CabulosoCast#24A – Literatura Homoerótica

22

A literatura é composta de vários gêneros, dentre eles, ficção científica, fantasia, terror… e a literatura gay faz parte desse leque, contudo o preconceito e a hipocrisia impedem os debates sobre a Literatura Homoerótica. Por que é tão difícil discutir o assunto? Onde estão as raízes do grito silencioso de uma minoria? O que Yaoi tem haver com o tema? É isso que Lucien o Bibliotecário (@lucienobiblio10), Serena (@Serena_Cabulosa) e Tanko Chan (@tankochan) do Blyme Yaoi tentam desvedar no retorno do CabulosoCast. Boa leitura!

CITADOS NO PODCAST

COMENTADO NA LEITURA DOS RECADOS

ASSINE NOSSO FEED

Assine nosso feed http://leitorcabuloso.com.br/feed/podcast/

NOSSA PÁGINA NO iTUNES

http://itunes.apple.com/br/podcast/leitor-cabuloso-literatura/id549022839

NOSSA PÁGINA NA KOMBO PODCASTS

http://www.dimensaonerd.com/category/podcast/cabulosocast/

NOSSA PÁGINA NO YOU TUNER

http://youtuner.co/index/results?s=cabulosocast&x=0&y=0

NOSSA PÁGINA NO FALACAST

http://www.falacast.com.br/eqbws9vm

MÍDIAS SOCIAS

QUER ENVIAR UM E-MAIL?

Quer enviar um e-mail comentando algo que ouviu no programa? Quer enviar um link ou algum material que complemente as informações do podcast? Escreva para [email protected]

QUER DEIXAR UM RECADO DE VOZ?

Mande seus recados de voz para o nosso CabulosoCast deixando sua mensagem na nossa secretária eletrônica do GTalk! É só ligar para [email protected]

Tamanho do Episódio: 97 minutos

ATENÇÃO!

Para ouvir basta apertar o botão PLAY abaixo ou clique em DOWNLOAD (clique com o botão direito do mouse no link e escolha a opção Salvar Destino Como para salvar o episódio no seu pc).

VERSÃO EM ZIP

Para baixar a versão em zipada clique aqui, em seguida cole o link de download e clique na opção convert file.

Para fazer o Download do episódio clique aqui.

22 COMMENTS

  1. Alto nível do podcast. A parte sobre literatura homoerótica está excelente, criando, na medida do possível, um bom panorama. Boas citações, como Dorian Grey, Scott Pilgreen, O Ateneu, os mangás. A parte b, que trata da excelente coletânea A Fantástica Literatura Queer também está muito boa!

  2. Adorei, é o primeiro podcast que ouço (ainda não cheguei na parte 2) e já estou baixando os antigos.
    Só uma dúvida: qual é o programa novo e revolucionário que vcs estão usando agora? Tb faç oedição de áudio e fiquei curiosa!

  3. obrigado pela citação no programa 24. foi coincidência ou tem dupla intenção?
    Faltou crepúsculo nessa literatura homoerótica do cast hein.

  4. Saudações, grandes casters! 🙂 Já estava com uma grande saudade de suas conversas e finalmente vocês retornam! Eba!
    lol! Serena é sinônimo de polêmica?! What?! kkkkkkkkkk Muito engraçada ela. kkkkkkkkkkkkk Não existe arte obscena?! lol! Já assistiu “Calígula”? xD Eita, esse início já me fez começar a rir. Eita, os comentários da Serena são hilários demais.
    A questão do homossexualismo hoje em dia não é tããããoooo polêmico assim, mas obviamente que isso varia de pessoa para pessoa porque envolve crenças ideológicas, religiosas etc.
    Pow, Lucien, a Serena roubou a cena neste cast! Na verdade, as garotas roubaram a cena no cast! Legal que as meninas mostraram as suas opiniões. Normalmente garotas são mais retraídas quando o assunto é sexo. Hey, Antonio Bandeiras atuou em “Entrevista com o vampiro” e os vampiros de Anne Rice são bissexuais, amigas e amigos que lêem Anne Rice até já comentaram isso comigo.
    “O Retrato de Dorian Grey” não é chocante. O homossexualis é descrito de forma tão branda que não nos deixa surpresos somente por esse traço da trama.
    Parabéns pelo cast! Vocês voltaram mesmo com força total!

    Abraços!
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

    • Cyber,

      Não tive como falar mais do que as meninas e elas estavam tão empolgadas que fiquei com aquela sensação de que não tinha nada para falar.

      Quanto ao livros citados concordo contigo, porém o que eu quis discutir é que o homossexualismo sempre está presente na literatura de um modo geral, contudo assim que um livro é posto na prateleira como literatura gay uma boa parcela de nossa sociedade repudia, por quê?

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços.

    • ahahah, quis dizer com isso da arte obscena que esta não deve ser a qualificação para a arte, assim como não acredito em “artes menores”, como dizem dos games e dos quadrinhos, ou é arte ou não é arte. É bom ou é ruim, outras “características” são menos relevantes do que essa. =)

      Obrigada por ter me aturado no podcast!

  5. E voltooou o CabulosoCaaaaast *todos comemoram*
    Saudade de vcs pessoal.
    Nunca vi essa tal peça de Jesus, confesso que nem tinha ouvido falar, mas na bíblia (sendo mais específica, em Tessanolicenses 5:26) há um versículo que diz: Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo. Em algumas denominações, isso significa beijar a boca do outro com os lábios cerrados. Acho que no caso eles queriam ser bem fiéis a coisa toda.
    Nunca li literatura homoerótica por causa de um certo preconceito mesmo. O que eu n gosto em livros e filmes do tipo, é que eles tratam o homosexualismo de forma muito exagerada. Parecem que tem preconceito contra o homosexualismo e não que o apoiam, pois falam como se n fosse algo natural e sim diferente. Já li vários livros onde existia um personagem gay e isso era tratado de forma normal, natural.
    Nos animes, bem, acho que um anime da década de 80/90 que ficou mais explícito foi em Cavaleiros do Zodíaco. Aquela cena do Shun e Hyoga é bem… É. Via Sakura Card Captors mas n via nada de mais nas amizades profuuundas dos personagens, só fui me dar conta mesmo ao ler o mangá.
    Vou já já ouvir a parte 2!
    Abraços!

  6. Olá! Fico a ver navios aqui porque nunca escutei nada daqui. Aliás, minha primeira visita no site! Oi-q
    Então, eu escutei e achei muito divertido e muito legal esse podcast; que além de é claro, falar de meu querido yaoi (sou fujoshi, quase beirando a fujoshi verdadeira kkk); falou sobre a literatura homoerótica mesmo, e gostei bastante do seu comentário de que muitas vezes parece que ele foi meio excluído do grupo. Hoje em dia eu já vejo como uma coisa inserida em outros gêneros; como se é de comédia, mas tem algo homo lá; se é de drama e assim vai.
    Não me lembro (porque fiquei perdida nas vozes na hora) quem disse que os filmes com essa temática quase sempre levam aquele final trágico estereotipo; e isso é o que eu havia pensado enquanto assistia uns três filmes que não são japoneses; e mais uns montes japoneses (porque vi tudo isso a partir dos yaois)… E bem, não é toodos assim, mas tendem a levar pra esse pensamento. Ou seja, eu achei muito legal, muito mesmo; vocês não imaginam o quanto!! >///.<

    Bem… eu li comentários anteriores aí; e vi a parte que viu a literatura homoerótica; e da minha que mais viu o yaoi em si… E com certeza acho que desperta interesse sim e uma coisa acaba querendo levar a isso como vocês disseram. Enfim, adorei; e vou parar por aqui porque virou um texto esse meu comentariozinho ToT

    • Ingrid,

      Obrigado pelo seu comentário e como já disse em outros comentários não fique nem um pouco constrangida em escrever muito. Aqui nós adoramos quem escreve bastante.

      Respondendo a sua pergunta: foi Serena que falou sobre filmes homoeróticos com finais trágicos.

      Seja bem-vinda ao CabulosoCast e se possível ouça a parte 2 ainda falando sobre literatura homoerótica.

      Abraços.

  7. adorei o podcast!!!”parabéns…
    aaaaaa ja estava sentindo falta de vc Serena!!

  8. Muito bom ter vocês de volta, quanto mais podcasts sobre literatura melhor. O episódio foi muito bom, porém agora se faz necessario um abordando a faceta da literatura homoerótica com mulheres como protagonistas. Mas mesmo com um só lado do assunto o podcast foi bem elucidativo sobre este tema do qual sou um completo leigo. Sou tão por fora disso que li o O Retrato de Dorian Gray (impulsionado pelo horroroso filme da Liga Extraordinária ) e este aspecto me escapou completamente. Para mim aquela situação, sim, um tanto quanto suspeita, era apenas um retrato da aristocracia inglesa da época, que em minha visão preconceituosa seriam todos afetados como o personagem de Lorde Henry. Li o livro sabendo da homosexualidade do autor sem ver este aspecto tão carregado assim na obra, que é focada, a meu ver, no fato do personagem título se perverter das formas mais vis e poder, através do quadro, ver sua alma definhado.

    Mas deixando de lerolero quero desejar tudo de bom a todos vocês neste momento delicado de suas vidas e que o Leitor Cabuloso siga de vento em popa.

    • Felipe,

      Muito obrigado pelo seu comentário. Realmente o filme da Liga Extraordiária é horroroso, contudo o fato de juntar vários personagens do mundo da literatura representa, no mínimo, uma tentativa louvável. O Retrato de Dorian Gray também expõe a aristocracia inglesa na sua essência, esse homossexualismo velado que envolve os personagens do livro também retrata algo que acontecia na época, mas que era incoberto, não é à toa que o próprio autor fora acusado de homossexualismo.

      Obrigado!

      Não esqueça de ouvir a parte B e deixar comentários.

      Abraços.

Comments are closed.