RASCUNHO: OS DESAFIOS DO PRIMEIRO LIVRO

4

Olá turma!

Já que essa coluna é nova, acho que eu devo começar me apresentando:

O nome que meus pais me deram foi Ju Costa, eu não tive voz nem voto no assunto e de vez em quando, até hoje, reclamo. Acho que algo como Arwen ou Aglaia me cairia melhor. Há pouco tempo atrás eu comemorei o vigésimo terceiro dia do meu nome com duas de minhas paixões: meus amigos e filmes de horror antigos. Acabei de publicar meu primeiro livro “Agnus Dei”, da série “A Idade do Sangue”. Além de escritora, sou advogada, mais por conseqüência do que por atuação. Já estou dourando no calor de Recife há alguns anos e mesmo pra mim – que curto carne bem passada – isso já está ficando ridículo. Não acredito no Deus ocidental convencional, prefiro os outros: os velhos, os novos, o Vermelho, o de Muitas Faces, Odin, Apolo, Anúbis, Tolkien, Rowling, King, Martin, Orwell, Saramago…

Se me pedissem para que eu me descrevesse em alguns objetos, acho que eu seria assim:

Muito prazer, isso sou eu! =D

Fiquei muito honrada e dando pulinhos pela sala quando o Lucien me convidou pra participar da equipe do Leitor Cabuloso, dando dicas para aqueles ávidos leitores que acabam por se tornar ávidos escritores.

Então, essa vai ser a função da coluna “RASCUNHO”! Dar as dicas que eu posso dar, baseadas em minha experiência, para os incríveis novos escritores que brotam a cada novo dia.

Vou começar desde já deixando meus contatos:

Meu email: juliec.costa@gmail.com

Meu twitter: @JuCosta_Fantasy

Meu facebook: http://www.facebook.com/ju.costa.7967

Querendo falar comigo sobre algo que gostou ou detestou no meu livro, sobre o livro de outra pessoa, sobre um livro que você está escrevendo e quer ajuda, sobre um filme que você viu essa semana ou sobre o clima, estou a disposição. Me adiciona e a gente bate um papo! =)

Mas agora, vamos ao que interessa!

Eu pensei muito sobre o que colocar neste primeiro post. Resolvi começar com três palavras:

  1. Rascunho
  2. Revisão
  3. Opiniões

Isso pode parecer bobagem, mas esse é o conselho de ordem prática mais válido que eu posso dar aos novos escritores nesse primeiro momento.

Você gosta de escrever?

Então, rascunhe. Tudo e qualquer coisa. Andar com um bloquinho de papel e caneta é bem bacana pra isso. Sempre que você tiver qualquer ideia, anote. Não precisa nem ser uma ideia boa. Muitas vezes uma ideia ruim acaba se metamorfoseando em algo mais. Por isso anote para não esquecer!

A revisão, ou melhor, aS revisÕES são uma das partes mais importantes do processo. Leia tudo que você escreveu. Depois releia, releia de novo e então mais uma vez. As cenas mudam, mais detalhes surgem, defeitos são encontrados, excessos são retirados. Revisar nunca é demais. Confie em mim: releia o seu livro até não aguentá-lo mais! Antes de fechar com a Editora Grimório, eu fiz uma edição do autor do meu livro e, sinceramente, me arrependo de não tê-lo revisado mais. Erro que eu já procurei corrigir com essa segunda edição que vai sair. Então, já dou a dica: revisão NUNCA é demais.

Escute as opiniões! Todas elas. Realmente escute. Dê seu material para algumas pessoas próximas lerem e peça suas opiniões. Um olhar fresquinho faz toda a diferença. Você está tão envolvido com o que produziu que fica fácil perder a objetividade. Seu livro é como um filho e, na maior parte das vezes, seu olhar vai ignorar as falhas e incoerências. Pedir para as pessoas lerem ajuda a resolver esse problema.

Mas CUIDADO! Dê seu material para pessoas próximas e de confiança. Plágio é um coisa igualmente horrível e real. Tenho uma amiga próxima que foi vítima disso há algum tempo. Caso você não tenha pessoas de confiança o suficiente dispostas a ler, ou seja um pouco paranóico (como eu hahah) registre seu trabalho! O registro vai ter que ser feito, eventualmente. Assim você poupa tempo e fica mais tranquilo.

Bem pessoal. Acho que é isso.

Muito obrigada ao pessoal do Leitor Cabuloso pela confiança e pela oportunidade! =)

É um prazer estar aqui e até o próximo post!

Beijo, beijo!

Ju

  • Rita souza

    me preparando para escrever meu livro!!!!kkkk

    • Vamos aguardar ansiosos para lê-lo! =) Beijos!

  • Olá Ju Costa, acabei de ouvir o cabulosocast 31 (primeira vez que estou ouvindo e já curti bastante).

    Gostei muito das dicas que vocês deram e algumas (como a do bloco de rascunhos, ler, reler*n vezes) eu já faço a algum tempinho.

    Minhas maiores dificuldades hoje são: conciliar o trabalho no livro que estou escrevendo (literatura fantástica) com meu trabalho (sendo este o meu trabalho oficial mesmo; analista de sistemas, rs) e a ansiedade (acho que todo autor tem um pouco daquilo de querer mostrar aquilo que está fazendo para outras).

    Eu até postei no meu blog um link para o primeiro capitulo da primeira parte do primeiro livro (http://dunkarus.blogspot.com.br/) para ver o que as pessoas acham – para saber se estou escrevendo hoje um pouco melhor do que no passado.

    Mas é isso – hoje ouvi vc’s comentando uma dica que tenho que praticar mais: paciência. Até porque vou precisar de paciência para fazer um trabalho legal (tenho muito o que pesquisar e muito o que criar para dar ao mundo que criei os detalhes que ele precisa para convencer o leitor – pelo menos vou me esforçar para isso).

    Aguardo aí os próximos podcasts e postagens sobre o mundo da literatura.

    • Oi Éder!
      Que bom que você curtiu! ^^
      Conciliar o tempo é sempre um desafio quando você tem várias atividades. Escrever deve ser, antes de mais nada, um prazer para o autor, então, não vale a pena você transformar o “escrever” em um trabalho, mas ao mesmo tempo nada impede que você busque algumas ferramentas que te ajudem a incluir o espaço pra escrita no seu horário.
      Escolher essas “ferramentas” é muito subjetivo. Uma mesma coisa não vai funcionar para TODO mundo. Eu geralmente faço uma lista de quais cenas eu vou escrever na semana. Eu nunca consigo cumprir a lista inteira (hahaha) mas pelo menos é certeza de que eu vou avançando na narrativa. Algumas pessoas definem quantas páginas querem escrever por semana, ou por mês. Outras separam uma determinada quantidade de horas por dia… enfim… A ideia é você buscar alguma técnica que te agrade e que, mesmo que você não a siga a risca, ainda assim vai te ajudar a avançar.

      E quanto a ansiedade. Bem, cara… não tem jeito! Sinto te dizer, mas ela só vai embora depois que você publicar o livro! hauhauhauhauha E talvez nem aí… É aprender a lidar com ela, saber que ela é super normal e não deixar ela se transformar em desespero. =)

      Precisando de mais qualquer coisa, sabe onde me achar, né?
      Abraço!