RESENHA: “A JORNADA” DE ERIN E. MOULTON

9
Capa do livro
Capa do livro

 

       Sinopse – A Jornada – A história de quatro Irmãs e uma viagem inacreditável – Erin E. Moulton Grandes coisas estão prestes a acontecer na casa dos Maple. A mãe vai ter um bebê,o que significa que agora haverá quatro irmãs Rittle em vez de apenas três. Mas quando a bebê Lily nasce prematura e não pode vir do hospital para casa, Maplesabe vai até ela para salvar sua irmã. Então, ela e Dawn, armada com um mapa e alguns restos do jantar, descem rio abaixo e atravessam uma montanha para encontrar a mulher sábia que pode conceder milagres. Agora é não apenas a sobrevivência de Lily que eles têm que se preocupar, mas também a sua própria. Os perigos que Maple e Dawn encontram em sua jornada as fazem perceber uma ou duas coisas sobre milagres – e sobre elas mesmas.

Bem amigos da rede cabulosa, lá vamos nós para mais uma resenha e dessa vez é sobre A jornada, escrito por Erin E. Moulton e editado no Brasil pela Novo Conceito. Este livro fala sobre família, amizade e o amor fraternal que uni quatro irmãs, Maple (9 anos) e Down (11 aos) – (a terceira é muito pequena e a quarta nasce durante a história e por tanto essas últimas “nem fedem nem cheiram” mesmo a última sendo uma peça chave), em uma busca “eletrizante” por um “milagre” (ok, ok, vou parar por aqui para não soltar spoilers, ou não – preciso comentar algumas coisinhas).

O que posso escrever sobre esse livro? Para falar a verdade, esse não é muito meu tipo favorito de história e por isso vou logo alertando, não se apeguem muito as minhas opiniões, podem ser diferentes das suas. Esse é um livro que conta a história de duas irmãs, acredito eu, “super dotadas”, isso mesmo são CRIANÇAS e caramba, elas conseguem ludibriar a avó, os vizinhos e uma dupla de caçadores/bandidos, além de percorrerem sozinhas mais de 20km à pé no meio de uma floresta perigosa, cercada de inúmeros animais selvagens, com praticamente uma garrafa de água, pouca comida, uma bússola, um mapa e um cachorro (que pra falar a verdade não adiantava de nada por que foi logo embora e só atrapalhava). Está achando muito? Elas ainda conseguem fazer canoagem em um rio super perigoso, cheio de pedras e redemoinhos, pegar carona em uma caminhonete cujos donos eram OS bandidos e ainda conseguiram a proeza de quebrar grande parte dos ossos e correrem (quebradas) e ainda alcançar seus objetivos. E ainda tem mais, quero que vocês adivinhem qual era o passatempo delas quando estavam deprimidas ou cansadas????

Dizer os nomes científicos dos animais era a “diversão o momento”. Essas meninas só podem ser extraterrestres ou filhotes de vampiros disfarçados, credo!!! Certo, certo eu adoro literatura fantástica, mas eu pensei que esse não era o caso…

Ai cara você está sendo muito chata Maiana… Será? Me pergunto como uma criança de 9 anos consegue ser tão inocente em acreditar em uma lenda e tão madura para identificar as espécies de pássaros pelo canto: ”Eu imito o canto do poecile atricapillus e tenho certeza de que um chapim-da-cabeça-preta me responde do alto de uma árvore” (coisa que até um pesquisador precisa treinar pra não se confundir).

O livro tinha como ser reduzido, porém a história se arrasta de tal forma que chega a cansar, não consegui ter uma leitura continua. A escritora tenta fazer um livro repleto de aventura e saídas impressionantes, mas, ela esqueceu que suas protagonistas eram crianças, HUMANAS e não eram da família POTTER. O bom foi o final onde o objetivo era tentar passar uma lição de moral, mas, terminou de um jeito que, em minha opinião, deixou muito há desejar. E tem ainda uma danada de uma borboleta que até agora estou tentando entender qual o objetivo dela durante as partes críticas do livro já que, com ou sem ela, a história é a mesma, na verdade foi uma tentativa frustrada de acrescentar um toque místico a história.

Quanto ao trabalho da editora posso dizer que é um trabalho muito bem feito, a capa é linda, a diagramação e o tipo de folha são perfeitos porque não desfavorecem a leitura, as mudanças dos capítulos são lindas, cheias de borboletas como enfeites. Enfim, um belíssimo trabalho da editora, pena que a editora não fez o mesmo. Para essa leitura dou 2 selos cabulosos só pelo belo trabalho da editora.

NOTA:

Avaliação: LEGAL

Mas como sempre leiam, tirem suas próprias conclusões e comentem aqui para compararmos nossas idéias e boa leitura =D