RESENHA: “DEPOIS DAQUELE BEIJO” DA RAFAELLA VIEIRA

14
Depois Daquele Beijo, capa
Depois Daquele Beijo, capa

É engraçado quando certos livros chegam as minhas mãos, por que, não sei se vocês sabem, mas no Leitor Cabuloso, eu e Serena não escolhemos os livros que vamos ler. Apenas vemos quem está mais apertado com os prazos de leitura e passamos ao outro. E foi assim quando a Rafaella Vieira entrou em contado conosco. Serena estava com muitos livros para ler e fiquei incumbido de ler e produzir a resenha. Isto é muito positivo para o site (pelo menos na minha humilde opinião) por que você pode ter visões diferentes sobre determinados gêneros, ou seja, aqui nós não resenhamos os livros que gostamos, mas resenhamos livros, gostar são outros quinhentos…, por exemplo, quando é que eu iria imaginar que leria um livro de literatura teen sobre duas garotas que se apaixonam? E que eu iria gostar! Duvida? Então leia esta resenha…

Vamos à sinopse?

SINOPSE:

Caterine é a nova menina na classe. Linda de morrer, interessada por livros, muito intensa, ela vira a melhor amiga de Michelle, e durante o projeto de filmagem para a matéria de artes, as duas descobrem que um beijo pode ser perfeito demais – e mudar tudo o que acontece depois. Um romance teen ambientado em Recife, com todo o calor das praias de mar verde…

Vou dizer de cara que gostei bastante do livro por vários aspectos. A autora trata o romance da Michelle e da Caterine da maneira como deveria ser no nosso mundo preconceituso e cheio de tabus, ou seja, como uma história de amor entre duas garotas que aprendem a amar, amando. O livro não procura em momento algum discutir ou tornar-se um tratado sobre o amor sem preconceitos, pois o amor verdadeiro não tem preconceitos, simples assim!

Rafaella Vieira, autora

Outro ponto fantástico, é que a Rafaella não perde tempo com crises desnecessárias ou intrigas alá novela das 8, longe disso! Quem já assistiu ou leu obras na qual o amor entre pessoas do mesmo sexo é abordado sabe que os roteristas/escritores colocam uma terceira pessoa para desestabilizar a relação do casal e criar uma crise em um dos apaixonados, mas o que vemos nas páginas de Depois Daquele Beijo é o foco direcionado para a dinâmica da relação entre a Mi e a Cat. Em um namoro, todos passamos por várias fases desde o deslumbramento inicial, à fase da dependência do outro, onde nos percebemos apaixonados e aficcionados pelo ser amado, até os primeiros amassos e… (bem, não preciso ser mais detalhista, certo?) Mas para as mentes poluídas, a escrita da Rafaella traz todos esses momentos de forma carinhosa e natural.

Não há como não se encantar pela Michelle, a narradora do livro. Trazendo características da própria autora, pois a protagonista também gosta de escrever e na história ela está produzindo um roteiro para um trabalho de artes, é através dela que temos incersão de uma série de elementos da cultura pop atual. Michelle cita Crepústulo, Justin Bieber, Harry Potter, Glee e vários outros ingredientes que compõe o universo teen de hoje. Isso é importante, já que o livro tem a temática voltada para esse público é, com certeza, um atrativo para a geração atual que lê e, quem sabe, conquistar novos adeptos para o mundo da leitura.

E por falar em leitura… ler Depois Daquele Beijo é garantia prazer! Não apenas a escrita da autora é saborosa como também seu jeito de conduzir a história faz com que as páginas passem rapidamente. Li este livrinho em pouquíssimos dias e ficava feliz ao fechá-lo para continuar a leitura no dia seguinte. Gostei dos demais personagens e na maneira como eles funcionam a favor da trama. Ninguém está ali gratuitamente, todos são importantes para o desenrolar do relacionamento das apaixonadas e em dado momento ajudam-nas a vencer as dificuldades que se sucedem.

Quando fiz o Tem Que Ler sobre a Rafaella Vieira fui ao seu blog pessoal para colher informações que compusessem o post e me deparei com um alerta da própria sobre algumas críticas que seu livro estaria recebendo por parte dos leitores sobre as situações se resolverem de forma muito natural. É verdade. Houve vários momentos, principalmente, quando outras pessoas começam a tomar ciência do namoro da Mi com a Cat. As reações são de certa forma irreais, porém vejo todo o cenário de Depois Daquele Beijo como uma manifestação do “como nosso mundo deveria ser”, se não já o é! “Por que?” Você pergunta, caro Cabuloso. Sou professor de escola pública e vejo nos meus alunos uma aceitação maior do que a minha geração para o relacionamentos homossexuais. O que me soa estranho, para eles é natural. E foi assim que comecei a ver essa interação entre as protagonistas do livro e seus amigos. Tomo de exemplo duas frase de dois personagens diferentes:

1º de Jasmine, amiga de Michelle:

– Eu ouvi uns boatos, mas nem liguei. Eu nunca pensei que você fosse ficar com uma garota. Mas eu não acho nada demais, as garotas beijam bem e não querem enfiar “coisas” em você o tempo todo.

Pág. 141-142

A 2º é do pai de Michelle:

– Você está feliz?

– Muito!

Pág. 152

O que realmente importa? Não é a felicidade? Então o livro fala sobre a felicidade de amar alguém, este é o tema central de Depois Daquele Beijo, não é sobre duas garotas namorando, sobre beijo gay, direito dos homossexuais, nada disso. O livro é sobre o amor. Por isso quem está apaixonado (ou vive apaixonado como eu!) compreende perfeitamente a relação e toda a “fase dos amassos” que a tia Jaque ensina para sua sobrinha, Michelle.

E, por último, mas não menos importante. Se você é de Pernambuco existe um motivo a mais para você gostar do livro e não é o fato da história se passar na capital pernambucana, mas as gírias e os regionalismos trazidos através dos diálogos. Quando li a palavra “Tabacudo(a)”, pensei: “Tá ai, uma palavra 100% pernambucana”. Fora outras como: “painho”, “mainha”, “massa”… deixou a leitura ainda mais divertida.

Depois Daquele Beijo da Rafaella Vieira (ed. Brejeira Malagueta) leva a nota máxima do Leitor Cabuloso por ser uma belíssima história de amor e dar uma lição de moral sobre o amor sem preconceitos sem levantar bandeira. Comove, emociona, é gostoso de se ler e, se eu fosse um adolescente, esse livro me traria várias lições de auto-estima, amizade e amor importantes para quem vive uma fase da vida onde os hormônios falam mais alto.

NOTA:

5 Selinhos Cabulosos: LEITURA CABULOSA!

TRECHOS QUE O LUCIEN GOSTOU:

E então, seguindo o roteiro do filme, ela pousou as mãos no meu rosto, me olhando com doçura, e me puxou, coloca a boca entreaberta na minha. Por pouco não pensei que a vida era um musical.

Pág. 62

A gente passa grande parte do tempo pensando no futuro. A próxima festa, a próxima prova, o próximo aniversário, a próxima vez que vamos encontrar aquela pessoa linda que nos tira o fôlego, o próximo tudo. Aguardamos as coisas acontecerem, vivemos fazendo isso, mas quando finalmente acontecem, não conseguimos aproveitar. É como se o momento se perdesse, porque passa tão rápido. E aí nós voltamos para o mesmo círculo vicioso de sempre. A espera. O futuro. A próxima vez.

Pág. 78

  • Lucien, eu já tinha achado o livro interessante quando Felipe resenhou ele lá no blog. Tu escrevendo sobre ele agora, me deixou com muita vontade de ler esse livro. Parece ser um ótimo livro para se ler.

    Falando nas gírias, eu não sabia que “massa” era algo regional… kkkkkkkkkkkk

    Abraço!

    • Thyeri,

      Não só gostei, como acho que o livro deveria circular pela listinha dos livros “paradidáticos”, pois é aquela leitura para cativar aqueles que não gostam de ler.

      E sobre a gíria: massa pode realmente não ser uma gíria 100% nordestina, mas o “tá massa” é nosso e digo mais! No contexto do livro você saberá por que é 100% pernambucano!

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Oi Lucien! Você conseguiu: me deixou muito curiosa sobre o livro. Além da temática, gostei de saber que a narrativa é boa! Se passar em terras pernambucanas e usar nossas gírias são mais alguns atrativos que me fizeram por na lista de leitura.

    Ótima resenha, como sempre!

    Beijos

    • Monique,

      Pode ficar tranquila que é diversão garantida.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • @cyberlivingdead

    Também costumo ler o que chega até minha mão, como tenho amigos leitores em minha cidade às vezes pego livros aleatórios emprestados e isso realmente me proporcionar, como você mencionou, uma perspectiva mais ampla sobre estilos de escritas etc.
    Interessante, então a autora fala sobre o amor sem discriminar sua forma…muito bom! Legal que o romance não procura levantar bandeiras, mas tão simplesmente falar sobre o amor. Sou do Nordeste (Alagoas) e acho que vou adorar também essas expressões regionais na obra. Parabéns pela resenha, Lucien!

    • Cyber,

      Acho que como você é nordestino, então vai adorar o livro. Ele te permite uma leitura “mente aberta” sabe!

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Lucien uma resenha maravilhosa que me deixou emocionada!!! Vc ñ sabe a sensação de ter alcançado a nota máxima no padrão do site de vcs!!! Incrível!!!
    MASSAAAAAAAAAAAAA D+++!!!
    Mtoo obrigada pela linda resenha!
    🙂
    Bjossssssssssssss

    • Rafa,

      Nós é que te agradecemos por ter nos possibilitado entrar em contato com sua obra.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Eriton

    Primeira vez que vejo um livro de romance(ou uma resenha sobre ele) e fico interessado pela leitura o fato de abordar um romance homssexual é a diferença dele pois li nenhum livro deste tipo. O que me deixou com mais vontade ainda de ler esse livro foi o fato das girias nunca li livro nenhum daqui do nerdeste que contivesse girias(tb li muito pouco desse tipo ¬¬). É um livro que espero ler e agradeço ao leitor cabuloso por apresentar tal livro para mim. Valeu XD(vixe falei demais)

    • Eriton,

      Nunca peça desculpas pelos comentários ficaram longos, viu?! O objetivo principal desta resenha era passar a sensação de quem também nunca leu um livro de literatura homoerótica em estilo de romance. Eu gostei do livro e minha resenha quis mostrar isso. São em comentários como o seu que percebo que atingi isso.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Ola!!
    é um tema polêmico o homossexualismo, mas pela sua resenha o proposta do livro é mostrar o amor em sua essência sem preconceitos, algumas vezes é difícil enxergar esta diferença.
    Quero ler.
    Bjos!!

    Tem um Meme lá no blog para você responder se quiser.

    • Dany,

      O livro da Rafaella é para ler mesmo. A resenha não expressa o real prazer em ler o livro desta talentosa pernambucana.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

  • Rita Souza

    nossa esse livro pareçe realmente bom,eu ja havia me enteressado por ele no “tem que ler” mas agora pareçe quase obrigatório na minha estante.É realmente legal a autora ousar(ou ñ)com esse tema,pois sempre q me vem a cabeça um livro q a uma relação Homossexual eu penso bem naquele clima novela das 8,em que a personagem sofre preconceito,nega sua opção e ai no final fica em duvida,dai vem minha vontade de ler um livro q simplesmente trate o assunto como uma coisa comum.porq hoje é assim mesmo,uma coisa comum!!!

    • Rita,

      Concordo com você plenamante! E é obrigatório sim, portanto leia!

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.