[Resenha] Danação do Marcus Achiles

16

Esse ano certamente será de literatura nacional. Um ano que descobri ótimos autores do nosso país. Entre eles está o Marcus Achiles, autor de Danação.

Devorei as páginas de Danação. A história, de suspense, meu gênero favorito, tem o poder de lhe transportar para um Brasil colonial, onde os detalhes do dia-a-dia dos escravos, donos de fazenda e comerciantes são riquíssimos. Detalhes que sozinhos parecem sem sentido, mas com a história e narrativa do Marcus, torna tudo mais interessante.

O protagonista de Danação é Diogo. O conhecemos como um andarilho, viajando sem rumo pelo sertão acompanhado de seu escravo João e o filho deste, Inácio. Há outro membro dessa tropa, mas ele só é visível para Diogo.

A criança de dentes pretos. Ou, se você preferir, o Diabo.

Ele é o motivo da peregrinação de Diogo. Acontece que em um momento de desespero, vendo sua família indo à falência, ele procura fazer um pacto para receber uma das maiores minas das Geraes. Só que, além da alma, Diogo acaba perdendo algo que considera mais importante: seu filho. Considerando a mina suja com o sangue de seu filho, Tiago, ele decide não usufruí-la e o Diabo o segue para lhe lembrar que embora ele escolheu descartar a sua parte do pacto, ele não descartou a dele.

As partes em que a criança dos dentes pretos está presente são as melhores do livro.

Como as pessoas reagem quando ela está por perto, podendo vê-la ou não, dá aquele ar de suspense que me agrada bastante.

Diogo durante a sua caminhada, recebe um sinal que considera de Tiago, que o leva a Taubaté. A vila no momento está sendo evitada. Durante cinco semanas, corpos foram encontrados carbonizados toda sexta-feira. Diogo acaba tendo que enfrentar o autor dos assassinatos, que não são os bugres como pensam todos na vila, mas alguém tão amaldiçoado como ele.

Fogo. Sexta-feira. Se você conhecer o nosso folclore, sabe de quem estou falando.

O que eu gostei no livro, o que me prendeu e me transformou em uma fã é que os assassinatos de Taubaté não são totalmente o foco da história. Tudo é interessante. Diogo com sua sina, a vida do seu escravo João, os costumes, crendices e é claro, a presença do nosso folclore.

A notícia que esse não será o único livro – veja na entrevista – me deixou ainda mais feliz.

Se você sempre pensou que o nosso folclore daria um ótimo livro de suspense, esse livro é Danação. Mais um exemplo de ótima literatura nacional.

Nota:

05-selos-cabulosos

Ficha Técnica:
capa-danaçãoEditora: Baraúna
Autor: Marcus Achiles
Origem: Brasileira
Ano: 2011
ISBN: 978-85-7923-487-3
Número de páginas: 409
Skoob

Sinopse:

Em maio de 1734 Taubaté era uma vila sitiada e aterrorizada. A cada sexta-feira seus moradores repetiam o mesmo ritual perturbador das semanas anteriores, enterrando corpos queimados encontrados nas matas. Uma intolerância comparável apenas ao medo diante de um adversário oculto e invencível logo jogou colonos e militares contra os índios abrigados em aldeias próximas. Para os crentes, no entanto, aquele pedaço de terra e suas três mil e poucas almas eram uma nova Sodoma, condenada por Deus a ser consumida pelas chamas. É nesse pandemônio de fanatismo, fúria e violência que chega a Taubaté o mais maldito dos homens, perseguido pelo maior dos inimigos e guiado por um anjo. Ele é Diogo Durão de Meneses, um senhor de engenho a quem a tão desejada morte era negada há quatro anos. Um forasteiro, destinado a enfrentar um ser que desafiava toda razão e fé – e que, nos séculos seguintes, seria imortalizado no imaginário de um povo.

DANAÇÃO não é apenas um romance que transporta o leitor para o Brasil do século XVIII. Em suas páginas estão mais do que o dia-a-dia no interior de uma colônia inóspita, com seus costumes fielmente retratados. O livro é também uma passagem para outra dimensão, na qual seres imaginários – que séculos atrás povoaram os medos dos homens – criam vida. E onde o Mal deixa os sermões dos padres e se torna tangível e implacável. DANAÇÃO busca dar ao folclore brasileiro contornos inéditos, unindo o mais puro realismo fantástico aos dramas verdadeiros de negros, brancos e índios em uma época de incerteza e provação.

  • Marcella Castro

    Muito original a estória! Criar a imagem do diabo, que apenas é vista pelo Diogo, na imagem de uma criança de dentes pretos.. é um tanto quanto peculiar! E se você disse que são as melhores cenas, imagino que deve ter um humor negro misturado com um suspense.. seria uma boa combinação! Fiquei curiosa para saber o desenrolar da estória, creio que realmente seja bom! 🙂
    Ah, e gostei da resenha, sucinta e com ênfase nos detalhes bem característicos da narrativa!
    Bjs!

    • aline

      Meu comentário é um só….ganhando ou não farei questão de possuir essa obra…estou muito ansiosa para devorar o livro inteiro…Boa sorte

    • Marcella, o livro tem um suspense muito bom. Se você gosta do gênero, vai amar o livro! Obrigada pelo comentário! Abraços!

      Aline, fico muito feliz! Significa que o livro te deixou mesmo curiosa xD Abraços!

  • Luciana Cardoso

    O que posso dizer após ler essa resenha é que eu quero muitoOo ler esse livro, achei a história super original, abordar tal assunto e ainda agradar aos leitores e deixar pessoas como eu muito curiosa para lê-lo é para poucos.
    Ultimamente estou lendo muitos livros nacionais e posso dizer que me surpreendi de um jeito maravilhoso, anseio pela leitura desse livro a história me agradou pro d+ rs…
    Priscilla meus parabéns pela resenha eu amei, em breve com certeza lerei esse livro.

    • Luciana, os autores nacionais também tem o seu talento! Prova disso é Danação. Obrigada pelo comentário! Abraços!

  • Rita souza

    nossa essa história de criança dos dentes negros já me assustou!!! essa mistura de suspense com humor obscuro q me deixou curiosa e ainda mais com o folclóre brasileiro q é tão pouco explorado!!!

    • Rita, realmente os autores brasileiros deviam explorar mais nosso folclore. Podem sair histórias muito boas!
      Abraços!

  • O livro me pareceu super interessante, misturando a coisa do histórico com as lendas e o místico. Me amarrei! O problema é que vai ter continuação, é que ultimamente to com pouco de raiva de trilogias.. rs

    bjs

    • Priscilla Rubia

      Marinna, eu tb n sou mto fã de séries, principalmente qdo demora a sair e vc nem se lembra mais do que está acontecendo, mas com Danação é diferente. A história poderia sobreviver sem um segundo livro, ela não depende dele. Tem início, meio e fim. A continuação é esperada por mim pq eu quero ler mais e saber mais sobre as personagens.
      Leia sem medo.
      Abraços!

  • Jonathan Castro

    na verdade eu NUNCA pensaria que nosso folclore daria uma história de suspense hahahaha não sou grande fã do folclore brasileiro, então conheço pouco, mas a história parece interessante pelo enredo em si que já tem um suspense legal (pelo menos a resenha passa isso)

    • Priscilla Rubia

      Jonathan, se vc ainda n gosta do nosso folclore, vai ver q qdo ele é bem trabalhado, como em Danação, vc passa a se interessar bastante por ele.
      Abraços!

  • Marcella, Aline, Luciana, Rita e Marina (ufa…)
    Valeu pela força. E espero que, quando lerem o Danação, gostem como a Priscilla – e aqui vai também um agradecimento a ela, pelo apoio e generosidade do post.
    O Diabo, para mim, é um dos melhores personagens da estória. Ele é mais humano do que as pessoas poderiam esperar. E longe da “besta que cospe fogo”, como o próprio bem gosta de lembrar. Gostei particularmente de escrever os diálogos com Diogo. No fundo eu acho que, se o Diabo, existe, ele é bem aquilo.
    A presença do folclore num romance histórico era algo que eu sempre sonhava fazer. São dois estilos que sempre me fascinaram. E que têm poucos adeptos, infelizmente.
    Sobre ter continuações, muita gente tem resistência, e com razão. O que mais tem hj no mercado editorial é essa febre de trilogias… Mas algumas estórias se sustentam em vários livros. Sagas mais longas. Não consigo por exemplo imaginar Guerra dos Tronos em menos de cinco volumes. E no caso do Danação, sem querer estragar com um spoiler…, tb é a estória do resgate da alma de Diogo. E isso leva um certo tempo… Além disso, minha ideia é romancear mais de um mito. Cada região tem suas lendas, uma mais legal do que a outra, e pretendo fazer Diogo correr a Colônia de cima a baixo. Para quem ainda não conhece o blog, deem um pulo em http://folclorefantastico.blogspot.com. Tem dois capítulos pra degustar. As que ainda não leram, torço pra que gostem.
    Abraços a todas e obrigado pela força
    Marcus Achiles

  • PATRICIA MARTINS DE CASTRO

    Estou cada vez gostando mais da literatura Brasileira, esse ar de suspense que você comenta na resenha é uma coisa que não vi muito nos livros brasileiros de antigamente. Adorei saber que o livro é bom, e o fato de ter continuação me deixa anciosa, por isso prefiro ler quando tiver lançado a continuação..rsrsr

    • Priscilla Rubia

      Patricia, a literatura fantástica brasileira está tomando rumo agora e é essencial o nosso apoio! Como eu disse pra Marinna, vc n precisa esperar a continuação de Danação para ler a história. Fique a vontade para começar.
      Abraços!

  • Também sou suspeito em concordar com a Priscilla, mas esperar pelas continuações pra começar a ler… Faz isso não… Ler um livro não é como assistir um seriado tipo Lost, que vc compra um monte de temporadas e assiste tudo de uma tacada só. Ler é degustar. Degustar inclusive a espera. E enquanto a continuação não sai, é arrumar outros livros de fantasia made in Brazil pra preencher o vazio. Coisa boa é que não falta.

  • Roberto Carlos da Silva

    Esse livro é maravilhoso. Juro que me fez ficar 2 noites e meia, acordado, virando páginas até chegar ao fim.