RESENHA: “AMOR FORA DE HORA” DE KATARINA MAZETTI

6
Capa de "UM AMOR FORA DE HORA"
Capa de “UM AMOR FORA DE HORA”

Edição: 1
Editora: Lua de Papel
ISBN: 9788563066770
Ano: 2011
Páginas: 176
Tradutor: Douglas Pompeo

UM LUGAR IMPOSSÍVEL PARA O ENCONTRO PERFEITO Uma jovem mulher, amante dos livros, e um rapaz do interior se esbarram repetidamente no cemitério. Um local completamente inusitado para um encontro.

Certo dia, um sorriso nasce nos lábios dos dois e eles ficam deslumbrados um pelo outro. É o início de uma paixão irrefreável. Com um romantismo agitado e um humor revelador, este livro combina o choque de culturas com uma história de amor terno e desenfreado.

Olá queridos leitores cabulosos, bem vindos a mais uma viagem pelo mundo literário. E hoje falarei de um livro que faz um grande sucesso na Europa: “AMOR FORA DE HORA” da escritora Katarina Mazetti e editado no Brasil pela Lua de Papel.

Confesso para vocês que quando eu fui apresentada ao título, pensei em comprá-lo, mas quando vi a sinopse praticamente saí da livraria com ele. OK, OK eu amo romances de todos os tipos então sou meio suspeita para falar alguma coisa sobre eles, mas cara, o que você faria se lhe apresentassem algo inusitado? Ligaria ou não para a proposta? Bem, para mim, foi bastante inusitado o fato de um romance ter início em um cemitério, então não tive como evitar a curiosidade e tive que ler. Mas, adivinhem só: O que acontece com quem vai com muita sede ao pote? Pois é encontra ele vazio. Está bem eu não encontrei ele vazio mas estava pela metade e eu estava literalmente com muita sede… Certo, bebidas a parte… O livro conta a história de Desirée, uma bibliotecária atrelada ao mundo literário, moderno e sem dotes culinários que perdeu o marido, por quem não era apaixonada, depois de 5 anos de casada, e Benny Fazendeiro dedicado a fazenda e as memórias de seus pais mortos, é bondoso, meigo, brega mas extremamente fácil de se apaixonar. Benny e Desirée se conhecem em um cemitério visitando os túmulos de seus pais e marido, respectivamente, e a princípio surge uma antipatia entre eles mas, logo isso é transformado em uma forte atração que une os dois mesmo com suas totais diferenças de personalidades.

Quanto a diagramação, o livro é editado em folha amarelada com grandes espaços e sem corte de página por capítulo. Cada capítulo é narrado em primeira pessoa mas alternado ente Benny e Desirée, onde cada um fala o que sente e o que acha do outro, são capítulos complementares que mostram os pontos de vista de ambos. É um livro pequeno com apenas 174 páginas e capítulos de no máximo 3 páginas e é por isso que acho esse um dos maiores defeitos. O livro realmente não é ruim mas, deixa sim muito a desejar, a escritora tinha em mãos uma bomba de ideias que poderia sim ser muito bem explorada mas a impressão que dá é que ela ou teve uma crise de criatividade ou teve pressa para acabar pois, a história termina de um jeito que o leitor sente a necessidade de mais capítulos para concluir a trama. Você termina a história sem entender se ele fica com ela ou não de repente tudo se transforma em um jogo de interesses onde o prêmio é um bebê. Isso mesmo, um bebê, se ela engravidar ficam juntos se não cada um segue seu caminho e esquece o outro detalhe, eles tem três chances para tentar, enquanto isso outra mulher fica na casa de Benny esperando ele para saber se vai ou não ficar com ele. Parece confuso? É porque você ainda não leu e não viu os conflitos internos dos personagens primários e muito menos os secundários que são bem piores (nesse caso nem Freud explica).

Ok, Ok, ele não é de todo o ruim, a pesar de parecer, ele mostra durante as passagens de capítulo, o quão bem um faz ao outro, os carinhos que nenhum dos dois jamais sentiram, a paixão que os fazem querer fazer algo pelo outro e ao mesmo tempo aceitar as diferenças, as pequenas coisas como um poster brega de parede que merece ser admirado só porque foi dado em seu aniversário ou o fato de fazer compras de almondegas congeladas (já que não se sabe fazer) para fazer uma surpresa e é claro as discussões, sem que nem pra que, que ou acabam em uma noite de amor terna e sensível ou em um clima passado mantido com uma pequena dose de cautela. Em fim a história tenta mostrar o andamento de um romance real dentro de uma ficção mas como já citei o erro é o fato de não haver um final adequado além de precisar melhorar os diálogos do casal as situações pelas quais os dois passam e citam em seus capítulos.

Para mim esse romance merece três selos cabulosos e uma boa revisão do final mas, quero saber de vocês, leitores cabuloso, o que acham do livro (caso já tenham lido) ou as suas expectativas (mesmo depois de minha resenha), por isso, me façam feliz comentem mostrem suas opiniões, tanto do livro quanto da resenha. No mais, uma boa leitura e um bom divertimento.

NOTA:

Avaliação: “FODINHA”
  • Rita Souza

    pela resenha esse é o tipico romance montanha russa q sobe e desse…eu ñ sou muito chegada a esse tipo de leitura sou mais um livro de ficção,E por mais detalhista(ou ñ)q tenha sido a resenha ñ mudei minha opinião e pra ser sincera ñ gostei do enredo do livro,simplismente ñ curti!!

    • Pois é Rita vc não é a primeira que fica com o pé atrás, varias pessoas ficavam me dizendo: nossa no cemitério credo!!! kkkkk
      Mas eu achei que seria interessante…
      Pena que não foi melhor =D
      obrigada pelo comentário Rita.
      Bjos

  • Até que gostei desse livro. Não tinha grandes expectativas, só curiosidade. Gosto da narrativa da autora, e até dos capítulos curtos. Confesso que também não sou assim tão fã desses finais que deixam a gente sem resposta. Acredito que seria um livro que por ter acabado do jeito que acabou, merecia uma continuação. Seria interessante saber o que aconteceu…

    Beijos!

    Máh – Crazy for books.

    • Pois é Máh tb acho que merecia sim uma continuação, pena que não tem…
      Bem que e gostaria de saber mesmo se eles ficaram juntos…
      Obrigada pelo comentário Máh.
      Bjos

  • @cyberlivingdead

    Confesso que leria para poder comentar melhor, mas pela trama sozinha não gostei. Pra uma história de romance me conquistar tem que ser muito, mas muito boa e ter algo que a destaque de verdade das demais.

    • Poxa Cyber… gostei tanto da idéia de amor no cemitério… nunca ouvi falar desse tipo de história antes, mas como falei antes poderia ser melhor realmente…
      obrigada pelo comentáio Cyber
      bjos