que são feitas sobre o seu livro é muito importante, claro. Mas não é disso que eu estou falando.

Estou falando sobre ler resenhas de livros com temáticas similares ao seu. Ou ler resenhas sobre livros que você não gostou, para compreender melhor os erros que você quer evitar.

Os livros são escritos para serem lidos, e os leitores não são obrigatoriamente iguais a você. Na maior parte das vezes, eles podem ser até bem diferentes. Ler resenhas é um modo interessante de entender melhor como diferentes leitores interpretam os livros.

A intenção, aqui, não é escrever para agradar o mundo inteiro, porque isso é impossível e vai te levar a loucura. Escrever deve ser antes de tudo um prazer, se você transforma o “escrever para agradar” em algum tipo de obrigação/obsessão tem algo muito errado.

Não é escrever para agradar os outros. É escrever para agradar a si mesmo. Mas tentando evitar o problema da falta de objetividade que atinge muitos escritores. Você está escrevendo. Você teve a ideia. Você está desenvolvendo a história. Depois de um tempo, vai ficar MUITO difícil viasualizar as falhas do seu texto.

Ler resenhas é uma boa técnica para corrigir algumas falhas.

Você leu um livro e adorou. Leia resenhas sobre ele. Veja o que leitores – diferentes de você – tem a dizer. Preste atenção no que eles gostaram e no que não gostaram. Isso te dá uma dica sobre o que as pessoas valorizam em um livro.

Você leu um livro e detestou. Leia resenhas sobre ele também. Escritores de resenha conseguem colocar em palavras os “defeitos” de um livro muito bem, porque eles estão acostumados a ler e escrever a respeito. Enquanto você, que está mais acostumado a escrever as histórias da sua cabeça, pode não conseguir identificar exatamente o que te desagradou. É o fenômeno do “não gostei, mas não sei exatamente porque.”

“Ah, mas nem todo mundo gosta dos livros que eu gosto, e nem todo mundo não gosta dos livros que eu não gosto. Se eu seguir os livros que gosto e evitar os que eu não gosto, vai ter muita gente que vai discordar de mim.”

É… Vai.

Seguir construções de livros que você gosta e evitar os que você não gosta é uma boa ferramenta para produzir um texto final que vai TE agradar. Lembra do que a gente conversou, lá em cima? Pois é.

Lendo resenhas de outros livros eu pesquei muitas dicas que me ajudaram a aprimorar diálogos, eliminar excessos e obviedade que deixavam o texto cansativo, aprendi que você não precisa dizer tudo ao leitor, mas apenas o suficiente para que ele consiga imaginar o cenário… Aprendi várias técnicas e ferramentas que funcionam para o meu estilo e para o meu gosto. Eu te garanto, se você der uma lida em resenhas com os olhos de quem está, não procurando um livro para ler, mas uma dica para escrever, você vai achar muita coisa que vai poder usar!

 

Beijos,

Ju

 

SHARE
Previous articleNOTÍCIA: CONCURSO ESTRONHO 16 ANOS!
Next articleLINKS DA SEMANA [14]
Autora de literatura erótica e especialista em ajuda na categoria "amiga para todas as horas". Metade das coisas que escreve são baseadas em experiências pessoais, literárias, espirituais ou criativas. A outra metade também.
  • Gostei bastante do texto. Nunca tinha pensado neste sentido.

    Bjs!

  • Camila

    Muito bom adorei o texto
    Falou e disse
    bjoss 🙂

  • Vinicius Souza Teixeira

    Obrigado pelo texto que você continue a fazer bons textos