SÉRIES: ONCE UPON A TIME (CRÍTICA DA 1ª TEMPORADA)

14
Emma é a esperaça dos seres dos contos de fadas
Emma é a esperaça dos seres dos contos de fadas

E chegamos ao final da 1ª temporada de Once Upon a Time. A série parece que movimentou não apenas os fãs, mas também a mídia já que a protagonista Emma, Jennifer Morrison, veio ao Brasil em maio deste no. A série possui uma premissa muito interessante, porém (como disse em outro post) não é tão inovadora assim, pois lembra uma série de HQ chamada Fábulas.

Emma e seus embates novelísticos com a Prefeita de Storybroke

Em Once Upon a Time, Emma é a filha da Branca de Neve e do Príncipe Encantado. Enviada ao nosso mundo para salvar os seres dos contos de fadas de uma terrível maldição lançada pela Bruxa Má. Os seres são trazidos para o nosso mundo e suas lembraças do que foram são completamente apagadas. Henry, o filho da Prefeita que é a Bruxa Má, parece ser o único a saber da maldição e procura sua mãe biológica, Emma que o abandonou ainda bebê, para fazê-la cumprir o seu destino. E assim Emma é levada a Storybroke, lá é onde tudo acontece…

Sem rodeios, digo que achei a série insossa. Em muitos momentos, os dramas mundanos dos personagens são o foco dos episódios me dando a sensação de estar assistindo a uma novela do que a uma série com personagem de contos de fadas. O romance chiclete (estilo vai e vem) entre Mary Magaret (Branca de Neve) e James (Príncipe Encantado) é de dar sono. As briguinhas entre Emma e a Prefeita são copiadas das nossas novelas das oito de tão clichê e previsível os resultados (a prefeita sempre leva a melhor e sempre parece estar um passo a frente da protagonista, menos no final onde o “amor vence o mal”).

Branca de Neve

Eu ia dizer que essa série foi uma grande perda de tempo e achava que as pessoas estavam fazendo tempestade num copo d’água…, mas eu disse que “ia dizer”…

O “porém” acontece a partir do episódio 16 (sim você precisa assistir a 15 capítulos de dormir até chegarmos ao que interessa). Depois desse episódio, a trama ganha um ritmo tão frenético e tantas reviravoltas começam a acontecer que até me fizeram esquecer os insalubres episódios anteriores. E o desfecho, para mim, foi satisfatório, pois o roterista me surpreendeu.

Em vários momentos, fiquei a pensar em Once Upon a Time seria uma daquelas séries que começam a inserir tantos

James, O Príncipe Encantado

mistérios para alongar as temporadas que teríamos um final ao estilo Arquivos X ou Lost, contudo quem a escreve tomou um caminho mais cauteloso, criou um arco para a 1ª temporada e ao longo deste arco foi colocando elementos para uma possível 2ª temporada que me deixo… é!, tenho que admitir, curioso.

Portanto, a série demora para engrenar e como possui uma 1ª temporada fechada acaba dependendo do gosto do freguês.

Um destaque dela é o ator Robert Carlyle, que interpreta Rumpelstiltskin na série. Seu talento e trejeitos derão ao personagem um ar encantadoramente diabólico. Ele é aquele personagem dúbio que parece jogar em todos os lados para alcançar objetivos próprios, apesar de ser um vilão, o ator dá uma profundidade que nos faz querer acompanhar seus passos de perto. Os capítulos em que conhecemos mais sobre Rumpelstiltskin dos contos de fadas são imperdíveis e envoltos numa aura de mistério.

Rumpelstiltskin, o melhor vilão da série

A série tem um atrativo em particular. O que ela faz com Rumpelstiltskin, também é feito com os demais contos de fadas, ou seja, ficamos sabendo mais da vida deles no universo do faz-de-conta. Por exemplo, você sabia que o Zangado, o anão, na verdade se chamava Sonhador? Pois é, estas e outras revelações são feitas intercalando conto de fadas/mundo real, foi por essa motivo que não abandonei quando os dramalhões começaram, porque é realmente interessante saber “o outro lado” dos contos de fadas.

Se você deseja saber mais sobre Once Upon a Time acesse o site http://onceuponatimebrasil.com/ que traz excelentes informações de bastidores e novidades sobre a 2ª temporada.

  • Curti a resenha. É mais ou menos como eu me senti. No começo parecia só uma novela, mas eu gostei desse ‘novo lado’ que eles deram pras histórias convencionais dos contos de fada. E, apesar de não ter gostado do maneira como Lost se desenrolou, eu gosto desse trabalho dos roteiristas (que são os mesmos de Once) de ficarem indo e vindo na vida de um mesmo personagem pra ir contando os pedaços da histórias aos poucos e deixar você preencher as lacunas. Achei a narrativa bacana e por isso terminei de ver a temp. Mas ao contrário do Lucien, não gostei do final hauhauhauhauhaua. Achei que eles entupiram demais o ultimo episodio e não deram o devido desenrolar para situações que mereciam. Deixaram tudo meio jogado, na minha opinião. Mas ainda assim quero dar uma conferida na segunda temp. Bejo procês!

    • Ju,

      Os roteristas de Once são os mesmos de Lost? MEU DEUS! Minha cabeça explodiu! Também acho que o final foi abrupto, muita informação em pouco tempo tudo para concluir e compensar aquele lenga-lenga do começo.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

      • hauhauhauah Pois é, Lucien!
        São os mesmo roteiristas. Vê se não é igual a narrativa de Lost: cada episódio, apesar de contar a história do lugar inteiro (ilha ou Storybrooke) foca em um personagem específico, e conta a história desse personagem em dois tempo (ilha/fora da ilha, Storybrooke/contos de fada) ^^

  • @cyberlivingdead

    Acho muito bacana esse trabalho de divulgação de séries em outros países. Espero ainda ir em um evento de alguma série que goste. O enredo lembra mesmo “Fábulas”, mas acho que uma série de livros atuais lembra vários antigos, mas isso não torna-os ruins logo de cara.
    Acho que temperar a vida dos personagens fantásticos com um pouco de dramas realistas poderia fazer os espectadores se sentirem mais próximos da ficção, mas pelo visto isso foi usado de forma exagera e como tudo em demasia: ficou ruim!
    Tá vendo…a persistência em assistir a série valeu a pena! Essa coisa de produzir temporadas fechadas já é um meio dos produtores de evitar grandes perdas. Já que hoje em dia é assim…uma série não dá Ibope como no ano passado? Cancela!
    Vilões com mentes de grandiosa inteligência são cativantes demais! Nem sempre os “mocinhos” são o melhor da história.
    Legal, saber mais dos contos de fadas é bacana! A maioria tem um passado beeeeeeem macabro….que digam os irmãos Grimm! Parabéns pela resenha, Lucien!

    Abraços!
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

    • Cyber,

      Gosto bastante quando a série hoje cria estes arcos de histórias é interessante, porque os próprios roteristas não se atrapalham ao desenvolverem-na.

      Vou assistir Grimm, pode ficar tranquilo.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

      • @cyberlivingdead

        Lucien,

        Realmente roteiros desenvolvidos em arcos poupam os roteiristas de se perderem no meio de tudo e o espectador de começar a acompanhar algo e aquilo terminar sem um fim satisfatório (ser cancelado). Assista “Grimm” mesmo xD É um estilo bem diferente, apesar de ter o tema bem próximo.

        Abraços!
        http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

  • Rita souza

    é essa serie é realmente legal,mas eu so vi os 5 primeiros episódios então ñ tenho muitos,mas eu ja vi realmente várias pessoas falando bem dela,portanto espero terminar de vela!!!

    • Rita,

      Termine de vê-la e depois retorne para opinar. Certo?

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Priscilla Rubia

    Nossa, qdo comecei a ler essa crítica, pensei: vish, não vou ver mais essa série. Mas pelo jeito ela tem futuro…. Valeu pela indicação Lucien =D

  • Cristiano Reis

    Eu gostei da série, realmente houveram episódios um tanto chatos, mas nada que comprometa a série como um todo. Numa época em que séries tão boas como “supernatural” vão de mal a pior OUAT veio com uma temática interessante.

    • Cristiano,

      Vamos acompanhar a 2ª temporada para ver até onde vai? Infelizmente concordo com você, as séries sobrenaturais estão deixando muito a desejar.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Eu amo Once Upon a Time é uma das minhas series preferidas

  • Ana Paula Takaoka

    Série excelente!!!